Destaques Linha 18 Metrô de São Paulo

Em manifestações em rede social, Baldy diz que Linha 18-Bronze é passado

Secretário dos Transportes Metropolitanos, que foi preterido nas tratativas da BYD e dos prefeitos do ABC com o governo do estado, afirmou que plano de mobilidade para a região segue sendo o anunciado há um ano
Baldy com a maquete do monotrilho da BYD: "não existe mais Linha 18" (STM)

Após alguns dias em silêncio desde a repercussão do interesse da fabricante chinesa de monotrilhos BYD ter feito proposta para retomar a Linha 18-Bronze do Metrô, o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, se manifestou a respeito em seu perfil na rede social Instagram. Instado a responder se havia alguma chance de o ramal de 14 km voltar a ser incluído entre os projetos do governo, o executivo reafirmou que o plano de mobilidade segue o mesmo anunciado há um ano: corredor de ônibus BRT, modernização da Linha 10 da CPTM e o projeto da Linha 20-Rosa.

Nesta quinta-feira, 9, em nova resposta, Baldy foi mais categórico ao dizer que “não existe mais a Linha 18 segundo a Procuradoria Geral do Estado e os comitês dentro do Estado“. O secretário se referia à decisão do Conselho Gestor de Parcerias Público-Privadas, que votou para extinguir o contrato de concessão patrocinada da Linha Bronze com a concessionária VEM ABC em 13 de agosto de 2019.

O secretário, no entanto, inverteu a cronologia dos fatos ao atribuir a responsabilidade aos comitês já que o anúncio do cancelamento da Linha 18 foi feito no dia 3 de julho pelo governador João Doria, portanto, mais de 40 dias antes da reunião que ratificou o fim do projeto. Ou seja, a conclusão do conselho, que conta com representantes da Procuradoria Geral do Estado, o vice-governador Rodrigo Garcia e outros secretários, foi meramente decorativa. Reforça esse cenário o fato de Doria ter antecipado a decisão de pôr fim ao monotrilho em favor de um corredor de ônibus meses antes do próprio anúncio oficial.

Projeção do monotrilho da Linha 18 - Bronze
Projeção do monotrilho da Linha 18 – Bronze: contrato em arbitragem

Em abril do ano passado, durante a inauguração da estação Campo Belo, o tucano já preparava o terreno para o cancelamento da linha de metrô ao dizer que “nós teremos um outro formato que não vai exigir R$ 600 milhões de pagamento de indenizações por desapropriações. Até porque isso é inviável. Nós não temos 600 milhões de reais no orçamento para essa finalidade. Então esse planejamento, que o secretário Alexandre Baldy tem conduzido, será apresentado muito em breve para que a nova solução a ser apresentada“.

Preterido pelos prefeitos e a BYD

A resposta do secretário dos Transportes Metropolitanos não surpreende afinal as novas tratativas entre a BYD, o consórcio de prefeitos do ABC Paulista e o governo do estado não o incluíram de imediato. Em vez disso, o grupo optou por apresentar a proposta para o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, que não possui qualquer atribuição envolvendo transporte público, apenas o fato de ter encontros frequentes com prefeitos do estado. Presidente estadual do PSDB em São Paulo, o ex-deputado estadual é considerado um pupilo do governador, a quem demonstra uma grande devoção.

Entende-se que graças ao trânsito junto à Doria, Vinholi poderia ajudar a reverter a decisão tomada logo nos primeiros meses da atual gestão e que contrariou promessas do candidato tucano, que havia prometido viabilizar a Linha 18-Bronze durante a campanha eleitoral. O secretário de Desenvolvimento Regional teria se mostrado empolgado com a proposta da BYD e prometido mostrá-la ao seu colega da STM, segundo revelou o jornal Diário do Grande ABC. Vale dizer que Baldy, a despeito de várias promessas, pouco se encontrou com os prefeitos do ABC desde o anúncio do projeto de corredor de ônibus.

O governador Doria com o secretário Marco Vinholi: novo canal escolhido pelos prefeitos do ABC e a BYD (GESP)

Às vésperas de um complicada eleição municipal, é natural que políticos se movimentem em busca de propostas para agradar seus leitores. Com a lentidão com que o plano de mobilidade anunciado por Doria em julho do ano passado tem sido tocado, como mostrou o site no início da semana, voltar a falar no monotrilho como uma alternativa mais factível e de curto prazo é completamente esperada.

Restam poucas dúvidas de que a decisão de cancelar a Linha 18 obedeceu a critérios políticos e não técnicos. Por isso, a proposta da BYD não deve criar grandes esperanças em quem defende um modal mais eficiente, limpo e inclusivo. Mas há de se contestar a afirmação de Baldy, de que a Linha 18 ‘morreu’. Na realidade, o contrato continua ativo, a VEM ABC está funcionando, assim como a perspectiva de que as negociações para definir um valor de ressarcimento ao parceiro privado sejam longas. Ou seja, em política o jogo segue em aberto até mesmo após o “apito do juiz”.

Leia no Lulica
Como lidar com a diferença de idade entre irmãos? 23/7/2020

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

23 Comentários

Click here to post a comment
  • A principal desculpa para o cancelamento deste projeto foi o custo das desapropriações. Eu conheço bem esse trecho, e pra falar a verdade não seriam tantas assim. As avenidas Lauro Gomes, Guido Aliberti e Presidente Wilson estão totalmente largadas e cheias de terrenos desocupados. Sem contar que boa parte do trecho seria feito ao longo do rio e nem desocupação exigiria (Algo como a estação Morumbi da linha17).
    Na avenida Faria Lima em SBC, a própria faixa da EMTU seria utilizada então não dependeria de desapropriação.
    De todas as concessionárias com quem o metrô fez acordos, a VemABC parecia ser a que tinha o projeto mais bem elaborado e com o cronograma em dia.
    Agora diante de uma possível proposta da BYD, o governo nem sequer dá ouvidos.
    Muito estranho tudo isso, essa insistência do governo nesse BRT. Que vai cair justamente no colo da Metra, que seria a principal afetada tendo o monotrilho como concorrente naquele trecho.

    • Finadas as Linhas 14-Onix e 18-Bronze eis anunciado os estudos da Linha 20-Rosa

      “O ABC perdeu um monotrilho e ganhou duas linhas de Metrô”. Essas foram as palavras do secretário dos transportes metropolitanos, Alexandre Baldy, em coletiva de imprensa realizada em julho de 2019, para anunciar o fim da Linha 18-Bronze. Na ocasião, representantes do governo estadual anunciaram a autorização de estudos para a Linha 20-Rosa que atenderia o ABC, além de melhorias na Linha 10-Turquesa “Metrô de superfície”.

      Segundo uma apresentação da Secretária dos Transportes, a Linha 20-Rosa é cogitada para operação em meados de 2028. Neste documento foi anunciado pelos representantes do governo estadual a substituição do início da linha, que antes era esperado da Lapa para Moema, depois foi para o Rudge Ramos em São Bernardo do Campo, novamente alterada para estação Prefeito Saladino e agora mais uma vez prolongada iniciando-se na estação Prefeito Celso Daniel ambas na Linha 10-Turquesa em Santo André… se continuar assim logo chegará em Santos!

      Nesta mesma época, o governador Dória bradou: “O critério será absolutamente técnico. Se não houver nenhum viés político. Situação de obras públicas, com recurso público, com recurso privado ou de ambos, tem que ser o critério técnico”.
      Como pode ser critério técnico de escolha se iria trafegar em um fundo de vale sujeito a inundações com inúmeros cruzamentos em nível?

      Desta forma é fundamental que o sistema seja elevado para não ocorrer o que acontece atualmente com as linha 10 –Turquesa da CPTM, ou o corredor ABD da Metra, podendo até ser o VLT, ou se corre o risco de se construir um sistema obsoleto já na sua criação.

      Finalizando, é importante e espero que não se impressionem se vier a comentar aqui um porta voz oficial do PSDB travestido de usuário que sempre aparece para justificar as decisões de certos dirigentes de se começar linhas do Metrô de forma concomitante sem concluir as inúmeras inacabadas.

  • Na moral, vamos fazer uma revolta enorme pessoal do ABC e de SP. vamos todos fazer um grande protesto em frente ao palacio do governador exigindo que essa linha 18 saia do papel. Quem tá comigo?

  • Quando vi que a BYD tinha feito uma proposta de desenvolver o monotrilho ao governo do estado tive até um pingo de esperança. Mas como estamos falando de uma gestão que quando estava em campanha falou uma coisa e depois, pós eleição, mudou completamente o que tinha dito durante a mesma, eu não deveria ter qualquer esperança. Esse monotrilho do que seria a linha 18 não sai nem se alguma empresa falasse que pagaria tudo, das obras até as desapropriações, ele morreu para dar lugar ao péssimo e ineficiente BRT que em uma região muito populosa feita o ABC não funciona. Claramente foi uma escolha política.

  • E da-lhe o poder obscuro da máfia de ônibus da região. Cara nunca vi o setor tão forte o deles. O estado nem consegue fazer a licitação do setor, das outras regiões já até venceu é do ABC ninguém poe a mão.

  • Lixo,canalha,queria saber qual foi o critério para nomeação desse idiota,arrumam um imbecil de Goiânia sem nenhuma noção do que é uma grande metrópole não passa de um brinquedinho na mão do safado maior,João Doria.
    Sou a favor de um grande protesto na frente da casa desse ridículo, poderia ser enviado dentro de uma mala de volta pra terra dele pra nunca mais voltar.

  • Lembrem-se disso povo do ABC e de SP em época de eleições.
    Não esqueçam esse secretário e de seus futuro candidato a presidência.

Airway