Armazenados há mais de quatro anos, os dois tatuzões da Linha 6-Laranja em breve começarão a ser montados, nos preparativos para iniciar as escavações dos túneis da ramal de metrô. Segundo declarações da Acciona, construtora que controla a concessionária Linha Universidade, as tuneladoras devem começar seu trabalho no 4º trimestre de 2021. A montagem no fundo do poço Tietê será iniciada ainda no primeiro trimestre do ano que vem, assim como o trabalho em vários estações.

Com 15 km de extensão, a Linha 6 precisará de dois shields diferentes. Enquanto um deles seguirá no sentido São Joaquim e escavará 10 km de solos arenosos, o outro irá em direção ao pátio Morro Grande, avançando sobre terreno rochoso numa distância de 5 km. Por isso, cada um terá uma roda de corte específica para esse trabalho.

As máquinas com 120 metros de comprimento foram compradas pelo consórcio Move São Paulo de um fabricante francês que na época os montou na China. Elas foram entregues em 2016, pouco antes da concessionária suspender as obras. As aduelas, anéis que formam o revestimento dos túneis, estavam sendo fabricados num terreno próximo ao Rodoanel Norte e devem ter os trabalhos retomados.

Ainda segundo a construtora, no primeiro semestre de 2021 serão iniciadas as escavações das estações Brasilândia, Vila Cardoso, Itaberaba, João Paulo I, Santa Marina, Freguesia do Ó, Água Branca, PUC (Cardoso Almeida) e Angélica (Pacaembu).

A Acciona também fez um balanço da retomada após o dia 6 de outubro. De acordo com ela, foram realizados nesse período, a contratação de mais de 200 funcionários, a adequação do canteiro VSE Tietê (onde ficarão as equipes administrativas e por onde saem os shields), a reforma do canteiro Guaicurus  (onde serão feitos os processos seletivos e treinamentos de equipes), reforma e adequação do canteiro Santa Marina, limpeza e remoção de lixo e entulho de todos canteiros e recuperação, manutenção e pintura de tapumes (com conclusão prevista para 15/12), além do isolamento de canteiros de obras, entre outros.

“Estamos totalmente empenhados com a melhoria da mobilidade urbana da cidade de São Paulo por meio deste projeto e demos início as ações no mesmo dia que assinamos o contrato. Temos certeza que, em pouco tempo, a população já vai começar a perceber a movimentação. No entanto, é importante salientar que o cronograma contempla etapas técnicas muito importantes, que nem sempre podem ser notadas e é por isso que estamos divulgando nosso primeiro balanço de trabalho. Com ele reafirmamos nosso compromisso de transparência com a população de São Paulo”, disse André De Angelo, Diretor País da ACCIONA Brasil.

Entrega em 2025

A Acciona tem como meta concluir a construção do ramal de 15 estações em 2025. As condições para isso existem já que pontos complexos estão resolvidos como as desapropriações e os primeiros poços que receberão os tatuzões. É uma situação diferente da extensão da Linha 2-Verde, cujo tatuzão foi encomendado na semana passada e só deve chegar ao Brasil no final de 2021. A montagem, se não houver imprevistos, ocorrerá em 2022, quando então será dado início à escavação da primeira fase, com 4,2 km de extensão.

A construtora espanhola aposta na sua experiência com os shields – no Metrô de Quito, a Acciona afirmou que chegou a perfurar 1,5 km de túneis por mês, um ritmo muito superior ao obtido em São Paulo na Linha 5-Lilás.

O poço Tietê e os toldos que abrigam os tatuzões da Linha 6-Laranja (iTechdrones)