Trens espanhois finalmente saem de cena na CPTM após devoluções da Série 8500

Duas últimas composições da Série 2100 que eram usadas na Linha 10-Turquesa estão sendo baixadas pela companhia. Movimento ocorre após devolução de trens novos pela ViaMobilidade
Trem da Série 2100 (Jean Carlos)
Trem da Série 2100 (Jean Carlos)

Famosos nos anos 90 quando foram tema de marketing político das gestões da época, o Série 2100, conhecido como “Trem espanhol”, deixou de operar oficialmente na CPTM.

As duas últimas composições, que complementavam a frota usada na Linha 10-Turquesa, já estão em processo de baixo patrimonial, como a companhia confirmou ao Via Trolebus dias atrás.

A aposentadoria dos trens, comprados de segunda mão no final dos anos 90, ocorre no momento em que a concessionária ViaMobilidade começa a devolver as composições emprestadas para uso nas linahs 8-Diamante e 9-Esmeralda.

Siga o MetrôCPTM nas redes: WhatsApp | Facebook | LinkedIn | Youtube | Instagram | Twitter

Composição H532 na via de testes de Presidente Altino (Nicolas Gordiano)
Composição H532 na via de testes de Presidente Altino (Nicolas Gordiano)

Nos últimos dias, mais dois Série 8500 foram remetidos para a CPTM, como havia previsto este site. Tratam-se das composições H532 e H564, que foram flagradas em preparação para devolução no começo do mês.

Com isso, a companhia do estado reforçou sua frota com seis Série 8500 que são usados no Serviço 710. Na resposta ao Via Trolebus, a CPTM não associou a aposentaria do Série 2100 à chegada de mais 8500, mas entende-se que se trata do caminho natural já que os trens espanhois já eram considerados obsoletos há bastante tempo.

Lentos mas confortáveis

Fabricados pela CAF no final dos anos 70, o Série 2100 foi adquirido da empresa espanhola Renfe, que o utilizava como trem regional.

As primeiras unidades chegaram ao Brasil em 1997 após reforma feita pela própria Renfe. A estreia ocorreu em abril de 1998 e a composição se diferenciava pelo conforto, com ar-condicionado, portas mais largas e áreas amplas de assentos.

Inicialmente eles foram usados na Linha 9-Esmeralda, mas posteriormente a CPTM os realocou na Linha 10-Turquesa em virtude do seu desempenho pouco apropriado para trechos com distâncias pequenas entre as estações.

A Série 2100 da CPTM na inauguração da estação Autódromo: trens inadequados para serviço metropolitano
A Série 2100 da CPTM na inauguração da estação Autódromo: trens inadequados para serviço metropolitano

Por serem originalmente concebidos para viagens de média distância, os Série 2100 aceleravam lentamente, prejudicando a oferta de viagens.

Em 2019, a companhia enviou trens da Série 7000 para a Linha 10 e os trens espanhois ficaram como reserva técnica, sendo usados em serviços como o expresso, entre Santo André e Tamanduateí.

A despeito da melhora no desempenho, houve reclamações entre passageiros na época, que consideraram os Série 7000 como um retrocesso mesmo que as viagens tenham se tornado mais velozes.

 

Total
0
Shares
Antes de comentar, leia os termos de uso dos comentários, por favor
25 comments
  1. Para que entendam as linhas daqui pra frente (formalizado pela CPTM):

    ▶️ Linha 7-RUBI > SÉRIE 9500 (GRUPO COMPORTE/CRRC)
    ▶️ Linha 8-DIAMANTE > SÉRIE 7000/8900 (GRUPO CCR/ALSTOM)
    ▶️ Linha 9-ESMERALDA > SÉRIE 8900 (GRUPO CCR/ALSTOM)
    ▶️ Linha 10-TURQUESA > SERIE 8500 (em definitivo para nova concessionária)
    ▶️ Linha 11-CORAL > SÉRIE 8000 (em definitivo para a nova concessionária)
    ▶️ Linha 12-SAFIRA > SERIE 7000/9000 (em definitivo para a nova concessionária)
    ▶️ Linha 13-JADE > SERIE 2500 (em definitivo para a nova concessionária)

    SÉRIE 2000/2100/3000/5400 já quase 100% baixadas , so falta o 2070 que por enquanto segue na L12-SAFIRA

    o GRUPO CCR ja estuda a um tempo adquirir mais 20 composições para dar baixa na serie 7000, por questões de passagens entre carros, o mesmo deve ocorrer na concessao da l12-safira

    1. Mais um benefício da concessão 8/9. A aposentadoria de trens velhos a custo zero para o governo.

      1. a renovação de trens antigos já foi concluida a alguns anos pela CPTM, mto antes sequer de privatizar as linhas 8 e 9….

      2. custo zero kkkkkkkkkkkkkkkkk

        tem gente que confunde concessão com filantropia.

        nesse caso está mais para Pilantropia

        1. Custo Zero para o Estado, sim. O Estado concedeu a linha, baixou o custo operacional e, de quebra, atraiu investimento para o sistema. Só cego ou alguém com muita má vontade não consegue enxergar isso. É uma forma de aproveitar os seus ativos para fazer dinheiro em pró de mais infraestrutura. Parabéns para o Estado de São Paulo, referência nesse quesito.

          1. Não existe custo zero para o estado, assim como não existe almoço grátis pra ninguém.
            No caso das linhas concessionadas, se somarmos os aportes do estado (incluindo os subsidios operacionais) versus a contrapartida do concessionario, sempre estara entrando mais dinheiro publico do que dinheiro privado – inclusive pra garantir a remuneração financeira, que é o objetivo final do concessionário.

    2. Se a ViaMobilidade realmente comprar trens novos para aposentar os 7000s vai ser um upgrade enorme para a linha 8.

    3. Duvido que a CCR vai gastar dinheiro na compra de mais trens sem ser obrigada por força de contrato…vão sugar os 7000 até ficarem caindo aos pedaços

      1. Também duvido. Só não sugam mais os 5400 porque já estão no limite, senão deixavam até 2050 também

        1. 5400 não tem reset nem by-pass. aí fica difícil operar.

          a CPTM entregou 6 trens operacionais. a concessionária em 1 ano não conseguiram manter nenhum.

    4. “o GRUPO CCR ja estuda a um tempo adquirir mais 20 composições para dar baixa na serie 7000, por questões de passagens entre carros”
      Tirou essa informação da onde? Ou é só uma mera suposição?

    5. “o GRUPO CCR ja estuda a um tempo adquirir mais 20 composições para dar baixa na serie 7000, por questões de passagens entre carros…”

      Fonte: vozes da minha cabeça

  2. Por só ter duas portas por vagão, acesso era bem complicado. Como era acostumado com os trens da atual linha 8, ficar perto das portas era comum. Assim, quase estrangulei um cara sem querer entre Ipiranga e Brás, lá pros lados de 2001. Estava perto da porta , encheu de uma vez e pensei o cara.

  3. Alguém sabe qual o destino desses trens que será dado baixa no patrimônio?

    eles iram a leilão como sucata ou algo assim ?

  4. infelizmente os trens novos tem desempenho mas não conforto, esses trens espanhóis tinha um conforto enorme que camuflava os trilhos mau cuidados e barulhentos da cptm

  5. Para uso em no transporte metropolitano, esses trens eram inadequáveis, mas eles se destacavam pelo conforto e grande oferta de assentos que dava para encostar todas as costas.
    Os assentos dos trens metropolitanos poderiam ser pelo menos assim!

    Será que daria para preservar alguns carros reboque deste trem, reformá-los e adaptá-los para o expresso turístico usando o esquema push-pull?

  6. Mentira essa parte onde falam que os 2100 estrearam em Abril de 1998 sendo que nessa época comecei a trabalhar no Tatuapé em Maio de 1998 e não vi nenhum 2100, só começaram a aparecer entre Julho e Agosto de 1998 as primeiras unidades do 2100 na Estação Brás.

      1. Só si for o governador Mario Covas que fez viajem inaugural do 2100 nessa data , porque na época quando usei os trens da CPTM em Maio como relatei não vi nenhum circulando nas estações, só começaram a aparecer entre Julho e Agosto e de bônus o Caf 2000 na Estação Barra Funda com a pintura piloto.

        1. Na época a única coisa que vi relacionado ao 2100 era os posters nas estações anunciando a chegada do trem espanhol.

  7. Como alguém pode defender essa pilantragem e se passar por estado eficiente, quando o dito “investidor” ganha garantia mínima de passageiros e tarifa diferenciada ? fácil ..

Comments are closed.

Previous Post
ViaQuatro possui menor custo operacional e a maior remuneração (Jean Carlos)

Análise: concessionárias privadas mostram-se mais eficientes que operadoras estatais, segundo dados

Next Post
Canteiro da futura estação "14-Bis Saracura"

Tarcísio acrescenta o termo “Saracura” ao nome da estação 14 Bis, da Linha 6-Laranja

Related Posts