Responsável pelas obras da Linha 17, Coesa tem nova sócia no projeto, a KPE

Construtora conquistou contrato de obras civis complementares do ramal de monotrilho após disputa judicial e iniciou serviços em dezembro passado. Ritmo, no entanto, estaria aquém da meta de entrega em 2022
Obras da Linha 17 na Marginal: Coesa assumiu trabalhos em dezembro de 2020 (CMSP)

Vencedora da licitação de obras civis da Linha 17-Ouro do Metrô, a Coesa Engenharia recebeu o reforço de um novo sócio no projeto, a KPE Performance em Engenharia. As duas empresas passaram a formar o Consórcio Monotrilho Ouro, conforme aditivo assinado na sexta-feira, 30.

A mudança na composição dos fornecedores do Metrô não afetou prazos e orçamento do projeto, que continua previsto para ser entregue em 2022, segundo declarações do governo Doria.

Segundo assembléia geral realizada em março deste ano, a KPE passou a ser sócia da OAS e da Coesa Engenharia, graças uma troca de ações divulgada no final de maio.

O site questionou o Metrô sobre a razão da mudança. Em contato por telefone, a assessoria de imprensa afirmou que a decisão de criar um consórcio com a KPE foi tomada pela Coesa e aceita pela companhia, que reforçou ainda que o aditivo não muda o escopo do contrato, prazo e valores.

Resta entender se envolve apenas uma questão burocrática ou se pode ser algum tipo de reforço financeiro para que as obras ganhem ritmo, já que em cerca de oito meses de trabalho os avanços foram modestos.

Como tem sido mostrado aqui, a Coesa executou serviços pontuais em alvenaria e acabamento, sem que outras áreas importantes como as estruturas metálicas ou, sobretudo, o lançamento das vigas-trilho faltantes tenha sido iniciado.

A empresa até começou a preparar a área ao lado da Marginal Pinheiros no semestre anterior, mas depois não houve sequência nas intervenções.

Estação da Linha 17-Ouro (CMSP)

Vitória na Justiça

Segundo relatório de projetos do Metrô divulgado dias atrás, o projeto da Linha 17-Ouro só teve 10% do orçamento de 2021 utilizado no primeiro semestre, bem abaixo do esperado para uma obra que é prometida para o final do ano que vem.

A licitação de obras civis foi lançada pelo Metrô em junho de 2019 após o afastamento do Consórcio Monotrilho Integração. Apesar de a Constran ter feito a proposta mais barata, a Coesa levou o caso à Justiça alegando que a concorrente não atendia aos requisitos do edital.

Após uma longa batalha na Justiça, que incluiu acusações de que a Coesa também não teria condições de assumir o contrato por conta de dívidas e falta de faturamento, a empresa, que é controlada pela OAS (em recuperação judicial), acabou levando o certame.

Em dezembro do ano passado, o governador João Doria assinou a ordem de serviço, prometendo entregar o monotrilho até dezembro de 2022.

Atualizado às 16:25 para acrescentar resposta do Metrô.

Total
8
Shares
4 comments
  1. Segundo postagens de funcionários da Coesa no Linkedin, agora em agosto começará a instalação das escadas rolantes em algumas estações. Veremos.

    1. Mano eu trabalhei nessa coesa sai dela tem 1 mês até hoje não acertaram comigo e mais um monte que saio no mesmo dia tá atrasando condução nao pagam no dia certo já teve greve por causa disso e eles continuam só enrolando falam que vai pagar e nada

Comments are closed.

Previous Post

Mendes-Vila Natal abrirá no dia 10 de agosto e João Dias, em setembro, diz secretário

Next Post

CPTM conclui a segunda via da estação João Dias

Related Posts