Apenas uma década após ser inaugurada, estação Vila Prudente inicia reforma de R$ 55 milhões

Readequação da estação da Linha 2-Verde será feita para comportar fluxo vindo da expansão até Penha e de crescimento do monotrilho da Linha 15
Estação Vila Prudente da Linha 2: reforma de R$ 55 milhões (CMSP)

O governador João Doria e o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, participam nesta terça-feira, 09, de cerimônia de início das obras de ampliação da estação Vila Prudente, da Linha 2-Verde, a fim de “comportar o aumento de demanda com a expansão das Linhas 2-Verde e 15-Prata”, segundo aviso enviado pelo governo.

A obra, contratada por R$ 55 milhões junto ao consórcio Sinalta Robmak, tem prazo de conclusão de 30 meses, ou seja, por volta do segundo semestre de 2023. O escopo do projeto envolve alterar o posicionamento de salas técnicas, do sistema de ventilação e remanejamento de sistemas, por conta das mudanças de layout.

Segundo Baldy, a estação passará a receber cerca de 85 mil usuários por dia com as mudanças contra 55 mil atualmente – na verdade, em novembro de 2019, Vila Prudente já movimentava em média 74 mil passageiros dias úteis, de acordo com dados do próprio Metrô.

Além disso, as plataformas ganharão novas escadas rolantes e a ligação com a Linha 15-Prata será ampliada e modificada. Com as mudanças, a estação Vila Prudente deverá se preparar para um grande aumento de fluxo à medida que o monotrilho amplia sua demanda e o avanço da Linha 2 sentido Penha passe a atrair usuários com destino à Zona Leste.

Chama a atenção, no entanto, que a imensa estação, inaugurada em agosto de 2010, portanto há pouco mais de 10 anos, necessite de intervenções tão grandes num intervalo de tempo curto.

No final da década de 2000, o Metrô já planejava tanto a extensão da Linha 2 (então chamada de Linha 15-Branca por conta de um atalho legal para obter verbas) quanto o monotrilho, então chamada de ‘Linha 2’.

Metrô já estudava extensão pós-Vila Prudente desde o começo dos anos 2000

As obras do monotrilho começaram no início da década passada após anúncio do então governador José Serra e do prefeito de São Paulo na época, Gilberto Kassab, que em 2009 trocaram o “Fura-Fila” por um sistema de metrô leve. Ou seja, não é de hoje que Vila Prudente seria ponto de conexão para milhares de passageiros.

Já a extensão da Linha 2 já contava com projeto funcional em 2011, época em que o Metrô contratou o consórcio Básico L15 para elaborar o projeto básico da extensão entre Vila Prudente e Tiquatira, mas que depois acabou ampliado até a estação Dutra.

O site questionou o Metrô sobre o assunto e atualizará esta nota caso tenha alguma resposta.

Total
15
Shares
2 comments
  1. As estações de integração são projetadas por inteiro e construída em fases por conta de restrições técnicas e financeiras.

    Não faria sentido construir a estação Vila Prudente de uma só vez quando os projetos poderiam mudar no meio do caminho.

    Em Pedro II há um exemplo disso, com a estação construída entre 1976 e 1980 para atender as linhas vermelha e amarela. No meio da construção da estação, o projeto mudou e a linha amarela foi encurtada na Luz. Hoje Pedro II convive com um esqueleto de estação que nunca será usado pelo Metrô.

Comments are closed.

Previous Post

Vídeo mostra estação Morumbi da Linha 17 em close-up

Next Post

Licitação para 44 novos trens do Metrô será feita em breve, afirma Baldy

Related Posts