As vistorias constantes das obras pelo secretário Alexandre Baldy e os presidentes do Metrô e CPTM tornaram-se uma praxe na gestão Doria. Com intervalos de algumas semanas, os executivos têm percorrido canteiros para mostrar a evolução dos trabalhos por meio de suas redes sociais, o que tem sido uma forma de acompanhar o ritmo desses projetos já que outros canais do governo acabam não repercutindo esses fatos por razões desconhecidas.

Uma das recentes visitas de Baldy e do presidente da CPTM, Pedro Moro, foram às obras da expansão da Linha 9-Esmeralda, no sul da capital paulista. Trata-se atualmente do único trecho de ampliação da CPTM após a entrega da Linha 13-Jade. A companhia, que tem outro projetos em mãos, como a continuação das obras da linha do aeroporto e também outros ramais em seus planos, não foi agraciada ainda com investimentos da gestão Doria nesse sentido. E deve perder parte de sua rede com as concessões das linhas 7-Rubi (em conjunto com o Trem Intercidades), 8-Diamante e 9-Esmeralda, essas duas em uma licitação conjunta.

O projeto, que contempla 4,5 km de prolongamento e duas estações, têm previsão de entrega entre o final de 2020 e 2021. A primeira das duas estações a ser entregue é Mendes-Vila Natal, que vem na sequência da estação Grajaú, atual terminal do ramal. Nas imagens e vídeos disponibilizados pelo governo, é possível ver o avanço da cobertura metálica da plataforma além de trabalhos internos em seu mezanino.

Segundo Baldy, os trabalhos estão avançando em dois viadutos, o Micronésia e o Jocopo Torriti, que eliminarão passagens de nível que interromperiam as vias se continuassem funcionando. A CPTM também está ampliando uma subestação de energia na região para garantir o fornecimento de mais 8 megawatts de potência necessários para operar o novo trecho. Em maio, quando anunciou a retomada das obras, o governo previu entregar Mendes-Vila Natal em até 18 meses, o que aponta o final do ano que vem como prazo.

Já Varginha vive outra realidade. A futura estação terminal da Linha 9 não havia sido retomada até poucas semanas atrás por falta de recursos repassados pelo governo federal. Desde então, há relatos da presença da construtora que fará a obra nos canteiros, ainda em atividades preparatórias para reinício dos serviços. Não por acaso, a visita de Baldy e Moro não incluiu uma passagem por ela, ao menos como se deduz do material fotográfico divulgado. Segundo a previsão do governo, ela deverá ser concluída no final de 2021.

Estrutura metálica da cobertura da estação toma forma (GESP)

Leia no Lulica
Insônia, aumento de apetite, problemas de visão 29/9/2020