Em novos leilões, Metrô fecha naming rights de Saúde, mas não tem interessados por Anhangabaú

Após não aceitar proposta única no primeiro leilão, Metrô voltou a oferecer o direito de renomear estação da Linha 3-Vermelha, mas sessão pública restou deserta
Estação Saúde (Reprodução/CMSP)

O Metrô realizou nesta semana a segunda tentativa de leiloar os naming rights das estações Saúde, da Linha 1-Azul, e Anhangabaú, da Linha 3-Vermelha.

O resultado foi misto, com a empresa DSM – Digital Sports Multimedia arrematando a primeira por R$ 71.900,00 de mensalidade, enquanto a segunda teve a sessão pública encerrada nesta sexta-feira após nenhuma empresa comparecer ao local marcado pela companhia.

A estação Saúde, uma das que mais denotava potencial comercial, havia recebido uma oferta da mesma DSM em junho de apenas R$ 50 mil, valor não aceito pelo Metrô. Desta vez, a empresa de marketing apresentou uma oferta inicial de R$ 40 mil, mas após negociação o valor foi aumentado em R$ 31.900.

Já a estação Anhangabaú, de grande movimento e visibilidade, voltou a decepcionar. Ainda na primeira rodada, a companhia recebeu apenas uma oferta, de R$ 80 mil de mensalidade da DSM, após um lance inicial de R$ 55 mil. Mas o Metrô considerou o valor abaixo do aceitável e encerrou o leilão no dia 11 de junho.

Das seis estações escolhidas pela área comercial da empresa para serem oferecidas ao mercado na modalidade de “nomeação parcial”, apenas três tiveram propostas aceitas, Carrão e Penha, que foram as primeiras a serem leiloadas, e agora Saúde.

Estalão Anhangabaú (Google)

Brigadeiro, Consolação e Anhangabaú receberam propostas apenas da DSM, única empresa a se apresentar para os leilões.

O fracasso na primeira rodada nem foi bem assimilado e o Metrô decidiu colocar as quatro estações novamente em leilão, após anúncio no dia 29 de junho. Estranhamente, apenas a empresa de marketing tem se apresentado nas sessões de recebimento de propostas, o que acaba impedindo uma disputa pelos nomes.

Agora, resta saber se as duas estações da Linha 2-Verde, localizadas na avenida Paulista e tidas como bastante atraentes, terão alguma oferta dentro da margem esperada. Brigadeiro terá a sessão pública na próxima segunda-feira, 2, e Consolação, no dia seguinte, 3 de agosto.

Total
9
Shares
5 comments
  1. Legal q a simulação está escrito saúde mas na verdade é a estação São Judas na altura do número 2400 da av Jabaquara, acho q os ilustradores nao andam de metrô

    1. E o pior é que é uma edição feita em cima de uma foto que deve ser do Google Maps, eles só ignoraram e editaram por cima.

  2. Incrivel, quem tem dinheiro pode nomear algo publico! Duvido que londres nomearia a estação Londo Bridge de HSBC Londo Bridge. O neoliberalismo brasileiro é feio e ignorante

  3. Iniciativa exdrúxula e cafona essa de leiloar os nomes das estações. O metrô de São Paulo tem um giro de capital enorme (é uma mentira que precisam de dinheiro) e não precisa se humilhar desse jeito. Os gestores do metrô deviam respeitar mais a história da cidade e das estações (Anhangabaú se refere ao rio que desembocava onde hoje é o Mercado Municipal), deviam respeitar mais os passageiros, que estão acostumados com os nomes das estações e muitas vezes entendem seu significado, por fim, os gestores deviam respeitar mais a si mesmos e parar de achar que a função do serviço público é imitar as modas passageiras do setor privado. Por favor, parem de fazer esse papel ridículo.

Comments are closed.

Previous Post

Após impasse, ANAC define minuta de inclusão do projeto do People Mover de Guarulhos

Next Post

Audiência pública do Trem Intercidades ocorrerá no dia 16 de agosto

Related Posts