Primeiro ‘tatuzão’ da Linha 6-Laranja deverá começar a escavar em dezembro

Promessa foi feita pela Acciona ao governo Doria durante evento que marcou a descida da roda de corte da primeira tuneladora do ramal
Roda de corte da tuneladora sul da Linha 6

A Acciona realizou a descida da roda de corte do primeiro tatuzão da Linha 6-Laranja até o fundo do poço VSE Tietê nesta terça-feira, 17. O evento, que serviu como palanque político para o governador João Doria, estava previsto pela construtora, como mostrou o site ontem.

A roda de corte nada mais é do que a peça frontal que faz a escavação dos túneis e que será instalada na estrutura principal da tuneladora de cerca de 100 metros de comprimento. Boa parte dos componentes já foi içado para o poço, onde é feita a montagem final.

Durante os discursos, o secretário Alexandre Baldy (Transportes Metropolitanos) tirou dos executivos da Acciona a promessa de que a tuneladora Sul começará a escavar até o dia 31 de dezembro deste ano.

A previsão é diferente da divulgada pela empresa em algumas ocasiões, que citava o mês de janeiro para o início de operação. a Acciona também confirmou abril de 2022 como o começo da escavação do segundo shield, em direção ao norte – nesse caso, a previsão anterior era para março do ano que vem.

Ainda segundo a empresa, a tuneladora sul, que escavará em direção à estação São Joaquim, levará 30 meses para percorrer cerca de 10 km, uma média diária de aproximadamente 10,5 metros de avanço. A Acciona havia afirmado que sua experiência no Metrô de Quito fazia crer que os trabalhos serão bastante velozes, no entanto.

A roda de corte sendo posicionada à frente da tuneladora já dentro do VSE Tietê

Se o cronograma for cumprido, o tatuzão sul encerrará seus trabalhos por volta de junho de 2024, um ano antes da abertura da linha.

Em relação à tuneladora norte, que escavará um subsolo rochoso, a Acciona previu 17 meses de trabalho. A partir de abril de 2022, isso significaria chegar à estação Brasilândia por volta de setembro de 2023 num ritmo diário médio de 10,2 metros.

Licença da Cetesb

Baldy afirmou que existem hoje 3 mil funcionários na obra enquanto o direto da Acciona Brasil, André de Angelo citou 2.500 colaboradores. Ambos previram que o total de pessoas envolvidas na obra chegará a 9 mil no ano que vem.

O secretário dos Transportes Metropolitanos também confirmou que as últimas cinco estações devem ter suas obras iniciadas em breve, após o recebimento da licença da Cetesb, entre elas a Perdizes, citada como a última delas.

O perfil geológico das escavações dos dois tatuzões (Acciona)
Total
4
Shares
1 comment
  1. Cada hora falam uma coisa. Mas o que importa é que o ritmo das obras se mantenha assim, acelerado. Muito ansioso por essa linha.

Comments are closed.

Previous Post

Decreto inclui nome do ex-prefeito Bruno Covas à estação Mendes-Vila Natal

Next Post

Estação Chucri Zaidan recebe primeira escada rolante

Related Posts