Tatuzões da Linha 6-Laranja farão escavação entre 2022 e o começo de 2024

Afirmação foi revelada pela Secretaria dos Transportes Metropolitanos citando a Acciona, construtora do ramal de 15 km
As primeiras peças do tatuzão da Linha 6 no poço Tietê (STM)

A escavação dos cerca de 15 km de túneis da Linha 6-Laranja do Metrô deverá levar dois anos e começar no primeiro trimestre de 2022 com previsão de conclusão no início de 2024. A afirmação foi feita pela Secretaria dos Transportes Metropolitanos nesta sexta-feira, citando a a Acciona, responsável pela obra.

Até então, a construtora espanhola previa que os trabalhos de escavação começariam no final deste ano. A empresa já iniciou a montagem da primeira de duas tuneladoras, como mostrou o site há duas semanas. Os módulos do shield estão sendo içados para dentro do poço Tietê, onde o equipamento será preparado para iniciar os trabalhos em direção à estação São Joaquim.

A obra da Linha 6 conta com dois equipamentos desse gênero por conta da necessidade de escavar solos diferentes: enquanto o tatuzão que passará por regiões como Pompéia, Perdizes, Higienópolis e Bela Vista avançará em um subsolo mais argiloso, o segundo encontrará rochas em seu caminho. A tuneladora Sul tem a missão de escavar 9.505 metros enquanto a Norte, 5.225 metros. Segundo a STM, a primeira tuneladora deve avançar entre 13 e 14 metros por dia enquanto a segunda, no sentido norte, escavará por volta de 8 a 9 metros por dia.

Ao prever o fim das escavações para dentro de três anos, a Acciona terá então pouco mais de um ano para concluir a construção das estações e instalação de sistemas a fim de iniciar a operação da Linha 6 durante 2025. É um cronograma um pouco apertado visto que o trabalho do shield costuma passar por atrasos causados por imprevistos – a Linha 5, por exemplo, teve problemas com tubulações gás e rachaduras em prédios próximos.

Ao contrário de outras obras convencionais, no entanto, o prejuízo pelo atraso na entrega do ramal recai sobre a própria Acciona que terá menos tempo para explorá-lo comercialmente. Por isso espera-se que a empresa consiga acelerar as escavações, como fez no Metrô de Quito, no Equador.

Estação Santa Marina em janeiro de 2021 (iTechdrones)

Estação Santa Marina perto de início de escavações

Como explicamos anteriormente, para que o trabalho de escavação dos túneis possa evoluir é preciso que a Acciona prepare o fundo das valas e poços e estações no caminho do equipamento. Por essa razão, a primeira estação que receberá a tuneladora, Santa Marina, já começa os preparativos para iniciar a retirada de terra.

Imagens gravadas pelo canal iTechdrones nesta semana mostram uma perfuratriz e uma escavadeira posicionadas no canteiro, além de estruturas metálicas que serão usadas na concretagem das paredes do poço. Na imagem acima é possível notar no parte inferior (em cinza escuro) o mecanismo de escavação que será usado pela máquina amarela (no alto). A vala de Santa Marina já estava delimitada desde os tempos da concessionária anterior, a Move São Paulo.

É possível estimar que o fundo dessa estação deverá estar concretado até meados de 2022, tempo suficiente para a chegada do tatuzão.

Total
18
Shares
Previous Post

Estação Paulista da Linha 4-Amarela ganhará entrada pela rua Bela Cintra

Next Post

People Mover do Aeroporto de Guarulhos deve ter autorização em março, afirma Baldy

Related Posts