Justiça não paralisou obras da Linha 2-Verde do Metrô, como diz a grande imprensa

Determinação de juiz envolve apenas o Complexo Rapadura; demais canteiros seguem funcionando, como a futura estação Vila Formosa
Obra da estação Vila Formosa, da Linha 2-Verde (iTechdrones)

Em mais um caso de descuido e imprecisão da grande imprensa, vários veículos como Folha, UOL e Globo afirmaram incorretamente que as obras da Linha 2-Verde foram paralisadas por decisão da Justiça. Embora o conteúdo desses artigos explique que se trata apenas do Complexo Rapadura, por conta do impasse a respeito da derrubada de árvores numa praça, as manchetes dizem claramente que as obras de expansão até a Penha foram suspensas, o que é um imenso desserviço, visto que os trabalhos continuam, como mostra o site aqui.

Vale dizer ainda que a determinação do juiz José Eduardo Cordeiro Rocha foi a de que o Metrô “se abstenha de realizar qualquer movimentação de terra na área do ‘Complexo Rapadura ou mesmo o corte de árvores“. Na prática, a obra ainda não começou no local já que a mobilização dos moradores ocorreu justamente nos dias em que o consórcio responsável pelo canteiro iniciava a instalação de tapumes e corte da vegetação, e que foi suspensa pela companhia.

Com 8 km de extensão e oito estações, a obra de expansão da Linha 2-Verde não se resume ao complexo, é claro. Por essa razão é importante combater esse tipo de desinformação, infelizmente por parte de quem mais deveria dar o exemplo. Vários outros canteiros do projeto estão sendo montados e preparados para início das escavações, como é o caso da futura estação Vila Formosa, mostrada em vídeo pelo canal iTechdrones recentemente.

No local é possível ver a mureta que contorna o futuro poço que servirá de acesso principal da estação, a primeira a receber a visita do “tatuzão”, o equipamento que escavará os túneis e que está sendo fabricado na Alemanha. Outras estações também já começaram a receber funcionários e estrutura para o início dos trabalhos, embora num ritmo mais lento.

Terreno onde será feito o Complexo Rapadura: obras nem tiveram início (iTechdrones)

Com custo de cerca de R$ 5 bilhões, a atual fase de expansão será inaugurada em duas partes, a primeira em 2025 e a segunda em 2026, atraindo cerca de 377 mil passageiros por dia útil ao ramal. O governo estadual conseguiu autorização do Ministério da Fazenda para fechar um empréstimo com o banco CAF no valor de US$ 550 milhões em dezembro e agora finaliza os trâmites para receber o valor, suficiente para garantir a execução do projeto.

Entretanto, se o impasse do Complexo Rapadura se prolongar, de fato poderemos ver as obras atrasarem já que o local é crucial para que as escavações dos túneis sejam feitas dentro do prazo e não afetem outros lotes. No dia 2 de março, o Metrô, a Cetesb e o Ministério Público farão uma audiência de tentativa de conciliação perante o juiz a fim de buscar uma solução negociada para evitar mais uma judicialização.

Nota do editor: a data da audiência foi postergada de 4 de fevereiro para 2 de março pela Justiça.

Total
9
Shares
Previous Post

Baldy reafirma promessa de entregar Linha 17-Ouro do Metrô no ano que vem

Next Post

Primeiro “tatuzão” da Linha 6-Laranja do Metrô começa a ser montado

Related Posts