Baldy leva ministro do TCU para conhecer a Linha 13-Jade

Avatar
Ministro Vital do Rêgo é relator do projeto do People Mover que ligará o Aeroporto de Guarulhos ao ramal da CPTM. Processo, no entanto, continua distante do julgamento, conforme apurou o site
O ministro Vital do Rêgo (segundo da esquerda para direita) e o secretári Baldy na estação Aeroporto Guarulhos (Reprodução/Instagram)

Nesta quinta-feira, 29, o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, havia prometido novidades sobre o People Mover do Aeroporto de Guarulhos, em seu perfil em rede social. Mas em vez de alguma definição sobre o assunto, o político goiano fez uma viagem acompanhado do ministro Vital do Rêgo, do Tribunal de Contas da União, para apresentar a Linha 13-Jade.

O passeio com o relator do processo do People Mover começou na estação da Luz, a bordo do Expresso Aeroporto, e terminou no acesso da estação Aeroporto Guarulhos, em frente ao mezanino onde haverá a plataforma do sistema APM (Automated People Mover).

A iniciativa de Baldy é até compreensível, afinal nada melhor do que vivenciar a realidade dos passageiros que tentam chegar ao Aeroporto de Guarulhos do que apenas ver números num relatório. No entanto, acreditar que a visita do ministro possa ser suficiente para convencê-lo da necessidade do sistema, talvez seja esperar demais.

O TCU é um órgão que fiscaliza os gastos do governo federal e, como se sabe, é justamente a União que bancará todo o investimento no People Mover ao abrir mão de parte da outorga devida pela concessionária. Por essa razão, o processo tem se alongado bastante justamente porque até aqui o Ministério da Infraestrura, a ANAC, a SAC e a GRU Airport ainda não convenceram o Tribunal da real necessidade do sistema de transporte automatizado.

Linha de people mover terá 2,6 km de extensão e intervalo de seis minutos (AeroGRU)

Mesmo a CPTM, que atua apenas como consultora, enviou estudos bastante vagos sobre o potencial de demanda da Linha 13-Jade caso a ligação após a estação Aeroporto Guarulhos deixe de ser feita por ônibus.

É óbvio que a experiência do People Mover, que oferecerá uma viagem mais rápida, confortável e com maior frequência, é superior ao uso dos ônibus, mas a grande questão é se o investimento, calculado em algumas centenas de milhões de reais, justifica essa necessidade.

É essa a dúvida que o ministro Vital do Rêgo precisa esclarecer a fim de autorizar ou não a mudança no contrato de concessão da GRU Airport e que abrirá espaço para que o sistema seja implantado.

O traçado é o mesmo do projeto original da GRU Airport

Processo ainda em análise no TCU

Por enquanto, o assunto segue aparententemente distante dessa decisão. Conforme consulta do site, o processo encontra-se na Secretaria de Fiscalização de Infraestrutura Rodoviária e de Aviação Civil, área técnica do TCU, que provalvemente analisa os documentos enviados pelos órgãos envolvidos.

Após essa fase, haverá ainda o parecer do Ministério Público de Contas para que então o People entre na pauta de julgamento do Tribunal. Só então o ministro Vital do Rêgo terá argumentos mais sólidos para decidir seu voto.

Total
7
Shares
Previous Post

CPTM lança “Serviço 710”, com trens indo de Jundiaí a Rio Grande da Serra

Next Post

Metrô lança concessão de “naming rights” de seis estações

Related Posts