O projeto de concessão do Trem Intercidades, da Linha 7-Rubi e do serviço parador do Trem Intermetropolitano deverá prever uma futura ampliação para Piracicaba e Aeroporto de Viracopos. A informação consta de documento elaborado pela CPTM e que apresenta os principais aspectos dos estudos feitos pelo governo do estado até aqui.

O plano de conceder o serviço de trens regionais atrasou e só deve ter sua licitação aberta em algum ponto de 2021, se não houver atrasos. A intenção da gestão Doria é lançar a consulta pública do projeto até o final deste ano, o que abriria a chance de o edital ficar pronto no primeiro semestre do ano que vem.

A premissa preliminar da concessão permanece a mesma, ou seja, leiloar a construção e operação do Trem Intercidades (TIC) entre Barra Funda e Campinas, com Jundiaí, a implantação do Trem Intermetropolitano (TIM) entre Francisco Morato e Campinas, com novas estações em Louveira, Vinhedo e Valinhos, e a operação da Linha 7-Rubi. Porém, o contrato deverá prever a extensão desses serviços até Americana e posteriormente até Piracicaba – a princípio apenas no Trem Intermetropolitano.

A inclusão do Aeroporto de Viracopos na concessão também é uma boa notícia. A possibilidade já havia sido aventada anteriormente, mas sem detalhes de como será feita. Distante cerca de 13 km do centro de Campinas, o terminal aeroportuário tem ganhado espaço no tráfego aéreo doméstico e internacional por conta da Azul Linhas Aéreas, que tem no local seu maior hub no Brasil. A opção de usar o transporte sobre trilhos para chegar ao aeroporto pode torná-lo mais atraente para os potenciais passageiros da Grande São Paulo, que hoje acabam utilizando em maior escala Guarulhos e Congonhas.

Distância entre o centro de Campinas e o Aeroporto de Viracopos é superior a toda a extensão da Linha 13-Jade, que vai até próxima de Guarulhos

Viagem a 160 km/h

O tempo de viagem do TIC é previsto em 60 minutos entre Campinas e Barra Funda, com trens capazes de atingir 160 km/h de velocidade máxima – 70 km/h mais velozes que os trens da CPTM. O objetivo é que as partidas do Trem Intercidades ocorram em intervalos de 15 minutos e a demanda prevista por hora é de 2.500 num cenário futuro.

Já a Linha 7-Rubi deverá contar com uma infraestrutura mais moderna que permitirá serviços como tempo de espera pelo próximo trem, lotação dos vagões além de viagens mais regulares e confiáveis, com a eliminação de passagens de nível e outros gargalos existentes atualmente.

A nova concessionária terá de implantar um Centro de Controle Operacional próprio além de assumir o Pátio Lapa para realizar a manutenção de sua frota de trens. É bastante possível que o governo inclua uma cláusula semelhante à da concessão das linhas 8 e 9, que bancará a implantação de um novo centro de manutenção para a CPTM em outra localidade.

Para os passageiros, é provável que a Linha 7-Rubi deixe de atender as estações Luz e Brás, como mostrou o site anteriormente. Porém, será possível num futuro breve realizar a baldeação para outras linhas metroferroviáris em duas estações que serão reconstruídas, Água Branca e Lapa. Na primeira, haverá a conexão com a Linha 6-Laranja do Metrô, possibilitando chegar a diversas regiões da capital sem a necessidade de passar pelo centro da cidade.

A estação Lapa, por sua vez, será unificada, atendendo as linhas 7 e 8 no mesmo local. Essa obra, antes prevista na concessão das linhas 8 e 9, deverá constar do edital do Trem Intercidades. Vale ainda citar que num futuro distante, Lapa será uma parada da Linha 20-Rosa do Metrô, que está nos estudos iniciais.

Projeto de unificação das estação Lapa das linhas 7 e 8 (GESP)