Abertura da estação João Dias deve ficar para o início de 2022

Jean Carlos
Telar Engenharia, que constrói estação João Dias, também será responsável por vias e rede aérea
Estação João Dias receberá obras complementares (CPTM)

A estação João Dias é um daqueles casos raros onde a iniciativa privada e o poder público alinham seus interesses e o resultado foi o melhor possível: uma estação bancada quase que inteiramente pelo poder privado. Apesar de a estação estar sendo construída em um ritmo muito bom para os padrões recentemente observados nas obras de mobilidade sobre trilhos, ainda é necessário pensar em mais alguns pontos para viabilizar a abertura e funcionamento dessa estação.

Há alguns meses a CPTM lançou uma licitação para justamente promover essa viabilização. O certame publicado teve como objetivo a contratação de uma empresa que fará o remanejamento da via permanente para a estação João Dias, de forma que ela esteja conectada à Linha 9-Esmeralda. Além desse serviço tambem estão contempladas readequações na rede aérea de tração, item essencial para a movimentação dos trens. Com esses dois pontos sanados, a estação terá plenas condições de ser integrada ao sistema de trens metropolitanos.

Depois de alguns meses de espera finalmente foi publicado no Diário Oficial do Estado o extrato do contrato firmado entre a CPTM e a Telar Engenharia, curiosamente, a mesma empresa que hoje é responsavel pela construção da estação João Dias (mas nesse caso por um contrato com a Brookfield, empresa que banca o projeto). Agora também assume mais um serviço relativo à estação localizada no grande “vão” existente entre as estações de Santo Amaro e Granja Julieta.

No contrato assinado o prazo para a execução dessas obras é de 8 meses. Considerando a assinatura da ordem de serviço dentro de 15 dias, teríamos o inicio do projeto ainda no final do mês, o que possibilitaria a entre entrega das obras até o começo de dezembro. A depender da velocidade das obras da estação não é devaneio afirmar que poderemos ter uma mais uma nova estação ainda em 2021, mas é mais provável que isso ocorra de fato no início de 2022 mais por questões burocráticas já que a estação em si parece que será concluída bem antes.

Outro ponto importante é o valor da obra. Analisando o edital da CPTM e checando as tabelas de orçamento é possível ver que o custo estimado para essa obra era de R$ 24,6 milhões. A Telar Engenharia fez uma oferta com o valor de R$ 21,3 milhões, representando uma redução de aproximadamente 13% do orçamento original.

A estação de João Dias tem previsão de ser entregue no ano de 2022 e atenderá um importante polo comercial na região. A estimativa de demanda será de 10,5 mil passageiros por dia. Vale lembrar que, caso a concessão das Linhas 8 e 9 avance, a nova operadora não deverá pagar nada por essas obras, sendo que os investimentos da nova estação João Dias são de responsabilidade da iniciativa privada (construção da estação) e do estado (vias e rede aérea).

Vias existentes hoje (em cinza claro) deverão ser realocadas para a estação (Google)
Total
28
Shares
1 comment
  1. Não entendi a dificuldade de levar essa linha até os bairros de Parelheiros e Marsillac até hoje! Existe demanda! Tornaria muito mais fácil a vida da população nesses bairros. Fora que seria muito bacana poder ir até de trem a essas regiões!
    Se fosse em um país de primeiro de mundo essa linha até passaria dos limites de SP indo até Embu Guaçu, e cidades próximas dessa região que ainda pertencem a grande São Paulo… Ou algo mais barato como um VLT depois de Parelheiros indo a essas cidades… Mas infelizmente só vemos atrasos, obras lentas que duram anos e anos para trechos pequenos, e na maioria atende os bairros mais nobres e centrais da cidade como no caso do metrô que em sua suma maioria passa apenas por bairros das classes A e B…

Comments are closed.

Previous Post
Linha 17 Ouro Congonhas

Baldy mantém aposta na entrega da Linha 17-Ouro em 2022

Next Post

Linha 13-Jade deve continuar com intervalos altos até pelo menos o final da pandemia

Related Posts