A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) já causa reflexos no cronograma dos principais projetos sobre trilhos em São Paulo. A constatação foi feita pelo secretário Alexandre Baldy, dos Transportes Metropolitanos, ao jornal Valor Econômico, que no entanto negou grande impacto no calendário.

Segundo o executivo da pasta, a concessão das linhas 8 e 9 da CPTM segue sendo prevista para o segundo semestre. O projeto esteve aberto à consulta pública até o final do mês passado e agora terá seu edital finalizado para ser publicado nos próximos meses. Com investimentos previstos de R$ 2,6 bilhões e duração de 30 anos, a concessão terá uma outorga fixa mínima de R$ 240 milhões.

Já o projeto do Trem Intercidades (TIC), que prevê a criação de dois serviços regionais sobre trilhos, um ligando Campinas a São Paulo com parada em Jundiaí e outro até Francisco Morato, com várias estações, deverá ser licitado no primeiro trimestre de 2021 e não mais no final deste ano. Segundo Baldy, a mudança foi causada pelo atraso na licitação das linhas 8 e 9.

O secretário dos Transportes Metropolitanos também previu que a retomada das obras da Linha 6-Laranja será adiado e apontou com um das causas o fato de os executivos da Acciona não terem conseguido viajar para o Brasil por conta da quarentena. A construtora espanhola é dona da Linha Universidade, concessionária que assumirá o lugar da Move São Paulo no projeto do ramal metroviário.

Não citada no artigo, a concessão da Linha 15-Prata à iniciativa privada continua suspensa pela Justiça, porém, o processo está na fase de recursos pelo governo que tenta destravá-lo. Em novembro do ano passado, o Sindicato dos Metroviários obteve uma decisão favorável à anulação do leilão, ocorrido em março e que teve a concessionária Via Mobilidade Linha 15 como vencedora e única participante.

Projeção de uma das estações da Linha 18-Bronze: projeto do BRT que substituirá metrô atrasou novamente (Fernandes Arquitetos)

BRT atrasado

O Valor também questionou Baldy a respeito do prometido projeto do corredor de ônibus ‘BRT’ que substituirá a Linha 18-Bronze de metrô. Segundo o secretário, o edital será adiado em mais dois meses porque as equipes técnicas do governo tiveram que mudar seu foco.

Após anunciar o fim da PPP (Parceria Público-Privada) com a concessionária VEM ABC em julho, o governo Doria prometeu tirar o corredor do papel em tempo recorde e por um preço bem mais em conta. No entanto, desde então poucas informações foram reveladas, entre elas um estudo da EMTU que prevê oferecer a linha de ônibus para os sócios da Metra, responsável pelo Corredor ABD e que teria sua demanda afetada pela Linha 18-Bronze.