Três semanas após acidente na Linha 6, nível de esgoto nos poços tem redução significativa

Imagens aéreas desta terça-feira, 22 de fevereiro, revelam que o volume de material no VSE Tietê é o menor desde que o interceptor de esgoto da Sabesp rompeu após a passagem do tatuzão do ramal de metrô
Acciona instalou mais equipamentos para bombear esgoto (iTechdrones)

Finalmente, após três semanas do acidente com o interceptor de esgoto da Sabesp, que rompeu após a passagem do tatuzão da Linha 6-Laranja em suas proximidades e inundou os poços da obra, o nível de material acumulado começou a dar sinais de redução significativa.

Imagens aéreas do canal iTechdrones comprovam que a Acciona e a companhia de saneamento do estado estão conseguindo esvaziar o VSE Tietê, maior vala aberta para a obra de metrô de 15 km de extensão.

Numa imagem comparativa produzida pelo site com trechos das gravações de quatro dias, é possível constatar que o poço está com esgoto até a 7ª marca de concreto em suas paredes (veja abaixo).

Clique para ampliar (iTechdrones)

No dia 5 de fevereiro, quatro dias após o acidente, o esgoto estava na altura da 5ª marca de jateamento de concreto enquanto no dia 9, ele havia baixado mais uma “faixa”. Vinte e quatro horas depois, no entanto, o volume voltou a subir, obrigando as empresas envolvidas a suspendar a operação de bombeamento.

Ela foi retomada na semana passada e o resultado é que neta terça-feira, 22, o nível era o mais baixo desde que o trabalho foi iniciado. O vídeo mostra também que há várias mangueiras em diversos pontos retirando o material depositado nos túneis e poços já abertos pela construtora espanhola.

O emboque do tatuzão antes de ser inundado no dia 1º de fevereiro (iTechdrones)

Como referência, existem 15 dessas faixas de concreto, criadas pelo processo de jateamento de concreto quando da escavação dos poços. Ou seja, o trabalho está chegando à metade do caminho e logo deverão surgir as imensas vigas que dão sustentação para as paredes do VSE Tietê.

Um pouco mais abaixo e poderemos ver os anéis de concreto e o apoio metálico para a partida da tuneladora sul em dezembro. A Acciona não tem divulgado informações sobre a previsão de encerramento do bombeamento, porém, se o ritmo atual for mantido é de se imaginar que isso possa ocorrer em algum momento de março.

Só então será possível mensurar os prejuízos para o empreendimento, sobretudo em relação ao estado dos dois tatuzões fabricados na China.

Total
7
Shares
1 comment
  1. Oi Ricardo, você que acompanha as obras da linha 6, sabe do que se trata a Usina Guaicurus? Foi anunciado no site da LinhaUni/Acciona.

Comments are closed.

Previous Post

Linha de ônibus que ligará Taboão da Serra à estação Vila Sônia deve estrear em abril

Next Post

Atrasada, obra da estação Varginha fica R$ 3 milhões mais cara

Related Posts