Instalação de 88 fachadas de portas de plataforma no Metrô só deve ser concluída em 2025

Contrato com o consórcio Kobra teve o prazo de execução postergado em 14 meses após adiamentos causados por imbróglio judicial
Portas de plataforma na estação Vila Matilde, da Linha 3 (Jean Carlos)

A conclusão da instalação de 88 fachadas de portas de plataforma em 38 estações das linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha só deverá ocorrer em abril de 2025. Na semana passada, o Metrô de São Paulo assinou o primeiro aditivo com o consórcio Kobra, responsável pelo projeto, e que teve o prazo de execução adiado em 14 meses.

Até então, a conclusão dos serviços deveria ocorrer até fevereiro de 2024, embora o governo do estado tenha chegado a afirmar que o trabalho seria concluído até o final deste ano em algumas ocasiões.

No aditivo, o Metrô não explica os motivos da mudança, mas o fato de o contrato ter sido suspenso por vários meses por conta de processos judiciais certamente pesaram na decisão. Apenas há poucos meses, o Kobra, formado pelas empresas Husk Eletrometalúrgica, MG Engenharia e Construção, Samjung Tech e Woori Technology, começou a preparar as plataformas de algumas estações da Linha 3 para receberem as estruturas.

Não houve alteração no valor a ser pago ainda, mas é pouco provável que não haja uma majoração nos preços já que a licitação é bastante antiga e nesse meio tempo a cotação do dólar subiu bastante.

O consórcio Kobra iniciou a preparação das plataformas de Belém e Bresser-Mooca para receber as PSDs

Confira as estações que serão contempladas com os equipamentos:

Linha 1-Azul: Parada Inglesa, Jardim São Paulo, Santana, Carandiru, Portuguesa-Tietê, Armênia, Tiradentes, Luz, São Bento, Sé, Liberdade, São Joaquim, Vergueiro, Paraíso (plataformas das linhas 1-Azul e 2-Verde), Ana Rosa, Vila Mariana, Santa Cruz, Praça da Árvore, Saúde, Conceição e São Judas.

Linha 2-Verde: Consolação.

Linha 3-Vermelha: Marechal Deodoro, Santa Cecília, República, Anhangabaú, Sé, Pedro II, Brás, Bresser-Mooca, Belém, Tatuapé, Carrão, Penha, Guilhermina-Esperança, Patriarca e Artur Alvim.

Destas, as primeiras a entrarem em operação serão Bresser-Mooca, Belém, Pedro II, Carrão, Guilhermina Esperança e Tatuapé.

Total
10
Shares
2 comments
  1. E só uma estação da L2. Sabe se há outro contrato, Ricardo? O presidente Silvani insiste em dizer que todas as estações terão portas, mas não diz se há outro contrato só para a L2.

Comments are closed.

Previous Post

CPTM assina o segundo termo aditivo para reparar o sistema de radiocomunicação

Next Post

CPTM reduz tempo de viagem da Linha 11-Coral em até 7 minutos

Related Posts