Licitação das obras remanescentes da Linha 17 é postergada

Avatar
Sessão pública foi adiada por duas semanas por conta de esclarecimentos sobre o edital publicado pelo Metrô em maio
Estação Chucri Zaidan (CMSP)

Fundamental para concluir obras abandonadas pelo consórcio Monotrilho Integração, além de outros serviços complementares nas estações e pátio de manutenção, a licitação de número 10014517 publicada pelo Metrô de São Paulo teve a sessão pública adiada por duas semanas.

Prevista originalmente para o dia 2 de agosto, a sessão onde serão recebidas as propostas das interessadas foi remarcada para 16 de agosto. A justificativa foi a necessidade de esclarecer dúvidas das empresas que procuraram a companhia. Essas dúvidas serão respondidas no dia 31 de julho, explicou o Metrô.

O edital havia sido divulgado no dia 24 de maio após o Metrô ter rescindido contrato com o consórcio Monotrilho Integração, que deveria ter concluído a instalação das vias, sistemas e trens de monotrilho. Mas há vários anos, as empresas não cumpriam o cronograma e reclamavam por atualização nos preços.

Depois de várias tentativas de acordo na gestão anterior, o governo Doria decidiu rescindir o contrato e relicitar o que falta. Nessa mudança de postura, o Metrô preferiu dividir a licitação, contratando uma empresa ou consórcio para as obras civis e outra para os trens e sistemas. Esse segundo edital foi divulgado nas últimas semanas.

Apesar do atraso, a parte civil ainda está mais adiantada que a de sistemas e por isso não deverá afetar a previsão informal de inaugurar o ramal em 2022.

Total
15
Shares
1 comment
  1. Talvez ainda vai demorar até o metrô reconhecer que essa linha jamais deveria ter sido construída acima da superfície na congestionada região do aeroporto de Congonhas. Deveria ser subterrânea naquele trecho.

Comments are closed.

Previous Post

Trem Intercidades pode ser movido a biodiesel

Next Post

Após recomendação, Ministério Público entra com ação para encerrar concessão da Linha 5-Lilás

Related Posts