Destaques Linha 16

Metrô estuda nova linha para a Zona Leste

Com a denominação provisória de Linha 16-Violeta, ramal ligará a região de Cidade Líder aos Jardins caso seja um dia construído
Nova linha pode aliviar sistema sobretudo a Linha 3 (CMSP)

Uma das regiões mais carentes de transporte público na cidade de São Paulo, a Zona Leste deverá ganhar num futuro ainda impreciso sua quarta linha de metrô. Segundo apurou o site, o Metrô estuda uma nova linha subterrânea que ligaria a região de Cidade Líder aos Jardins. Trata-se da Linha 16-Violeta, que já constou de outros planejamentos, mas que agora teve seu percurso alterado para assumir parte da Linha 6-Laranja na sua porção leste.

De acordo com dados que o site reuniu nos últimos meses, a Linha 16 deverá partir da região de Cidade Líder, passar pelo populoso bairro de Aricanduva, seguir próximo à Vila Formosa, cruzar a Água Rasa e chegar até a região da Mooca (veja mapa aproximado). Ali ela fará conexão com a Linha 10-Turquesa da CPTM na futura estação Parque da Mooca – cotada para ser terminal de trens regionais que partirão no sentido de Santos.

Após cruzar a linha da CPTM, a Violeta passará pelas avenidas Dom Pedro I e Lins de Vasconcelos. Até aqui, o roteiro é semelhante ao da Linha 6-Laranja, mas é quando os trens seguirão mais para o sul, passando perto do Parque da Aclimação e seguindo na direção da estação Paraíso. Isso mesmo, a movimentada parada que une as linhas 1 e 2 ganharia mais um ramal. No entanto, essa hipotética estação ficaria do outro lado da avenida 23 de Maio e não na mesma estrutura da atual.

Em sua parte final, a Linha 16-Violeta surpreende por seguir por uma região de alto poder aquisitivo e que não costuma deixar o carro em casa para usar transporte público. Do Paraíso a linha desceria sentido o Ginásio do Ibirapuera quando tomaria o rumo paralelo à Paulista na altura da Alameda Lorena aproximadamente. Ela cruzaria as avenidas Brigadeiro Luiz Antonio, 9 de Julho e a rua Augusta para acabar ao lado da estação Oscar Freire, da Linha 4-Amarela, onde haveria uma nova conexão.

Rede em mutação

Antes que vocês leitores possam se empolgar com essa possibilidade é preciso frisar que os estudos do Metrô evoluem constantemente e como a janela de construção dessas linhas é demorada nada garante que esse traçado da Linha 16 será de fato utilizado no futuro. Ainda assim é interessante analisá-lo para compreender a dinâmica da região metropolitana.

A opção por desmembrar esse trecho da Linha 6 pode ter ocorrido depois que o governo do estado decidiu concedê-la no formato de PPP (Parceria Público-Privada). Como apenas o trecho São Joaquim-Brasilândia foi licitado haveria um problema caso fosse decidido prolongar o ramal até Cidade Líder. Fazer outra linha chegando à São Joaquim talvez tornasse as baldeações terríveis numa estação que nunca foi pensada para isso.

Ao seguir para Paraíso, a Linha 16 aliviaria outras linhas como a 2, com quem deve cruzar na futura estação Anália Franco, além de levar os passageiros para a Linha 1 e também Linha 4. Num futuro distante, ela também encontrará com a Linha 19-Celeste (que irá de Campo Belo até Guarulhos) na altura da avenida Brigadeiro Luiz Antonio. Outra linha, no caso da CPTM, que cruzará com a Violeta é a 13-Jade, recentemente inaugurada. Ela também tem previsão de chegar até a estação Parque da Mooca.

O possível traçado da Linha 16-Violeta

Região carente de transporte

A Zona Leste é hoje um imenso problema de mobilidade. Como região majoritariamente “dormitório”, seus moradores acabam precisando se deslocar para lugares afastados em busca de empregos ou serviços inexistentes em seu entorno. Segundo estudo da Fundação SEADE, os postos de trabalho formal equivalem a apenas 23% do total de empregados residentes ali. Ou seja, três quartos da população ativa precisa sair da Zona Leste para chegar ao seu emprego.

É por essa razão que temos hoje nada menos do que três linhas de média para alta capacidade na região e que sofrem para dar conta da demanda. Até mesmo o monotrilho, um modal de média capacidade, terá uma dura tarefa de transportar cerca de 400 mil pessoas por dia quando estiver em funcionamento pleno.

Ou seja, a Linha 16 teria potencial de tirar parte dos usuários das linhas 3, 11, 12 e 15 além do sistema de ônibus da região. Um traçado aparentemente mais produtivo do que o anterior, que apareceu em mapas futuros da rede saindo da Zona Norte (Vila Cachoeirinha) com destino final em Ipiranga.

Horizonte distante

Caso um dia a Linha 16 saia do papel, a região da Zona Leste terá então quatro linhas de metrô além de pelo menos três da CPTM. Hoje a mais movimentada linha do Metrô está lá, a Linha 3-Vermelha. Desde 2014 também temos o monotrilho da Linha 15 que apenas agora terá uma extensão e capacidade significativa. A terceira linha de metrô a cruzar a região é a Linha 2-Verde. O prolongamento até Guarulhos deve ser uma das prioridades do próximo governador – a obra está licitada e com os terrenos quase todos desapropriados.

No entanto, a Linha 16 certamente está nas últimas posições da fila do Metrô. Hoje, além da extensão da Linha 2, o Metrô deve assumir as obras da Linha 6 além de concluir as linhas 15, 17, 4 e 5. Há também o monotrilho da Linha 18 aguardando recursos para desapropriações.

Quando todas essas linhas estiverem concluídas ou encaminhadas, o governo do estado deverá decidir quais serão as próximas obras. Entre as que têm o projeto mais adiantado estão as linhas 19, 20 e 22. Ou seja, a não ser que esta nova linha se mostre mais prioritária (o que não é difícil), seu horizonte está ainda bastante distante. Até lá, quem sabe ela não entre para o rol dos traçados que não saíram do papel.

Veja também: Veja como será a nova estação Chácara Klabin da Linha 5

Monotrilho da Linha 15: com linha 16, Zona Leste pode ter quatro linhas de metrô no futuro

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

16 Comentários

Click here to post a comment
  • Ah meu caro…promessas, promessas e mais promessas…moro na zona leste…já vivi no exterior – por isso, posso dizer que conheço metrôs de verdade (Londres, Paris, Madri, Buenos Aires sim, por que não???) que não se comparam à malha e estrutura do de São Paulo – sou paulistano e, graças a Deus, tenho parâmetros para não cair em promessas que quiçá levarão tanto tempo para se concretizar que talvez nem eu nem você estejamos vivos!!!! Por favor, pense nisso…

    E para terminar, cada vez que vejo uma “nova linha” “esticando o metrô, lembro a crítica de um profissional desse setor: não é “esticando” linhas que se melhora a malha metroviária – faltam linhas circulares, linhas diretas x “pinga-pinga” – sim, não é? para os que não imaginam isso, o sistema metroviário permite isso – aliás deve isso, especialmente numa cidade tão caótica como é São Paulo…

  • Podíam fazer uma bifurcação na ponta leste até o Terminal Vila Carrão.
    A estação estaria do outro lado do terminal, mas anexo a si.
    Seria chamada Estação 19 de Janeiro ou Estação Parque Maria Luiza.
    Seria muito útil esta interligação entre o Terminal Vila Carrão e a Linha 16 – Violeta, pois há demanda.

  • Esse desgoverno só nas promessas como sempre, “esse lado de cá
    ” extremo Leste (Itaim Paulista) abandonado!!!!!!

    • Essa matéria não se trata de novas promessas. Se trata de estudos que todo poder de Estado sério tem de fazer como uma de suas atribuições, mas que de fato podem vir a sair do papel só daqui a décadas conforme haja recursos financeiros, por isso provavelmente nem veremos nas próximas eleições algum politico comentando sobre eles, porém esses estudos são essências para que futuros governos tenham o que administrar e melhorar na vida da sociedade.

  • Interessante essa linha, mas é só mais uma promessa. Como já foi dito aqui, faltam propostas de linhas circulares, que ajudariam enormemente a distribuir a demanda. Até hoje, não se viu isso no planejamento do metrô de São Paulo. Na região do centro expandido de SP, creio que há demanda para duas linhas circulares. Um círculo menor, começando na estação Tiradentes, passando em Pari, Bras, Paraíso, Oscar Freire, Marechal Deodoro, futura estação Bom retiro e fechando em Tiradentes. Neste caso a futura linha 16 terminaria em Paraíso e poderia ser extendida mais a leste passando por Jose Bonifácio e indo até o Itaim Paulista. Se pensassem em extender a L-16 ,a partir do Paraíso, poderia levá-la até a região do aeroporto de Congonhas. O segundo círculo seria maior, começando na estação Tietê, passando pelo Anhembi, Barra Funda, Pompéia, Vila Madalena, Cidade Universitária, Butantã, Cidade Jardim, Itaim, Vila Mariana Chácara Klabin, Parque da Mooca, Belém, Vila Maria, Center Norte e fechando em tietê. Propostas do metrô como a linha 19, Campo Belo-Guarulhos(poderia levá-la ao Aeroporto de Cumbica) e a linha 20, lapa-rudge ramos(poderia levá-la té a estação Santo André da CPTM) são interessantes. Seria legal também uma linha leste-oeste, passando pela Zona Norte da Cidade. Ela poderia iniciar em São Mateus, passar pela penha, parque novo mundo, santana, casa verde ,limão, freguesia do ó, domingos de moraes, alto da lapa, vila lobos,USP e raposo tavares. Neste caso,a futura linha 20 poderia ter uma pequena extensão da lapa até o limão onde se conectaria com ela.

    • Deve ter sido ué, conforme a matéria falou, novos estudos acabam apontando novas direções conforme ocorrem as mudanças da cidade com o passar do tempo.

    • Foi sim, Lucas. É comum o Metrô mudar seus planos conforme a região metropolitana evolui. Essa nova Linha 16 mesmo pode mudar no futuro ou nem sair do papel, como dissemos. O que não significa dizer que o Metrô não deve estar pensando em alguma outra linha para essas regiões.

  • No inicio dos anos 2000 aos invés de aumentarem a malha metro/ferroviaria na ZL diminuiram…

    Alguns devem se lembrar que a Linha Vermelha seria estendida até Guaianases, o que seria ótimo os moradores da região teriam 2 opções de irem ao centro, pelos trens da CPTM ou Metrô.

    Mas o que aconteceu…passaram a operação desta extensão até Guaianases a CPTM, e arrancaram os trilhos que começavam em Arthur Alvim, passando pelas estações de Itaquera e XV de Novembro, até chegar em Guaianases. E construiram uma avenida que vive engarrafada no lugar.

    • Concordo. Os dois ramais poderiam conviver. Seria mais uma opção para uma região carente de transporte,mas é aquela história de vestir um santo para cobrir outro. Em Artur Alvim, poderia haver uma bifurcação, uma: a antiga, passando pela antiga estação Itaquera e XV de Novembro; e a outra, a que construíram, ambas terminando em Guaiananazes. E ainda teria mais uma integração com a linha 3.

  • Resumindo em ano eleitoral pipocam proposta para abranger o maior número de eleitores possível , sempre voltam a iludir o pessoal da cachoeirinha com linha laranja expresso abc, metrô para Cidade Tiradentes acaba eleições… Acabam com tudo alegando falta de verba.

    • Olá, Mauricio, apenas para esclarecer, essa linha não foi divulgada pelo Metrô. Nosso site acabou sabendo da mudança do planejamento da Linha 6 Laranja e decidiu mostrar que aquele projeto que a levava até Cidade Líder não existe mais. Aliás, para ser justo, o Metrô em si não faz planejamento pensando em eleição. A equipe se baseia na chamada Pesquisa Origem e Destino que traça as principais demandas de mobilidade da região metropolitana. Por ele a prioridade de algumas linhas seria maior do que algumas que acabam sendo passadas na frente. Aí sim, nesse caso, é o braço político que acaba preterindo às vezes uma linha importante para focar em outra com mais apelo eleitoral, infelizmente.

  • Metrô passando pela aclimação e adjacencias, nada mudou, os ricos que não usam o metrô o terão em suas portas, eu desisto, o último que ficar nesse país apague a luz….

  • Não se preocupe pessoal, se isso um dia sair do papel será daqui uns 30 anos, a maioria de nós já não estará aqui….pensando no hoje a melhor coisa que fazemos é se mandar desse País….acabou…..

  • Na boa acho que o metro e a CPTM deveriam fazer projetos mais viáveis mais baratos e de longos percursos minha ideia é
    Fazer as linhas 24 marrom (Mooca – bairro dos casas) ela começaria na nova estação Mooca integrando se a linha 10 turquesa da CPTM e a linha 6 laranja do metro depois ia seguindo a av Ricardo jafet/ imigrantes em nivel elevado nas seguintes estações vila monumento, Jd gloria, santos imigrantes conectando com a linha 2 verde, chácara inglesa, bosque da saúde plaza sul futura conecção com a futura linha 20 rosa), dai seguiria por um pequeno nivel subterrâneo na estação Brasilina, depois voltava em nivel elevado na av do cursinho com as estações Jd botânico, clímax e Jd celeste, voltaria em subterrâneo em um pequeno trecho até a estação Taboão já na av de mesmo nome no município de são pernardo , seguiria o resto em elevado com a estações paulicéia, Lions essa na av lion junto a rodovia Anchieta o ramal desceria a rodovia a o lado da faculdade ficaria a estação Anchieta, depois na av onde passa o trólebus da EMTU na av Piraporinha e com uma conexão a estação Alvinópolis, depois na av Robert Kennedy com as estações independência, Embaré e Robert Kennedy, depois ia para av João café filho com a estação de mesmo nome seguia até o hospital José Alencar de mesmo nome e terminaria em um pequeno nivel em subterrâneo na estação terminal bairro dos casas, esta linha hipotética ligaria o extremo de SBc a capital paulista seria barata já que 80% do seu percurso seria em elevado,

Posts mais compartilhados

AUTOO