CPTM Destaques Linha 13

Trem do Aeroporto de Guarulhos inicia testes dinâmicos

Primeira composição da Série 2500, fabricada na China, chegou ao país em setembro e deve entrar em operação na Linha 13-Jade em dezembro
O novo Série 2500 da CPTM (CRRC)

Cerca de 45 dias após desembarcar no país, o primeiro trem da Série 2500, da CPTM, destinado à Linha 13-Jade, foi flagrado em testes dinâmicos nesta semana. O trem, designado U504, foi filmado pelo perfil Paparazzi Ferroviário nas instalações da companhia em Presidente Altino nesta quarta-feira realizando testes de tração (veja abaixo). A composição já havia circulado nas vias da CPTM, porém, rebocada por uma locomotiva.

Se conseguir cumprir seu cronograma, a companhia pretente iniciar a operação do novo trem dentro de 50 dias – segundo revelou o site Via Trolebus, a data programada pela companhia é o dia 15 de dezembro. Trata-se de uma meta ousada para os padrões da CPTM que tem levado muito mais tempo para conseguir cumprir todos os requisitos operacionais de sua nova frota.

Um exemplo disso ocorreu com as séries 8500 e 9500, produzidas pela CAF e Rotem que levaram nada menos que um ano para entrar em serviço após começarem a ser entregue. Antes deles, a CPTM teve uma experiência ainda pior com a Alstom, contratada para fornecer a Série 9000 cujo primeiro trem foi entregue em 2012, mas só entrou em operação em abril de 2014.

Ou seja, se a Série 2500 entrar em serviço na Linha 13 em dezembro terão sido passados apenas três meses desde sua chegada em Presidente Altino. Mas por que os trens fabricados pela CRRC-Sifang poderiam ter uma adaptação mais rápida que os produzidos por CAF, Rotem e Alstom? Difícil dizer mas alguns aspectos chamam a atenção.

Ao contrário das três tradicionais fabricantes, a CRRC-Sifang fabricou a composição na China e a teria a testado em suas instalações no começo deste ano. A empresa, no entanto, não tinha nenhuma experiência em produzir trens para o governo paulista e isso parece que não se refletiu em atrasos como os que ocorrem com frequência com CAF e Alstom. A sul-coreana Rotem, por sua vez, teve problemas justamente com a Série 9500, a única finalizada no Brasil – os trens da Linha 4-Amarela e do Metrô de Salvador, comprados pelas concessionárias da CCR, foram fabricados na Coreia do Sul e entregues dentro do prazo.

Nova fase

A CRRC não surpreendeu apenas pela rapidez na produção do trem, mas também porque deverá entreguar as oito composições encomendadas ainda em 2019, segundo afirmou o governo. Com isso, a Linha 13-Jade, hoje em uma operação bastante limitada, poderá finalmente oferecer intervalos menores e uma viagem mais rápida, sobretudo para os passageiros que a utilizam para chegar ao Aeroporto de Guarulhos.

De quebra, a Série 2500 traz novidades como bagageiros sobre os bancos e entre a passagem dos vagões, painel digital de informação e até botões de abertura de portas, recurso que não deve ser usado pela CPTM, a princípio.

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

8 Comentários

Click here to post a comment
  • A CPTM deveria diversificar na escolha das cores dos tens , uma substituição da cor vermelha para cores mais amenas seria excelente , azul por exemplo , lembrando que os trens da antiga RFFSA e antiga Fepasa eram azul e branco, então algum iluminado optou por esta cor vermelha, hoje tão marginalizada ! sigam o exemplo do metro , cores suaves !

  • Acredito que o prazo seja cumprido, afinal o projeto se assemelha muito com os 8500 e 9500, creio que até a cabine de operação seja praticamente igual, os ultimos 8500 e 9500 foram entregues em uns 30 dias depois de sua chegada.

  • Os chineses dão um banho na concorrência. Tomara que peguem logo a linha 6 e o trem intercidades. Só assim teremos condições de avançar.

Airway