Destaques Linha 1 Linha 2 Linha 3 Metrô de São Paulo

Linha 1-Azul supera Linha 3-Vermelha como a mais movimentada do Metrô

Ramal mais antigo da rede tem transportado mais de 1,5 milhão de passageiros por dia útil após ligação com a Linha 5-Lilás. Linha 2-Verde é a que mais cresceu
Linha 1-Azul: mais de 1,5 milhão de passageiros por dia (GESP)

Desde outubro de 2018, a Linha 3-Vermelha não é mais movimentada do Metrô de São Paulo. A pioneira Linha 1-Azul, inaugurada em 1974, voltou a ser o ramal sobre trilhos que mais transporta passageiros na rede metroferroviária. A “culpa” foi da Linha 5-Lilás que, ao se conectar em Santa Cruz em setembro do ano passado, tem transferido um número imenso de usuários que antes se utilizavam de ônibus, outras linhas ou o próprio automóvel para chegar em destinos atendidos pela antiga ‘Norte-Sul’.

Segundo dados disponíveis no site do Metrô, a Linha 1-Azul superou por pequena margem a 3-Vermelha em outubro do ano passado, quando a operação plena das estações Santa Cruz e Chácara Klabin e Hospital São Paulo, da Linha 5, começou. Foram 38,3 milhões de passageiros transportados naquele mês contra 38,1 milhões da Linha 3. Desde então, o ramal original do Metrô tem movimentado em média mais de 400 mil passageiros acima da Linha Vermelha. A maior diferença ocorreu em fevereiro quando a Linha 1 superou a Linha 3 por 743 mil usuários.

Também nos dias úteis essa mudança se faz clara desde o mesmo mês. De uma média de até 37 mil passageiros a menos, a Linha 1 agora transporta quase 50 mil pessoas a mais nos dias de semana, quase a lotação de um Allianz Parque ou uma Arena Corinthians por dia.

Linha 2-Verde em franco crescimento

Se os números da Linha 1 são superlativos, os da Linha 2-Verde impressionam. A razão é que o ramal sempre teve uma lotação apenas razoável, exceto por alguns trechos e horários. No entanto, a Linha 2 recebeu dois “empurrões” em menos de quatro meses. O primeiro é, claro, da Linha 5, que transformou a estação Chácara Klabin de um “óasis” para o posto de 5ª estação mais movimentada do ramal, próxima de Tamanduateí. Se em abril de 2018 passavam por dia apenas 7 mil passageiros na estação um ano depois esse número se multiplicou por dez – são agora 73 mil usuários durante os dias úteis.

 

O movimento mensal das três linhas mais antigas do Metrô (clique para ampliar)

O segundo empurrão, um pouco mais brando por enquanto, veio da Linha 15-Prata que desde janeiro deste ano estendeu o fucionamento de quatro estações e passou a transportar mais de 60 mil pessoas por dia. Vila Prudente, que há pouco mais de um ano, movimentava 58 mil pessoas por dia agora já atinge 72 mil usuários.

O resultado dessas novas conexões se traduz em um movimento diário de 818 mil passageiros na Linha 2-Verde, o que é um valor bastante alto para um ramal com apenas 14 km e 14 estações, mas seis das quais são conectadas a outras linhas. Para se ter ideia, em abril de 2018 a média diária da linha era de 714 mil usuários – ou seja, um crescimento de 14,6% em um intervalo de um ano.

Movimento em dias úteis: crescimento de quase 5% na Linha 1 e quase 15% na Linha 2 em um ano

Equilíbrio bem-vindo

A transformação pelo qual passa a rede metroferroviária em São Paulo desde a abertura de diversas estações nos últimos anos é a prova da importância de expandir o sistema em áreas centrais, criando novas conexões e multiplicano as possibilidades de trajeto. Esse equilíbrio é extremamente bem-vindo numa malha que, embora seja grande, com cerca de 370 km, está distante de um patamar razoável para desestimular o uso de ônibus em eixos estruturantes e de automóveis como principal meio de transporte.

A Linha 1-Azul, inclusive, é um ótimo exemplo de um ramal bem inserido no tecido urbano, com demanda equilibrada em suas 23 estações. Ao contrário da pendular Linha 3-Vermelha, o primeiro ramal do Metrô é utilizado pelos seus passageiros em trechos mais curtos, com muitos embarques e desembarques, o que permite que mesmo tão antifa, ela dê conte de mais passageiros sem beirar o colapso, algo que a Linha Vermelha está sempre prestes a sofrer.

Mas, apesar disso, vale a torcida para que São Paulo ganhe mais linhas nos próximos anos, com trechos centrais que criem mais conexões. Assim a grande novidade no futuro não será ter uma nova linha batendo recordes de transporte e sim, ramais com lotação mais aceitável, isso sim algo a comemorar.

Linha 1-Azul voltou a ser a mais movimentada do Metrô (GESP)

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

3 Comentários

Click here to post a comment
    • Olá, João, sem dúvida, mas por incrível que pareça os dados não são divulgados pela ViaQuatro e ViaMobilidade, exceto se por meio de um SIC, o sistema de informação ao cidadão. Vamos tentar consegui-los.

      • João e Ricardo se voces dois acompanharem os ultimos problemas da linha 4 amarela e 5 lilas depois que a via mobilidade assumiu simplesmente despencou o numero de falhas, acompanhe que voces vão ver eu pego as duas linhas todos os dias em varios horarios. sem contar com o bom atendimento dos funcionarios diferentemente do atendimento dos funcionarios da linha 1 azul e 3 vermelha pois ate cadeirante eu ja tive que ajudar pois não tinha funcionario na plataforma da linha azul

Airway