CPTM Destaques Linha 11 Linha 7

CPTM pode levar Linha 7-Rubi até Brás nas próximas semanas

Segundo informação que circula nas redes sociais, companhia estaria prestes a testar uma mudança na operação entre as estações Luz e Brás
A plataforma 2 da estação Brás (esquerda): Linha 7-Rubi pode usá-la em breve | Foto: Renato Lobo - Via Trolebus

Os passageiros que utilizam a Linha 7-Rubi da CPTM devem ter uma surpresa nas próximas semanas. A companhia estaria prestes a iniciar testes para estender a operação do ramal para além da estação Luz, atual parada final. Segundo informações que circulam em redes sociais, os trens da Linha 7 que vêm de Francisco Morato deverão seguir até a estação Brás em alguns horários.

Essas viagens teriam caráter experimental e deverão usar a plataforma 2 de Brás, que está desocupada desde que a Linha 10-Turquesa passou a utilizar apenas a plataforma 1. Ainda não se sabe exatamente a data de início desses testes nem quanto tempo durarão, mas é certo que a CPTM está prestes a anunciar mudanças na região central onde circulam também as linhas 11-Coral e 12-Safira.

Uma pista do que pode estar prestes a ocorrer foi dada pelo site Diário dos Trilhos na segunda-feira (21) que revelou as mudanças em primeira mão. Além de antecipar a ida da Linha 7 até Brás, o site também revelou que a Linha 11-Coral, que hoje termina também na estação Luz, seguirá até a Barra Funda, ocupando uma das plataformas que estão vazias atualmente. É lá que futuramente o Trem Intercidades operará, segundo os últimos estudos do governo.

A hipótese de a Linha 11 chegar à Palmeiras-Barra Funda consta inclusive dos estudos de concessão do polo multimodal, o que deve elevar o movimento no local de forma significativa. Na prática, se essas mudanças forem confirmadas, a estação Luz voltará a ser um ponto de passagem dos ramais, algo mais coerente com seu layout original.

Consultada, a CPTM preferiu não comentar o assunto, apenas que “estuda constantemente melhorias operacionais, visando ampliar as possibilidades de acesso e integração dos passageiros, com equilíbrio da demanda na região central de São Paulo. Qualquer alteração na malha operacional será divulgada tão logo definida pela Companhia“.

Integração Centro

Possíveis mudanças nas estações terminais da CPTM na região central remetem ao fatídico projeto “Integração Centro”, lançado pelo governo do estado nos anos 2000. Na época, as linhas da CPTM ainda eram nomeadas por letras e a integração entre elas era bastante precária.

Foi quando surgiu a ideia de criar uma espécie de corredor central entre Barra Funda e Brás, passando por Luz, três das mais movimentadas estações da cidade. Como os ramais da CPTM praticavam intervalos bastante altos, o projeto previa o compartilhamento das vias de modo a permitir que as linhas que terminavam em Brás pudessem seguir até Luz ou Barra Funda e vice-versa.

Para viabilizar a mudança, as estações foram adaptadas, sobretudo Luz, que ganhou toda uma nova circulação subterrânea para ligá-la à Linha 1-Azul, do Metrô. Mas o projeto naufragou e com isso hoje viajar entre Barra Funda e Brás exige que o passageiro faça pelo menos uma baldeação obrigatória em Luz. Espera-se que o “pacote surpresa” da CPTM enfim simplique essa situação e de forma viável.

Mapa que mostra Integração Centro na década passada (GESP)

 

Leia no Lulica
Como lidar com a diferença de idade entre irmãos? 23/7/2020

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

6 Comentários

Click here to post a comment
  • O que auxiliaria na requalificação do entorno e principalmente na distribuição dos passageiros por TODO o sistema metro-ferroviário não está escrito. Mas isso deveria ser como planejado antes, ou seja, englobando todas as linhas que chegam no Brás e na Barra Funda.

    Porém, a operação seria um tanto quanto complexa em alguns aspectos (isso no pensamento de um leigo sobre o tema): 1) compatibilização entre os sistemas, de forma que pudessem compartilhar as vias sem que isso resultasse em atendimento a essas estações mas em elevados intervalos para manobras; 2) organização do embarque e desembarque, imaginando que uma mesma plataforma poderia se utilizada na Luz, por exemplo, para atender a Linha 07, Linha 10, Linha 11 e Linha 12, o que poderia torar tudo ainda mais caótico.

    Mas a proposta ser desenterrada seria uma medida excelente. Claro, como disse deveria ter como contrapartida toda a adequação do sistema de sinalização, mas assim feito, somente faltaria a cereja do bolo, que é a criação de um túnel interligando a Luz com a Estação Júlio Prestes, que também auxiliaria e muito na distribuição do fluxo dos passageiros, além de permitir uma melhor utilização de um estação tão linda como aquela.

  • A ideia parece ser boa, tomara que realmente dê certo, apesar que minha ideia de integração entre tais linhas seja outra:

    Eu colocaria o ponto final da Linha Rubi em Julio Prestes, voltaria a Linha Turquesa até a Luz, e faria uma integração subterrânea entre Luz e Julio Prestes

    Ps: Meio “saudosista” o mapinha da matéria, Linha D ( hoje 10) tendo extensão operacional até Paranapiacaba, passando por Campo Grande. Sou muito fã desses mapas antigos, um que procuro há muito tempo, e não encontro, é quando a Linha E, ainda passava por Itaquera antiga e XV de Novembro, se alguém tiver algum mapa da época eu agradeço.

    • Meu xará,

      Creio que as Linhas 07 – Rubi e 11 – Coral é que devem atender atualmente essa integração Centro. As demais linhas como a 10 – Turquesa e a 12 – Safira devem continuar a pararem no Brás, além da Linha 08 – Diamante, que deve parar em Júlio Prestes.

      Digo isso como uma dedução pelo o que vem sendo apresentado, sem nenhum embasamento no que foi até então apresentado. Imagino tal cenário levando em consideração de que se for mantido o pequeno intervalo entre as composições, como pretende o governo, o trecho sendo feito por todas as linhas com certeza iria gerar uma significativa perda de velocidade e grandes dificuldades de operação, principalmente em horários de pico.

  • Muito bom, visto que a estação LUZ no horário de pico não consegue dar conta da demanda. Principalmente no período da tarde. Com isso vai haver uma redistribuição de PAX no eixo Brás X Luz X Barra Funda, melhorando o fluxo de PAX no eixo central. Outro ponto necessário seria a construção de uma passagem entre Luz e Julio Prestes criando mais um ponto de conexão da L8 no centro de SP.

Airway