Trabalho com vigas-trilho avança em várias frentes na Linha 17-Ouro

Trecho da Marginal já contava com ao menos 30 vigas lançadas, das 127 previstas. Pátio Água Espraiada teve primeira estrutura do tipo concretada na semana passada
Vigas-trilho na Marginal Pinheiros (Caio Lobo)

Um dos pontos cruciais para concluir as obras civis da Linha 17-Ouro de monotrilho, a instalação das vigas-trilho, estruturas de concreto por onde se apoiam os trens, tem avançado com rapidez nas últimas semanas.

O site percorreu o trecho da Marginal Pinheiros neste fim de semana e registrou os trabalhos feitos até aqui. Das 127 vigas previstas para o trajeto de cerca de 2 km de extensão, ao menos 30 já estavam instaladas, ou seja, quase um quarto do necessário.

Nessa região, por conta do acesso mais difícil às vias, o Metrô e o consórcio Monotrilho Ouro fazem uso de uma técnica de lançamento que utiliza treliças lançadeiras. As vigas são içadas por essa estrutura metálica em dois pontos de entrada no canteiro e dali deslizam até o ponto de encaixe nas colunas existentes.

Após um certo atraso, o lançamento das vigas-trilho na Marginal teve início em setembro e pode acabar ainda no primeiro semestre de 2022, pelo ritmo até aqui. O consórcio também retomou a construção do último pilar próximo do início da avenida Roberto Marinho, onde serão lançadas mais vigas-trilho, porém, pelo método comum, por meio de guindastes, completando a ligação das vias.

Fabricação local

Já no pátio Água Espraiada, as empresas KPE e Coesa realizaram na semana passada a primeira concretagem de uma viga-trilho in loco, dentro do Bloco A, principal estrutura de manutenção da Linha 17.

Como mostrou o site em primeira mão, o Metrô optou por fabricar as vigas-trilho no próprio local em vez de trazê-las prontas da fábrica em Perus. O Bloco A terá ao todo 18 vigas-trilhos destinadas à acomodar os trens da BYD nos principais serviços de manutenção.

O governo Doria prevê entregar a Linha 17-Ouro em seu trecho prioritário em 2022, porém, o secretário dos Transportes Metropolitanos, Paulo Galli, afirmou recentemente que a inauguração deverá ficar para 2023.

Concretagem da primeira viga-trilho do pátio Água Espraiada (CMSP)
Total
27
Shares
3 comments
  1. Nossa heim, que satisfação, a obra já está bem adiantada para a copa do Mundo no Brasil. Um dia a conta chega para todos.

  2. Nem dá para acreditar que essa linha finalmente vai ser entregue, os trens já foram aprovados pela justiça e vão começar a serem construídos, as obras estão sendo feitas, ainda que não no ritmo adequado mas estão, e não me parece faltar muito para ser feito, talvez até entregue no ano que vem realmente…

Comments are closed.

Previous Post

Doria terá dezembro cheio de inaugurações e eventos no Metrô

Next Post

CPTM lança chamamento público para reforma de passarela histórica no Brás

Related Posts