Confira como é o Prosper VLT, da Marcopolo Rail

Empresa conhecida por sua atuação no mercado de ônibus agora entra no setor ferroviário. O Prosper é um VLT com design arrojado e de concepção 100% brasileira
VLT Prosper da Marcopolo Rail (Jean Carlos)

Quando se fala sobre a indústria ferroviária, sobretudo nas fabricantes de trens para passageiros nas grandes metrópoles, o imaginário geralmente se volta para os mercados da Europa e Ásia, tradicionais fornecedores de material rodante para os sistemas metroferroviários no Brasil.  Mas há iniciativas nacionais como o VLT Prosper, da Marcopolo Rail, um grupo mais conhecido pela atuação no segmento de ônibus.

Durante a NT Expo 2022, a fabricante apresentou seu projeto. Com uma unidade em testes no estado do Rio Grande do Sul, o veículo surpreende com um design interno e externo que é comparável com grandes fornecedores mundiais. O site esteve presente no evento e conferiu de perto o mockup do veículo.

Aspecto Externo

A composição apresentada na NT Expo 2022 possuía cores metálicas envoltas por tonalidades de preto na região da cabine e das janelas. Suas linhas oblíquas na frente do veículo dão uma sensação de dinamismo.

O letreiro em LED é de fácil visibilidade, auxiliando a leitura por parte dos passageiros em sistemas urbanos. Os faróis de frente e de cauda estão dispostos nas laterais do veículo, sendo bastante discretos e posicionados de forma harmônica as linhas do veículo.

Máscara do Prosper (Jean Carlos)

Na parte lateral a composição mescla o cinza com o preto na região das janelas. A disposição dos vidros das janelas na composição criam uma visão homogênea e com menor interferências no perfil da composição. Segundo o que pode ser visto na apresentação do Auster APM, é provável que a abertura das portas seja feita por corrediças externas.

Lateral do Prosper (Jean Carlos)

Aspecto Interno

O veículo apresentado possui dois tipos de layout: Um para a versão utilizada no transporte de passageiros nos sistemas de transporte público e outra para turismo ou viagens de longo percurso.

Na versão para transporte público, a disposição dos bancos apresenta assentos laterais e transversais. O nível de conforto dos bancos é ótimo, muito devido à sua estrutura ergonômica e o estofado. O espaçamento é adequado, sendo possível se acomodar sem nenhum tipo de interferência com as pernas. Balaústres metálicos dão apoio aos passageiros que seguem em pé.

Assentos da versão urbana (Jean Carlos)

Na versão para longas viagens e turismo o quesito conforto foi elevado. As poltronas propiciam aos passageiros uma viagem tranquila e suave. Os assentos possuem apoios para os braços, guarda copos, e um apoio para a cabeça bastante ergonômico. 

Assentos da versão de longo percurso (Jean Carlos)

Apesar de não tão comum, os bancos possuem cinto de segurança, um dispositivo que geralmente é visto nos veículos rodoviários. Nesta versão também estão instalados bagageiros. Um sistema de vídeo fornece informações e entretenimento em ambas as versões.

Salão do Prosper (Jean Carlos)

Cabine

A cabine de condução permite uma ampla visão por parte do operador do Prosper. O console é composto por três painéis de LCD, rádio, três conjuntos de botões de comando, identificador do condutor por leitor de cartão, microfone, além do manípulo de condução.

Nesse quesito, a Marcopolo Rail se inspirou muito nos seus veículos rodoviários. O layout compacto dos botões de comando com destaques apenas em branco pode ser aprimorado, de forma que o operador possa rapidamente distinguir as funções dos botões, não apenas pelos logos das funções, mas pela sua disposição na cabine e por suas cores.

Cabine do Prosper (Jean Carlos)

Os leitores de status dos sistemas do trem também são indicados através de símbolos, o que facilita a visualização por parte do operador. Neste caso seria interessante a inserção de parâmetros de cada sistema, por exemplo, o nível de pressão no sistema de freios.

A tela central é aquela que consegue mesclar bem as informações pertinentes ao operador. Velocidade, temperatura do motor, nível de combustível, rotações do motor, tensão e corrente da bateria. Para um condutor experiente, ter essas informações a disposição é de suma importância.

Painel de LCD com indicadores da composição (Jean Carlos)

A identificação do condutor é um extra que pode permitir a liberação do trem apenas por um profissional habilitado. Na cabine também estão dispostas duas telas laterais que atuam como retrovisores dos trens. Assim como nos trens mais modernos, câmeras estão instaladas nas laterais do veículo, garantindo a visão do ambiente externo.

Confira abaixo outros dados técnicos do veículo:

  • Altura interna: 2.384 mm
  • Largura interna: 2.700 mm
  • Plataforma de embarque: 1,10m
  • Posto para cadeirante: um em cada carro (0,8 m X 1,2 m);
  • Número de portas: até 3 portas laterais de cada carro
  • Saídas de emergência: 4
  • Conformidade com as normas internacionais
  • Interface em tempo real: rotas, mídia, GPS, ethernet, telas, etc.
  • Capacidade de Passageiros por composição de quatro carros: Versão Urbana – 760 | Versão Intercidades – 280

Considerações Finais

O VLT Prosper é uma solução brasileira que surpreende pelo design e conforto. Segundo a Marcopolo Rail, o Prosper pode possuir diversas formatações com composições de 2, 3 e 4 carros, podendo também atuar com múltiplas unidades acopladas, ampliando a capacidade de passageiros.

Os veículos também possuem o fator customização, atendendo às exigências das empresas compradoras. O sistema de tração do Prosper é o diesel-hidráulico, mas pode ser perfeitamente alterado para tração elétrica ou tração híbrida, utilizando o sistema diesel e o sistema elétrico de forma alternada.

Mockup exposto na NT Expo (Jean Carlos)

De forma geral, o Prosper destoa de tudo o que já se viu dentro do mercado 100% nacional de trens de passageiros. Além de ter a oportunidade de assumir protagonismo com encomendas relevantes em sistemas de média capacidade como os da região Nordeste, também poderá ofertar a tecnologia brasileira para o exterior, reconsolidando uma tendência perdida ao longo dos anos.

Total
27
Shares
2 comments
  1. Muito mais bonitos do que os vindos de fora
    O problema e que em nosso país a corrupção não deixa o Brasil prosperar
    Governantes recebem ” vantagens” para trazer tecnologia de fora e o povo brasileiro paga por isso
    Somos auto suficientes para produzir vários bens duráveis como foi no passado ao invés de importar
    Gerando vários empregos
    Um exemplo são os ônibus elétricos que já são fabricados pela eletra desde a década de 90
    Se temos essa tecnologia porque trazer de fora?
    Nosso amado governador calcinha apertada doriana quem o diga
    Está trazendo ônibus da china,entregando são Paulo para china em troca de que?
    Vamos acordar e não eleger esses comunistas
    O Brasil tem que voltar a ter produção 100% nacional como foi no passado

Comments are closed.

Previous Post

Estação Hebraica-Rebouças passa por mudanças na comunicação visual

Next Post

Obras de ligação entre a Estação Luz e a Sala São Paulo entram na reta final

Related Posts