O presidente do Metrô, Silvani Pereira, compartilhou no seu perfil no Instagram que a Bombardier iniciou a instalação de cabos que permitirão o início do serviço de implantação das portas de plataforma na estação Santo Amaro, da Linha 5-Lilás. Construída sobre uma ponte estaiada, a parada faz conexão com a Linha 9-Esmeralda da CPTM e é uma das mais movimentadas do ramal.

Por essa razão, e também pelo fato de a estação ser alvo de ampliação, é que o Metrô teria optado por deixá-la para o fim dos serviços. Assim como Largo Treze, Santo Amaro possui plataformas com comprimento para receber trens de oito vagões, uma herança do projeto original da linha, que foi iniciado pela CPTM nos anos 90. Por isso, a extensão das fachadas será maior, algo inédito no Metrô.

Os trabalhos de instalação das PSDs seguem em bom ritmo após anos de atrasos e com várias frentes ao mesmo tempo. O próprio Silvani publicou nesta sexta um vídeo que mostra as portas da estação Moema realizando seus primeiros testes e abertura e fechamento. Apesar disso, a próxima estação a contar com o equipamento será Alto da Boa Vista. Restam ainda as estações Chácara Klabin e Campo Belo no trecho novo e as seis estações do trecho original, incluindo Santo Amaro.

Trem da Frota F em testes na Linha 5 (Marcelo Felga)

Frota F em testes

Se por um lado as PSDs avançam, o retorno da Frota F ao serviço continua sem previsão conhecida. Parte da frota está testada em horário comercial pela ViaMobilidade, mas sem embarque de passageiros. Ao ser questionada sobre o andamentos dos testes, a concessionária foi vaga: “A ViaMobilidade, concessionária responsável pela operação e manutenção da Linha 5-Lilás de metrô de São Paulo, informa que os trens da Frota F estão sendo liberados parcialmente pelo Metrô e estão passando por um período de testes e ajustes. A inserção dos trens na operação da linha será comunicada pelos canais oficiais da concessionária”.

Leia no Lulica
Insônia, aumento de apetite, problemas de visão 29/9/2020