Aeromovel e Marcopolo vão disputar fornecimento do People Mover do Aeroporto de Guarulhos

Avatar
Empresas do Rio Grande do Sul formaram parceria para expandir implantação do sistema de transporte movido por propulsão pneumática
O Aeromovel da parceria com a Marcopolo: interesse no “people mover” de Guarulhos (Marcopolo)

A disputa pelo “People Mover” que será construído e operado pela GRU Airport e que ligará o Aeroporto de Guarulhos à Linha 13-Jade da CPTM, terá um concorrente nacional. As empresas Aeromovel e Marcopolo, ambas sediadas no Rio Grande do Sul, demonstraram interesse em participar da seleção que a concessionária do terminal aeroportuário está organizando para apontar um responsável por implementar a solução a partir de setembro.

Durante apresentação de seu produto nesta segunda-feira em workshop promovido pelo Instituto de Engenharia em São Paulo, as duas empresas explicaram o funcionamento do sistema que começou a ser concebido ainda na década de 70 e que hoje funciona há 30 anos em Jacarta, na Indonésia, e em Porto Alegre, onde liga o aeroporto da capital gaúcha à linha de trem da Trensurb.

A empresa ressaltou a oportunidade que a adoção do “People Mover” em Guarulhos proporcionará para o setor ao expandir as possibilidades de utilização do sistema em outros projetos. Já prevendo uma demanda grande para ele, a Aeromovel se associou em 2015 à Marcopolo, fabricante de ônibus que completa 70 anos em 2019 e que criou a divisão Marcopolo Rail em maio.

As duas companhias fecharam um acordo para criar um produto em conjunto que soma a experiência e a tecnologia do primeiro aeromovel com a capacidade de produção da Marcopolo, que utilizou um dos seus ônibus como base para criar uma nova cabine de passageiros para o sistema de transporte.

Interior do Aeromovel (Marcopolo)

Baixo custo e rapidez na construção

Os representantes das empresas enfatizaram os diferenciais do Aeromovel, entre eles um custo de operação bastante baixo, manutenção simples e um método de construção bastante veloz. Patenteado pela Aeromovel, o “People Mover” gaúcho se movimenta atráves de pressão pneumática gerada por ventiladores fixos ao longo da via. Eles criam uma área de baixa pressão que move placas presas ao trem e localizadas no interior das vigas. Graças a esse controle de pressão, o Aeromovel é capaz de se movimentar com pouco uso de energia.

As outras vantagens apontadas por elas estão na simplicidade dos equipamentos, baixo desgaste dos componentes e uma construção pré-moldada que promete um avanço rápido em sua implantação.

Segundo dados da Aeromovel, o trem pode atingir até 100 km/h, fazer curvas com raio mínimo de 25 metros, subir e descer rampas de 12% de inclinação (o dobro de trens convencionais) e emitir um baixo nível de emissão de poluentes se comparado a outros tipos de modal.

O produto mais recente é o Veículo Aeromovel Geração 6, um “Automated People Mover” com dois vagões e capacidade para 282 passageiros, ar-condicionado, portas com vão livre de 1.750 mm e sistema de entretenimento e informação.

O Aeromovel do aeroporto de Porto Alegre (Aeromovel)

Poucos interessados

Apesar dos dados otimistas e do bom histórico de funcionamento tanto em Jacarta quanto Porto Alegre, a Aeromovel não conseguiu outros clientes. Além dos dois sistemas em operação, a empresa chegou a construir uma linha de testes na avenida Gasômetro, no centro da capital gaúcha, mas que hoje encontra-se abandonada com os trens depredados. Os executivos da companhia, no entanto, pretendem que essa linha pioneira seja recuperada pela prefeitura e transformada em um transporte turístico.

Nos últimos anos, tanto Aeromovel quanto Marcopolo participaram de vários eventos e conversaram com inúmeras cidades para mostrar seu produto. O mais perto que chegaram de tirar um projeto do papel foi com a prefeitura de Canoas, na Grande Porto Alegre.

Em 2013, o então prefeito assinou um contrato para implantar um sistema de maior porte, capaz de transportar 60 mil passageiros por dia e que contaria com recursos federais. Dois anos depois a ordem de serviço foi assinada, mas a Metroplan, fundação do estado responsável pelos projetos urbanos, não aprova o projeto. Após as eleições de 2016, o novo prefeito decidiu suspender a obra do seu antecessor restando um galpão com vários materiais comprados com o empréstimo concedido pela Caixa Econômica Federal.

O primeiro projeto implantado pela Aeromovel fica em Jacarta, na Indonésia (Gunawan Kartapranata)

Entrega em março de 2021

Pela pressa do governo do estado de São Paulo em resolver a situação da falta de uma conexão adequada entre a estação da CPTM e os terminais do Aeroporto de Guarulhos, a proposta das empresas brasileiras pode acabar sendo bastante interessante do ponto de vista do prazo. A GRU Airport estima que todo o processo deverá levar cerca de 18 meses, a partir de setembro, com previsão de entrega da linha de 2,6 km em março de 2021.

Além da Aeromovel e Marcopolo, pelo menos outras sete empresas demonstraram interesse em participar da concorrência.

Maquete em tamanho real do Aeromovel Geração 6 (Marcopolo)

 

Total
55
Shares
1 comment

Comments are closed.

Previous Post

A linha da CPTM que possui trens modernos sobrando

Next Post

Em julho, estação Vila Madalena terá operação em apenas uma plataforma

Related Posts