Painel com tempo de espera e lotação dos trens passa a funcionar em toda a Linha 2-Verde

Serviço estreou oficialmente em mais seis estações do ramal nesta quarta-feira após longos testes. Novidade estreou há mais de cinco anos na Linha 4-Amarela, operada pela ViaQuatro
Painel que mostra o tempo de espera e a lotação do trens da Linha 2 (CMSP)

Após vários ensaios e testes, finalmente a Linha 2-Verde do Metrô passou a contar com os paineis que mostram o tempo de espera e a lotação dos trens em suas 14 estações. Até então, apenas oito paradas, no trecho Vila Madalena-Ana Rosa, já mostravam essa informação, de forma parcial.

Desde que a Alstom, empresa responsável por instalar o novo sistema de controle de trens CBTC, concluiu seu serviço na Linha 2, o Metrô realiza testes com a tecnologia. Em março do ano passado, os paineis de algumas estações passaram a mostrar um pequeno quadro com o tempo de espera, mas sem que houvesse um anúncio oficial.

Em setembro de 2020, no entanto, o presidente do Metrô, Silvani Pereira, ‘oficializou’ o lançamento do serviço.

A interface adotada pelo Metrô é bem mais simples que a usada pela ViaQuatro, concessionária que lançou o serviço a partir de 2016. A empresa privada desenvolveu um gráfico bastante intuitivo, com uso de cores e barras para mostrar a lotação dos vagões.

Segundo o Metrô, a solução foi desenvolvida pelas equipes da própria empresa. A sinalização CBTC é feita por meio de ondas de rádio que atualizam a posição dos trens em tempo real, daí ser possível estimar o tempo de chegada. Já a lotação é baseada em sensores de peso em cada vagão, permitindo que se calcule a quantidade de passageiros aproximada em cada um deles.

Em março de 2020, o Metrô começou a fazer testes com a tecnologia (Alex Tukobai)

“Essa é mais uma das ações de modernização de nossa estrutura que estamos lançando para melhorar a experiência de utilização do Metrô. Nós incentivamos o desenvolvimento de inovações que podem trazer melhorias internas e para nossos passageiros”, disse Silvani Pereira.

Os paineis serão estendidos também às linhas 1-Azul e 3-Vermelha, que estão recebendo a instalação do CBTC e devem entrar em funcionamento nos próximos anos. Não se sabe se o Metrô fará o mesmo na Linha 15-Prata.

Embora o ramal de monotrilho já tenha sido concebido com o CBTC, trata-se de um sistema desenvolvido pela Bombardier, empresa que hoje foi incorporada pela Alstom.

Total
1
Shares
1 comment

Comments are closed.

Previous Post

Metrô quer usar realidade aumentada em sua operação e manutenção

Next Post

Área técnica do TCU recomenda anular contrato do People Mover do Aeroporto de Guarulhos

Related Posts