Baldy diz que tempo de viagem entre Francisco Morato e Luz pode cair para 43 minutos

Tempo do percurso da Linha 7-Rubi chegava a 53 minutos e caiu para uma média de 47 minutos atualmente
Nova estação de Francisco Morato: (CPTM)

A viagem entre Francisco Morato e a estação da Luz, em São Paulo, pode chegar a ser feita em 43 minutos no futuro, afirmou o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy. A informação foi revelada em uma resposta a um seguidor de seu perfil no Instagram nesta quinta-feira, 15.

O percurso da Linha 7-Rubi era feito em até 53 minutos antes de mudanças realizadas pela CPTM para otimizar a operação. Com isso, se a meta for atingida, haverá uma redução de quase 20% no tempo de viagem, ou 10 minutos a menos.

O secretário, no entanto, não explicou como a companhia fará esse aprimoramento nas vias e operação. “E os trabalhos continuam, pois nosso objetivo é trazer o tempo de viagem entre 43 a 47 minutos! Ontem levei 47 minutos de Morato a Luz”, afirmou Baldy, que visitou a nova estação Francisco Morato, inaugurada enquanto estava licenciado do cargo.

O executivo dos Transportes Metropolitanos ainda disse que a obra da estação estaria parada quando a gestão Doria assumiu o governo em janeiro do ano passado, enaltecendo suas realizações.

Concessão à vista

A melhora na qualidade do serviço na Linha 7 envolveu trabalhos no fornecimento de energia e eliminação das chamadas cautelas, trechos onde havia redução de velocidade por conta de problemas nas vias, por exemplo. Além disso, o ramal passou a operar apenas com novos trens, a Série 9500 fabricada pela Rotem. Mais potentes, eles melhoraram o desempenho geral do carrossel, permitindo que as viagens sejam realizadas em menos tempo.

As etapas de implantação da concessão do TIC, TIM e Linha 7-Rubi (Reprodução)

Apesar do avanço, pairam dúvidas sobre a duração desse quadro já que o governo do estado está prestes a leiloar a Linha 7-Rubi dentro do pacote do Trem Intercidades até Campinas e futuramente Americana. Nesse cenário de concessão privada, os planos já divulgados pela STM envolvem a eliminação da extensão entre Morato e Jundiaí, que será substituída pelo serviço Intermetropolitano, e também o encurtamento da linha da CPTM que passaria a operar até a estação Palmeiras-Barra Funda.

Se isso de fato ocorrer, os passageiros que hoje embarcam em Francisco Morato terão de realizar uma transferência para outras linhas como a 3-Vermelha ou 11-Coral, que deve ser estendida até lá. Baldy, inclusive, prometeu novidades sobre esse assunto “em breve”.

Total
3
Shares
5 comments
  1. Absurdo incurtar uma das linhas com maior demanda da CPTM sem alternativas….a linha 6 ainda vai levar vários anos para ficar pronta e terá pelo menos 1 ano de exaustivos protocolos de testes do CBTC até começar a operar de forma integral…..

    Linha vermelha vai penar com o incurtamento da linha 7…

    ainda bem que isso está bem longe de acontecer e os planos podem mudar

    Agora…se for substituido por um trem expresso….ai não tem problema o parador pinga pinga terminar em Barra funda.

  2. Trens Metropolitanos devem ser prioritários em relação aos Trens Intercidades, pois beneficiam um número muito maior de usuários diariamente, esta importantíssima constatação deve ser levada em conta antes de se fazer uma concessão, para demonstrar isto vejamos os números:

    De acordo com dados da própria CPTM, foram as seguintes as demandas mensais das Linhas 7-Rubi e 10-Turquesa no ano de 2020;
    Fevereiro (antes da pandemia) – Linha 7- ~7.700 mil , linha 10- ~7600 mil
    Agosto (durante a pandemia) – Linha 7- ~5.070 mil , linha 10- ~4800 mil, ficando comprovado que não existe praticamente diferenças entre elas.

    As estimativas de demanda é de que os Trens Intercidades, atinjam no máximo 15% deste total.
    Deveriam ser reunificadas as Linha 7-Rubi, e Linha 10-Turquesa (esta injustificável mutilação crescente foi após a criação da CPTM), a começar pelos sábados, domingos e feriados, retirado aquele Expresso ABC aos sábados, pois estas linhas sempre foram uma só como eram no passado com terminais em Francisco Morato / Pirituba, e Mauá / Rio Grande da Serra, a prioridade da reconstrução das Estações Lapa e Água Branca da futura Linha 6-Laranja do Metrô, Estação Bom Retiro, Nova Luz e Pari esta reversão será perfeitamente viável também nos dias úteis, os gestores tem que entender que o investimento deve ser voltado para a construção e reforma das estações, embora a implantação de um sistema de sinalização seja um avanço, o CBTC (Communications Based Train Control), permite a redução no intervalo da linha com a consequente acréscimo de mais trens na operação, ele é insuficiente, da mesma forma como a simples troca de trens, e sempre dando prioridade para as linhas de maior demanda.

Comments are closed.

Previous Post

Veja imagens aéreas dos canteiros de obras da Linha 6-Laranja

Next Post

Governo do estado espera atrair mais de R$ 10 bilhões em investimentos em concessões sobre trilhos

Related Posts