CPTM Destaques Linha 9

CPTM inicia desvio das vias da Linha 9-Esmeralda para construir estação João Dias

Alteração abrirá espaço para construção da plataforma da futura estação, que é bancada pela iniciativa privada
Trem da CPTM passa ao lado do desvio: caminho livre para construção da estação da João Dias (CPTM)

A CPTM anunciou neste final de semana que está realizando o desvio das vias da Linha 9-Esmeralda a fim de abrir espaço para a construção da plataforma da futura estação João Dias. Neste domingo, a via sentido Grajaú foi desmontada e os trens passarão a utilizar uma nova via construída ao lado da ciclovia que está desativada.

Segundo a companhia, no próximo domingo será concluída a segunda parte do desvio, com a desativação da via sentido Osasco. A partir daí os trens passarão ao largo do local da estação por um período de cerca de dois anos, até que a obra esteja na reta final e as vias definitivas sejam concluídas. Nas últimas semanas, a construtora Telar, responsável pela obra, havia instalado a rede aérea paralela e assentado os trilhos da via provisória, trabalho feito sob supervisão da CPTM.

De acordo com o presidente da empresa, Pedro Moro, a estação João Dias deverá ser inaugurada em 2022. Ela é a primeira estação proposta pela iniciativa privada e bancada quase que integralmente pela empresa Brookfield, dona de um empreendimento corporativo em frente ao local e que há quase uma década tentava doar o projeto ao governo, sem muito sucesso. O ineditismo da situação e a burocracia do estado, no entanto, fizeram a estação demorar a sair do papel. O conjunto Sigma Towers, que abriga hoje os escritórios da multinacional Nestlé, entre outros, ficou pronto há alguns anos mesmo tendo atrasado bastante tempo.

Além da plataforma, a Telar já trabalha no acesso da estação, que fica dentro do terreno da Sigma Towers. Segundo a CPTM, a estação João Dias terá um movimento diário de pouco mais de 10 mil pessoas, o que a tornará uma das menos movimentadas da linha, mas essa situação deve mudar ao longo do tempo, já que é natural que haja um adensamento da região graças à facilidade trazida pela parada.

A estação João Dias deverá ser operada pela futura concessionária das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda que, segundo previsão do governo, deve ser leiloada no início de 2021. A empresa terá a tarefa de adequar sistemas e vias da estação, segundo apresentação do projeto de concessão.

Trabalho de desvio das vias deve ser concluído no próximo domingo (CPTM)
Leia no Lulica
Como lidar com a diferença de idade entre irmãos? 23/7/2020

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

7 Comentários

Click here to post a comment
    • Oi Elisson, o secretário Baldy afirmou isso em uma entrevista na semana passada, mas ainda é uma previsão, sem data certa.

  • Sendo tocada pela iniciativa privada, deve sofrer bem menos intervenções da justiça, ou paralisações por desvio de verbas. Aí poderemos comparar com o estado, que terá levado mais de dez anos pra reformar Francisco Morato. Sem contar as eternas Varginha e Mendes-Natal.
    Por mais iniciativas assim.

    • conforme descrito na própria matéria , há quase uma década a Brookfield tenta chegar a um acordo para fazer a estaçao joao dias. assim como a estaçao de francisco morato que tambem estava enrolada todo esse tempo e agora está quase pronta. a questao nao é o estado, mas quem administra o estado. claro que há algumas burocracias alem da conta em obras publicas, mas quando há vontade , competencia e seriedade, a coisa anda.

      • A matéria cita sim que foi justamente por causa do estado e sua burocracia que a Brookfield não conseguiu dar início ao projeto.
        Se fosse a CPTM licitiando projeto, construção seriam anos e anos de entraves jurídicos para cada fase do processo. Infelizmente é assim que o estado brasileiro está estruturado. Não me parece possível que isso seja resolvido no curto prazo pois não há interesse político nisso. Há sim quem defenda essa visão de que o estado tem que estar envolvido em absolutamente tudo e continuaremos a ver casos como a linha 17 parados na justiça.
        Que venham mais projetos com a iniciativa privada

  • Ótimo trabalho, agora seria importante se planejar para esta Linha 9-Esmeralda chegue até a nova Estação integradora Unificada na Lapa, promovendo a conexão e integração e interpenetração entre as linhas 7-Rubi, 10-Turquesa e 8-Diamante.

    Também é fundamental e imprescindível que se revitalize a Estação terminal Júlio Prestes que hoje está subutilizada para receber os trens metropolitanos e os futuros Trens Intercidades procedentes desta região.

Airway