Estação SESC-Pompéia, da Linha 6, avança com método “VCA invertido”

Acciona utiliza a mesma forma de escavação vista na estação Santa Marina, que é considerado mais veloz
A laje da estação SESC-Pompéia: VCA invertido (iTechdrones)

A Acciona, construtora responsável pelas obras da Linha 6-Laranja, tem imprimido um ritmo bastante forte na construção da maior parte das estações do ramal. Originalmente, a ideia era que essas estações ficassem preparadas para a passagem do “tatuzão” e por isso a empresa espanhola decidiu alterar o método de escavação a fim de acelerar o processo.

No entanto, com o acidente com a “Tuneladora Sul”, em fevereiro, o cronograma de avanço sofrerá mudanças já que até o momento não há uma previsão sobre retomada das escavações dos túneis.

Apesar disso, a Acciona não tem reduzido os trabalhos nas estações mais próximas de onde está a tuneladora. Um exemplo disso, é SESC-Pompéia, que em poucos meses já conta com a laje da superfície concretada, assim como as paredes da vala, como mostram imagens aéreas do canal iTechdrones.

Assim como Santa Marina, que está pronta, à espera da chegada do tatuzão, SESC-Pompéia está escavada pelo método VCA invertido. Trata-se de uma técnica em que a vala é concretada como se fosse um “U” de cabeça para baixo, com a preparação das paredes e a concretagem da laje superior, que com isso dá estabilidade para a escavação.

A rampa que facilita o acesso de caminhões para retirada de terra (iTechdrones)

A partir daí, a construtora passa a escavar por baixo da laje, concretando novos pisos à medida que avança em direção à cota mínima da estação. Para tornar esse trabalho mais rápido é criado uma rampa para que os caminhões com material possam acessar o local com mais facilidade.

Além das duas, também estão sendo construídas pela VCA (Vala a Céu Aberto) as estações Brasilândia, Vila Cardoso e Perdizes. Já Itaberaba, João Paulo I, Freguesia do Ó, Água Branca, PUC-Cardoso de Almeida, Angélica-Pacaembu, Faap-Mackenzie, Bela Vista e São Joaquim estão sendo abertas pelo método NATM, com poços circulares.

Pelo cronograma original, a Linha 6-Laranja, com 15,3 km de extensão e 15 estações, deverá ser aberta em outubro de 2025, ou seja, restam pouco mais de três anos para isso.

Total
1
Shares
2 comments
  1. Olha se não fosse o maldito interceptor da Sabesp zoando tudo com toda certeza a acciona inauguraria a linha antes do prazo, eles são muitos eficientes.

Comments are closed.

Previous Post

Testes com CBTC na Linha 3-Vermelha já começaram

Next Post

Estação Curuçá, da Linha 19-Celeste, poderá receber integração com a futura Linha 23-Limão

Related Posts