Destaques Linha 15 Metrô de São Paulo

Monotrilho da Linha 15-Prata continuará sem operar por tempo indeterminado

Ramal do Metrô, que está fora de serviço desde o dia 29 de fevereiro, tinha previsão de voltar a funcionar nesta segunda-feira, 23
Monotrilho da Linha 15: suspenso indefinidamente (GESP)

A Secretaria dos Transportes Metropolitanos (STM) confirmou ao jornal Bom Dia São Paulo há pouco que a Linha 15-Prata do Metrô continuará sem operar por tempo indeterminado. Até então, havia a previsão de retorno parcial do serviço nesta segunda-feira, 23 de março.

Segundo o governo do estado, a decisão foi tomada diante da queda brutal na demanda de passageiros por conta da pandemia do coronavírus. Na semana passada, as linhas 1, 2 e 3 do Metrô perderam quase metade de seus passageiros e o cenário era de uma redução ainda maior assim que novas medidas de contenção sejam implementadas nos próximos dias.

O ramal de monotrilho está parado desde 29 de fevereiro, dois dias após um pneu estourar em um dos trens e partes serem projetadas no solo. Após vários dias de testes e simulações, o consórcio CEML, do qual faz parte a Bombardier, fabricante do trem, identificou problemas nas vias e rodas e pneus. As empresas prometeram corrigir os problemas à medida que peças de reposição fossem enviadas ao Brasil e as composições, liberadas para o serviço.

Segundo o secretário da pasta, Alexandre Baldy, a ideia era que os trens voltassem a circular aos poucos a partir de hoje e de forma total no dia 16 de abril, mas o agravamento da pandemia em São Paulo deve acabar proporcionando tempo suficiente para que o consórcio execute as modificações necessárias para que a Linha 15 volte a operar com segurança. Nesse período, o IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) também fará a análise das causas do incidente em uma investigação independente contratada pelo Metrô.

No fim de semana, foi possível avistar composições circulando em baixa velocidade em alguns trechos do ramal de 13 km, o que fazia crer que a promessa seria mantida. Até antes do incidente no dia 27 de fevereiro, a Linha 15-Prata atraía cerca de 116 mil viagens diárias com pico de 122 mil usuários em dias úteis. O serviço PAESE, com ônibus gratuitos, continua funcionando entre São Mateus e Vila Prudente, para levar os passageiros que usariam o monotrilho.

Linha 15: recorde e paralisação em seguida (GESP)

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

Airway