Estações inauguradas por Doria em 2021 continuam com demanda de passageiros modesta

Enquanto João Dias e Jardim Colonial recebem uma quantidade de usuários razoável, Mendes-Vila Natal tem média diária de 150 pessoas apenas
Estação Mendes-Vila Natal: em março passaram por ela 150 pessoas diariamente (iTechdrones)

Abertas com grande pompa e discursos inflamados, as novas estações da rede metroferroviária de São Paulo inauguradas pelo ex-governador João Doria em 2021 ainda recebem uma quantidade de passageiros bastante modesta ou mesmo pífia, em alguns casos.

O tucano, que deixou o cargo no início de abril para tentar viabilizar sua candidatura à Presidência da República, realizou a inauguração oficial das estações Mendes-Vila Natal e João Dias (Linha 9-Esmeralda), Vila Sônia (Linha 4-Amarela) e Jardim Colonial (Linha 15-Prata).

Destas a que mais tem recebido usuários é justamente a 11ª estação do monotrilho da Zona Leste, com média diária de 3 mil pessoas, segundo dados do Metrô referentes à março. Isso faz dela a menos movimentada da Linha 15, juntamente com Camilo Haddad, porém, não tão distante do movimento de paradas como São Lucas, Vila Tolstói e Fazenda da Juta, que tiveram uma média de 4 mil usuários por dia.

Mas Jardim Colonial deverá receber mais passageiros a partir do final do ano quando for possível embarcar em seus trens diretamente para Vila Prudente. Hoje a necessidade de trocar de composição em São Mateus reduz a atratividade da viagem por conta de restrições técnicas. Ao menos ela funciona em horário comercial desde janeiro, o que facilita e muito sua utilização.

Estação Jardim Colonial passa a funcionar das 9h às 16h a partir do dia 17 (Jean Carlos)

Única das novas estações a funcionar de forma plena, João Dias, às margens do Rio Pinheiros, estreou em outubro do ano passado da forma que os passageiros desejam, ou seja, funcionando em horário integral desde o primeiro dia.

Raro, o fenômeno teve um motivo crucial: por ser uma estação intermediária, ela só pode ser aberta já em condições mínimas de operação. A boa surpresa é que a CPTM não chegou nem mesmo a estabelecer uma operação assistida em período reduzido, preferindo disponibilizar a parada durante todo horário de abertura da Linha 9-Esmeralda. No mês passado, ela recebeu em dias úteis 2.600 passageiros, um volume bastante pequeno, mas próximo de Presidente Altino, a menos movimentada do ramal entre as paradas antigas.

Sem dados oficiais

Situação oposta vive a estação Mendes-Vila Natal. Como o site tem mostrado regularmente, o então governador resolveu inaugurar a parada no extremo sul da capital sem que a obra estivesse completa. Por conta disso, os potenciais usuários da Linha 9 na região continuam a presenciar um único trem em bate-e-volta até Grajaú a cada 20 minutos e fora do pico.

Não é surpresa que apenas 150 pessoas têm comparecido à imensa estação em dias úteis, segundo dados de março divulgados pela ViaMobilidade, concessionária que assumiu o ramal em janeiro.

Mais de sete meses depois da suposta inauguração, ainda não há qualquer indício de que Mendes-Vila Natal começará de fato a funcionar como deve, ou seja, com trens seguindo até Osasco.

A CPTM continua a realizar obras nas vias ao sul da parada e que permitirão a futura ligação com a estação Varginha, mas os posts do presidente da companhia, Pedro Moro, não citam uma possível ampliação do horário de funcionamento do local.

Área interna da estação João Dias, única a ser aberta para valer (Jean Carlos/SP Sobre Trilhos)

Já a estação que deve atrair a maior demanda das quatro, Vila Sônia, é outro mistério. Operada pela ViaQuatro, a estação segue em operação assistida bastante restrita desde a cerimônia de abertura, há mais de quatro meses. O site tentou saber quantas pessoas passam por ela, mas a concessionária não contabiliza oficialmente esses números.

Diante da dificuldade de utilizá-la e do horário reduzido, é pouco provável que o panorama seja muito diferente das outras estações novas. Ao menos Vila Sônia parece muito próxima de enfim operar integrada ao restante da Linha 4-Amarela.

A ViaQuatro realizou um importante teste de simulação de operação neste domingo e a expectativa é que Vila Sônia enfim funcione em todo o horário comercial nos próximos dias. Data esta que deveria constar como verdadeira inauguração da estação.

Estação Vila Sônia: após período quase inútil para os passageiros, operação deve comecar em breve (Jean Carlos/SP Sobre Trilhos)
Total
2
Shares
7 comments
  1. Realmente, a Mendes enquanto não funcionar no pico não vale a pena. 20 min esperando o trem você pega uma 6093/6099 da vida e chega até a estação Mendes e sem precisar pagar integração trem/ônibus.

  2. Esse e o jeito PSDB, ou melhor: psbd de governar: escrevo mesmo em letras minúsculas o nome deste partido!!

  3. Uma das demanas maiores onde tem passageiros pra dar e vender e no extremo sul da capital. No Caso Jardim Angela, essa região o governo e a prefeitura se esqueceu. De la saem pessoas que moram nos seguintes bairros: Jd. Jacira, Pq. Do Lago, Jd Aracati, Cidade Ipava, Vila Gilda, Cartier, Menininha e mais. Sempre tem trânsito. Ainda mais perto do Grande hospital M’Boi Mirim e busões lotados.

  4. O que deixa a população desanimada e sem perspectivas, é ver as demais estações lotadas e essas tão vazias a ponto de ser consideradas inúteis.
    Moro ao lado da Mendes-Vila Natal, qual fluxo de passageiros esperam ter com a estação funcionando de segunda a sexta das 10h as 15h, exceto feriados?
    Qual população que a estação quer atender?
    Porque nitidamente não é a que sai de casa as 4h da manhã e volta 23h-00h.

  5. A verdade é que a estação Mendes Palmares ainda não foi inaugurada! O que fizeram foi um movimento político para angariar votos. Nada mais que isso!
    Aguardemos até as próximas eleições, período em que a raça entrega as obras de fato.
    Vergonha!

  6. Teria sido muito mais efetivo a obra na Linha 20 Rosa. A região tem pouca opção de transporte e o que tem vive saturado pela alta demanda. Vamos ver se essa linha sai do papel!

Comments are closed.

Previous Post

Expansão da Linha 2-Verde já representa mais da metade do investimento do Metrô

Next Post

CPTM assina o segundo termo aditivo para reparar o sistema de radiocomunicação

Related Posts