Depois da Linha 22, Metrô lança licitação para projetos da Linha 16-Violeta

Ramal subterrâneo tem previsão de ligar a estação Oscar Freire até Cidade Tiradentes, na Zona Leste. Publicação ocorre a menos de quatro semanas das eleições
Estações previstas na Linha 16-Violeta (CMSP)

Sem surpresa, o governo Rodrigo Garcia lançou uma nova licitação de anteprojeto de engenharia, estudo de impacto ambienta e projeto básico de um novo ramal do Metrô, desta abordando a Linha 16-Violeta. As propostas serão recebidas no dia 24 de novembro, na sede da companhia, na região central.

A publicação do edital que dará origem aos estudos iniciais da nova linha metroviária, ocorre a menos de quatro semanas das eleições gerais, em que Garcia concorre a reeleição. Há uma semana, o Metrô de São Paulo lançou a licitação de anteprojeto da Linha 22-Marrom, que pretende conectar o município de Cotia à estação Sumaré.

Ambos os ramais estão bastante distantes de se tornarem realidade, mas curiosamente o Metrô decidiu incluir também o projeto básico no escopo do contrato, que é usado para viabilizar a contratação das obras ou então a definição de uma futura concessão à iniciativa privada.

Os detalhes do edital só serão conhecidos na terça-feira, 13, mas a Linha 16-Violeta já teve seu traçado preliminar divulgado em outras ocasiões. Este site publicou em primeira mão a existência do estudo, em 2018, portanto, ainda na gestão de Geraldo Alckmin.

O Metrô de Barcelona utilizou uma técnica interessante, de construção de plataformas com um “tatuzão”

Segundo o Metrô, a Linha 16 passará pelos bairros de Jardim Brasília, Jardim Aricanduva, Vila Formosa, Mooca, Cambuci, Aclimação, Paraíso, Jardim Paulista e Cerqueira César. Terá a princípio 23 estações em 32 km de extensão, com conexão às linhas 1-Azul, 2-Verde, 4-Amarela e 10-Turquesa e futuramente com a Linha 2 também em Anália Franco e com a Linha 15-Prata.

A Linha 16 substituiu o trecho leste da Linha 6-Laranja, que vai até a estação São Joaquim. Nos planos iniciais, a extensão previa chegar até Cidade Líder, porém, o Metrô decidiu estendê-la até Cidade Tiradentes, penúltima estação da Linha 15, de monotrilho, (Hospital Cidade Tiradentes será terminal desse ramal). O mapa de estações cita até a Linha 14-Ônix, da CPTM, em fase de estudos.

O Metrô tem estudado a adoção de soluções inéditas na Linha 16 como o uso de elevadores de alta capacidade em estações de menor demanda e a escavação dos túneis por uma tuneladora de grandes dimensões. Com isso seria possível construir vias e plataformas diretamente com os “tatuzões”.

A Linha 16-Violeta foi revela por este site em 2018 como substituta do trecho leste da Linha 6-Laranja

Com o novo ramal já são quatro novos empreendimentos em estudo pelo Metrô:

Linha 19-Celeste (Guarulhos-Anhangabaú): é a mais perto de se tornar realidade por conta do início do projeto básico e estudos geológicos. Ainda assim, a decisão de lançar a licitação das obras ficará para a próxima gestão estadual.

Linha 20-Rosa (Lapa-Santo André): passa por vários estudos, entre eles o de anteprojeto e também de viabilidade comercial. Por conta da grande extensão e o fato de percorrer trechos complexos, é um projeto ainda bastante incerto.

Linha 22-Marrom (Cotia-Sumaré): teve o edital de anteprojeto e estudo ambiental lançado na semana passada, mas o Metrô não sabe ainda nem mesmo que tipo de modal será usado.

Linha 16-Violeta (Oscar Freire-Cidade Tiradentes): assim como a Linha 20, percorre regiões de alto poder aquisitivo em parte do traçado além de prever uma estação de conexão em Paraíso, onde já existem duas outras linhas.

Horizonte na próxima década

Em comum, os quatro projetos de linha são importantíssimos e levarão São Paulo a atingir uma malha sobre trilhos bem perto da ideal quando forem concluídos. No entanto, não existe mágica para tirá-los do papel. Na melhor das hipóteses, a Linha 19 pode ficar pronta no início da próxima década, já as demais têm horizonte além disso, daqui a pelo menos dez anos. Isso caso o próximo governante dê sequência a elas em sua gestão.

Total
0
Shares
Antes de comentar, leia os termos de uso dos comentários, por favor
22 comments
  1. Isso é desespero pra ganhar voto! Se cada bairro que tiver uma estação ele conseguir votos… tá eleito, só não vê quem não quer.

  2. Independente do viés eleitoral, é muito importante que os estudos das novas linhas se iniciem de fato, São Paulo não pode mais perder tempo. Que o próximo governador continue as tratativas dessas linhas e consiga reativar a Linha 18 – Bronze

  3. E além desses 4 projetos citados, não podemos esquecer das extensões em estudo:

    • Linha 4 – Amarela: Vila Sônia – Taboão da Serra
    • Linha 5 – Lilás: Capão Redondo – Jardim Ângela
    • Linha 13 – Jade: Aeroporto – Bonsucesso

    1. Linha 4 será Juquitiba – Guarulhos.
      5 Lilás será Jardim Ângela – Ipiranga.
      13 Jade será Chácara Klabin – Bonsucesso.

  4. O problema está na palavra “planejamento“
    Na verdade não são planejamentos, são simplesmente “intenções”, boas até, mas passam disso.
    Não passam de exercícios acadêmicos de futurologia, que não possuem a análise da viabilidade econômica e por isso não saem do papel, pois obviamente não existem recursos previstos para sua execução.
    É um engodo e estelionato eleitoral ficar vendendo a ilusão para os incautos de que as obras serão executadas mesmo sabendo que não existe previsão de verba para tanto, nem no Estado nem na iniciativa privada.
    O que é paradoxal nesses múltiplos projetos do Metrô e CPTM que nunca saem do papel e as empresas que elaboram os projetos é que vão ser beneficiadas, nunca avançam e quando tem novidades é sempre de adiamento. O conselho para a gestão seria focar nas obras paradas e em andamento, pois estas sim tem mais possibilidades de se tornar realidade. Direcionar energia e recursos para o que já estão iniciadas e incompletas e são muitas, seria forma mais assertiva para pensar em linhas que nem do papel saíram.

    1. Não há nenhum problema na palavra planejamento pra essas linhas, todas elas já estavam no radar de estudos há alguns anos e só passaram por mais uma revisão, todas as linhas são pensadas pelo menos 10 anos de serem levadas a estudps aprofundados, ou você esqueceu que a linha 4 é planejada desde a década de 60? Ou até mesmo todas essas linhas 19, 20, 22 e 16 são planejadas e aparecem em planos desde 2010 ou até um pouco antes, repare que nenhuma delas conta prazos logo é puramente expectativa de qualquer que seja o público que acredita que isso é uma promessa.

    2. Sem planejamento, sem metrô. Simples. Se dependesse do Leoni, São Paulo não teria metrô e ficaria eternamente remendando as linhas obsoletas de bonde e de trem, pois para construir o metrô, só se fizessem planejamento (algo abominável pelo sr. Leoni).

      1. Em pleno ano eleitoral, até as eleições passadas eram proibidos o uso da máquina pública para se auto beneficiar além de bloqueados concursos públicos como para a IBGE, INSS, Eletrobrás e Petrobras, uso de data comemorativa como estes 200 anos da Independência, prometer obras que não tem condições de cumprir entre outros, da mesma forma a venda e concessões e privatizações afoitas por valores subavaliados como se está sendo feito agora, e que era considerada uma contravenção, entre outras formas de utilização eleitoral.
        Na atual situação financeira do estado é importante e imprescindível que se faça a retomada seletiva e rigorosa pelos que possuem chances consistentes e reais de retorno do investimento, e mais benefícios traga a população principalmente no atual cenário econômico, e não ficar anunciando novas linhas de forma simultânea, dispersa e aleatória como vem está acontecendo.
        Que “planejamento” é este em que se cogita em se terminar o Linha Integradora-710 uma vez que é a Linha de maior demanda superior em 21% a Linha 11-Coral, se interconecta diretamente com TODAS as Linhas do Metrô e CPTM e em que se planeja construir a Linha-20 Rosa em paralelo com terminais na Lapa e em Sto André por conta de uma concessão de um TIC para Campinas com demanda semelhante a atual Linha 13-Jade!
        A Linha Integradora-710 não interfere e nem abaixa o desempenho da Linha 11-Coral, pois elas não são concorrentes e nem utilizam as mesmas vias, é exatamente o oposto daquela informação inconsistente que você passou, pois com a chegada da Linha 2-Verde ela fará justamente a função de redistribuir o fluxo de passageiros nas integrações, ao contrário da Linha 13-Jade e novamente o planejamento técnico foi desprezado para serem tomadas medidas adaptadas sem fundamentos plausíveis, visto que a Linha 13 não previa em seu projeto original seguir até a Barra Funda sem a expansão das atuais linhas e mantidos os cargueiros da MRV no centro para justificar o vão entre as composições e a plataforma, é uma insensatez.

        1. Para Leoni, em ano eleitoral nada deve ser feito. Imaginem o estado parar seu planejamento a cada dois anos?

          O primeiro projeto da linha 4 amarela surgiu em 1943. Vários outros surgiram até a linha sair do papel. Sem planejamento, nada sai do papel, exceto medidas eleitoreiras como a linha 710, criada para enganar os passageiros do ABC.

  5. Olá amigos participantes
    Falou tudo Sr Leoni, me fez lembrar do bordão da rádio Camanducaia do inesquecível Sangirardi que dizia “Se não tem notícias, a gente inventa”, o ridículo baixou nessa eleição, algumas vezes eu vi isso acontecer, mais como agora nunca, vamos ver o que acontece no dia 02/10/22, pode ser que seja a minha saideira final das eleições.

  6. Chega a ser ridículo o que estão fazendo nessa eleição… Como o GESP não conseguiu atrasar nenhuma obra o suficiente pra ser inaugurada agora (como sempre aconteceu nos últimos anos eleitorais) estão agora usando esses anúncios… Qual próximo estudo vai ser tirado da gaveta? Linha 14? Arco Norte? TIC Sorocaba?
    Não esqueçamos o que aconteceu com a Linha 18… Que já tinha passado por todas essas etapas (e consumido uma boa grana) e foi cancelada com uma simples canetada… Temos que torcer pra isso não ocorrer com essas linhas aí também…

    1. Essa linha 16 pronta aliviaria demais a Linha 3…. acredito que essa linha junto com a L19, L20, L22 e as extenções da L4, L5 e 13 serão os próximos projetos a sairem do papel, porém só a partir de 2026, antes disso talvez saia as extenções e só.

    2. …ops, correção: “não vi” nenhum segurança andando nas plataformas, os famosos “fortões” dos anos 2000… foram extintos? rsrs…..não a toa, assaltos fora e dentro das estações, tão noticiadas nos últimos dias. Descaso total! Que o novo governante traga os tempos áureos ao nosso Metrô.

  7. Pura cascata eleitoreira, feita pra mostrar ao grande público, o que o PSDB não fez nos últimos anos: expansão real do metrô. A linha pra Santo André (nunca sairá do papel, o digníssimo Dória já o deixou bem claro), e o povo do ABC continuará a chupar dedos, o que é absurdo, devido a sua importância. Acho que deu pro PSDB: 30 ANOS NO PODER e a decadência do nosso Metrô. Fui pra SP e usei a linha Azul (disponibilizam ainda uma carroça dos anos 80 que mal ilumina o vagão), andando e parando entre as estações (coitado de quem tem horário pro seu destino) e o pior, ambulantes frequentando vagões, impensável até anos atrás e não senti segurança, não vi nenhum!

  8. Vejo que é importante eleger Rodrigo Garcia. Tarcisio é apenas testa de ferro do Valdemar da Costa Neto, mensaleiro preso. Haddad já conhecemos.

  9. Bem que poderia falar da linha 23 Limão ( Arco Norte )

    As estações que podem fazer baldeação com essa hipotética linha:

    Tiquatira ( 2/12/13 ) ( Já mencionaram )
    Curuçá ( 19 ) ( Já mencionaram )
    Santana ( 1 ) ?
    Santa Marina ( 6/20 ) ?

  10. Ao invés de construir a linha 16 Violeta seria melhor expandir a linha 6 Laranja em direção ao leste iria passar pela mesma região e não seria preciso construir um novo pátio. Isto iria economizar tempo e dinheiro. Isto não é pensar a longo prazo. Aliás a linha 19 Celeste deveria começar por Campo Belo para aproveitar o pátio Guido Caloi. Infelizmente esta gestão do governo do Estado de São Paulo é guiada mais por critérios políticos do que técnicos, não pensa a longo prazo e privilegia mais interesses privados do que o interesse público.

    1. A linha 19 vai começar de Guarulhos, pois é a segunda maior cidade do estado e extremamente carente de transporte público… Campo Belo é bairro de rico e já tem metrô, existem locais que necessitam muito mais de metrô na grande SP do que no Campo Belo.

Comments are closed.

Previous Post

Uso de máscara deixará de ser obrigatório no transporte público de São Paulo

Next Post

28ª edição da Semana de Tecnologia Metroferroviária ocorrerá entre os dias 13 e 16 de setembro em São Paulo

Related Posts