Destaques Linha 5

Veja imagens das obras da Linha 5-Lilás em julho

Estações Alto da Boa Vista, Borba Gato e Brooklin começaram a receber detalhes de acabamento externo
Vista aérea da estação Brooklin
Vista aérea da estação Brooklin
Vista aérea da estação Brooklin
Vista aérea da estação Brooklin

A menos de um ano da prometida abertura das primeiras novas estações da Linha 5-Lilás, o Metrô divulgou mais imagens das obras feitas no mês de julho. Elas mostram que as três estações mais adiantadas já começam a receber acabamento externo e estão no fim das obras civis.

Alto da Boa Vista e Borba Gato, por exemplo, já estão preparando o piso da superfície com materiais impermeabilizantes, etapa antes de ser feito o paisagismo no exterior. Internamente, é possível ver a aplicação do piso em alguns andares além de escadas fixas prontas.

Já Brooklin, a estação com obras mais adiantadas, já exibe o imenso domo circular do acesso principal, com quase todos os vidros fixados. O prédio técnico também já está sendo preparado para receber revestimento. As três devem ficar prontas em julho de 2017 e, possivelmente já serão operadas por uma concessionária privada.

Tão importante quanto essa etapa é a instalação dos trilhos e sistemas nas vias a partir do poço Conde de Itu, que fica a poucos metros da ligação com a estação Adolfo Pinheiro, ponto final da linha hoje. Boa parte do percurso até o VSE Roque Petrela, no Brooklin, já conta com trilhos e algum preparo para que sejam instalados o sistema de alimentação de energia e de comunicação.

Vista aérea da estação Alto da Boa Vista
Vista aérea da estação Alto da Boa Vista

Correria em Santa Cruz

No outro trecho da obra, algumas estações também entram na reta final, sobretudo Chácara Klabin, onde será feita a conexão com a Linha 2. Ela é a quarta mais adiantada, atrás apenas das citadas acima. Depois, as duas estações na Avenida Ibirapuera já contam com boa parte das obras civis realizada: Moema e Eucaliptos. AACD-Servidor é outra que já está com o piso na superfície praticamente concluído.

Já as duas estações que tiveram de ser abertas por poços circulares, Hospital São Paulo e Santa Cruz, estão um pouco para trás. A primeira já revestiu o túnel de embarque, mas ainda trabalha nos acessos. Já Santa Cruz é o grande desafio no momento. Embora esteja mais à frente de Campo Belo, a estação que fará a ligação com a Linha 1-Azul é estratégica para que a linha chegue à região da Vila Mariana.

Segundo uma fonte no Metrô, euquanto Santa Cruz não ficar pronta, Chácara Klabin não será aberta por risco de desequilíbrio no fluxo de passageiros na região. E a tarefa não será fácil se o Metrô quiser mesmo entregar esse trecho no final do ano que vem. Embora já escavada, Santa Cruz ainda precisa finalizar a plataforma de embarque, os pisos do acesso principal e também dois túneis que farão a ligação entre a plataforma sentido Tucuruvi da Linha 1 e a nova linha.

A ligação entre as duas será mais complexa do que na Chácara Klabin porque a antiga estação da Linha 1 nunca foi pensada para ter acessos para outro ramal. Com isso, foi preciso rearranjar salas e liberar espaço para que futuramente os passageiros possam sair da plataforma em direção à Linha 5 sem conflito com quem sairá do Metrô.

Veja também: MetrôCPTM percorreu os túneis da Linha 5 de bicicleta

Leia no Lulica
O que esperar ao mudar-se para a “terra da rainha” 26/8/2020

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

Airway