A longa espera por um trem da Linha 13-Jade da CPTM deve demorar mais alguns meses pelo menos. O novo ramal de trem metropolitano, inaugurado no final de março de 2018, continua a praticar intervalos muito altos entre as viagens, de 20 minutos em horários de maior movimento e de 30 minutos em períodos intermediários, isso antes da pandemia reduzir a oferta do serviço de forma significativa.

Tudo isso ocorre porque o contrato de implantação do sistema de controle e sinalização dos trens está bastante atrasado. Responsabilidade do consórcio C.T.A., liderado pela Siemens, o projeto deveria ter ficado pronto em agosto, mas um novo aditivo, assinado um mês atrás, jogou a data de conclusão para janeiro de 2021 sem que isso implique em acréscimo de valores.

“O contrato deverá estar completo no início de 2021”, afirmou a companhia, justificando que por ser “um contrato Turn Key, com escopo definido, não é possível precisar o percentual do contrato executado”. Esse tipo de modalidade de contrato prevê a entrega do serviço mediante o pagamento.

O cronograma físico-financeiro, no entanto, revela que o C.T.A levará o dobro do tempo previsto pelo contrato, que era de 24 meses. Na planilha anexada ao aditivo, esse prazo passou a ser de 52 meses.

A CPTM tampouco se arrisca a revelar quais serão os planos para reduzir os intervalos, que devem chegar a 8 minutos, segundo o projeto da Linha 13. Questionada sobre o assunto, a companhia foi vaga, como sempre: “A CPTM vem acompanhando diariamente a variação da demanda nas Linhas, gerenciando e dimensionando a frota de trens em função do fluxo de passageiros. No momento não há previsão de aumentar a frota de trens para atender a Linha 13-Jade”.

Embora tenha recebido oito trens da Série 2500 no começo deste ano, apenas um deles está em serviço. A segunda composição deverá ser liberada para operação nas próximas semanas, segundo apurou o site. Em agosto, a Linha 13-Jade transportou pouco mais de 180 mil passageiros, um movimento de apenas 58% da demanda de fevereiro, último mês a não ser afetado pela pandemia.

 

 

Leia no Lulica
Insônia, aumento de apetite, problemas de visão 29/9/2020