CPTM Destaques Metrô de São Paulo VLT da Baixada Santista

Após sugestões de usuários, Metrô altera mapa de linhas

Publicada no final do ano, nova versão está mais limpa e de fácil leitura, mas ainda não foi adotada pela CPTM e EMTU
O mapa que inclui o VLT de Santos sugerido por Paulo Keller (Reprodução)

Desde o final do ano passado, o Metrô de São Paulo tem divulgado um novo mapa da rede de transporte com visual mais limpo e organizado. As mudanças coincidem com sugestões que vários usuários enviaram para a Secretaria dos Transportes Metropolitanos nos últimos meses, muitas delas por meio do perfil do secretário Alexandre Baldy.

O executivo, inclusive, aparece respondendo e agradecendo pelas ideias, mas não se sabe de fato se as sugestões levaram o Metrô a alterar o estilo do mapa de linhas, mas a notícia é boa para o passageiros já que o resultado é claramente superior às versões anteriores.

Embora tenha perdido algumas informações como estações com bicicletários (informadas por um círculo azul) e trajetos de trens turísticos, a ilustração ganhou em clareza. Estações de conexão, por exemplo, agora são mostradas pelo círculo na cor da linha. A espessura da Linha 15-Prata, de monotrilho, que antes era menor, passou a serguir o padrão de outros ramais, facilitando sua visualização.

Há também novidades como a informação de tempo médio de caminhada entre pontos de ônibus de corredores e estações, além de símbolos mais compreensíveis sobre terminais de ônibus, o zoológico (cujo serviço Orca foi suprimido) e as estações de onde saem o expresso turístico. Por falar em expresso, o Airport Express, que sai da estação da Luz é talvez o único ponto pouco claro no novo mapa já que ele é indicado apenas por um círculo enquanto o Connect, outro serviço expresso, conta com uma linha num mais claro de verde.

Mudanças nos mapas de trilhos de São Paulo

VLT de Santos

As mudanças são bem-vindas, afinal a rede de linhas em São Paulo tem crescido nos últimos anos, o que torna a informação cada vez mais importante. Uma sugestão nesse sentido poderia usar o exemplo do Metrô de Londres que oferece várias versões de seu mapa, algumas mais simples e outras com serviços mais específicos. Ao mesmo tempo falta um alinhamento entre as companhias do governo já que CPTM e EMTU ainda não atualizaram suas versões.

A abertura da STM para novidades como essas pode até mesmo incluir uma informação curiosa, o mapa de estações do VLT da Baixada Santista. O usuário Paulo Keller sugeriu a ideia ao secretário Baldy argumentando que muitas pessoas utilizam o metrô para chegar a estação Jabaquara e tomar ônibus para Santos e não sabem da existência do sistema de VLT. Keller até enviou ao site um mapa incluindo a linha de veículos leves sobre trilhos.

Em funcionamento desde janeiro de 2016, o VLT deve ser expandido nos próximos anos, o que ampliará sua importância na mobilidade da região, o que pode ser um bom motivo para incluí-lo no mapa, sem dúvida.

A STM poderia seguir o exemplo do metrô de Londres que tem vários tipos de mapa como o que mostra o tempo de caminhada entre estações (TFL)

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

10 Comentários

Click here to post a comment
  • Obrigado por publicar minha sugestão, pois a população da Baixada Santista, mesmo estando em outra região Metropolitana é muito dependente das ligações com a capital. Assim como favorece os turistas a utilizarem o transporte público no litoral, Descongestionando assim as ruas de Santos.

  • Está ótima está ideia do governo de São Paulo investir no transporte público.
    Todavia, espero que o Sr. Dória não use estes projetos pra se promover politicamente.
    Já assistimos este filme, várias vezes.

  • Acho que não tem nada a ver incluir o VLT no mapa, afinal o mapa é do transporte da Região Metropolitana de São Paulo e não da Região Metropolitana da Baixada Santista. Outra coisa que também discordo é colocar o símbolo da Estrada de Ferro Campos do Jordão, que obviamente também não está na RMSP.

  • Não sei quem é pior: quem sugere colocar um sistema que não tá nem na mesma cidade ou quem aceitar essa estupidez.

  • Achei legal o mapa mas tem uma coisa que ficou estranha. Ele mostra a linha 13 jade saindo de Eng Goulart e o serviço Connect saindo do Brás. Porém o serviço da Luz é mostrado somente com um ícone. Não deixa claro que há essa opção também.
    Outra coisa, por que não mostram o expresso Tiradentes? Ainda mais que BRT tá na moda agora.

  • Se o VLT de santos aparecesse no google maps ja ajudava. Pior que aparece no apple maps que ninguém usa. Vai entender…

  • Eu não vejo problema em incluir o VLT São Vicente no mapa, porém esse deverá ser renomeado para Sistema de Transporte SP, visto que foge, com tal inclusão, da Região Metropolitana de São Paulo. Além do mais, acredito que todos os sistemas BRT que existem na RMSP ou dentro de São Paulo, sejam eles municipais ou intermunicipais, devam ser incluídos no mapa, como citaram o BRT da Cidade Tiradentes.

Airway