Mais um vídeo publicado pelo canal iTechdrones, parceiro do site, traz imagens inéditas e recentes de obras metroferroviárias de São Paulo. Desta vez, o drone sobrevoou a futura estação Jardim Colonial, da Linha 15-Prata.

A 11ª estação do ramal de monotrilho segue em ritmo acelerado e já é possível notar partes importantes do projeto tomando forma. Entre eles estão os dois acessos laterais, que estão em fase de obras civis e onde é possível notar a moldagem das escadas fixas.

Uma das partes da passarela metálica de ligação com o corpo da estação também pode ser notada no solo e que aguarda a finalização de um pilar para ser preparada para içamento dentro de algumas semanas. Vale notar que essa passarela será mais larga que a da maioria das estações, um sinal da demanda elevada de Jardim Colonial – são esperadas 41 mil pessoas por dia na estação, segundo o Metrô.

A cobertura metálica é outro aspecto importante que avança com rapidez. A estrutura está quase finalizada e logo receberá as telhas. O vídeo também mostra o longo trecho em descida desde São Mateus, cujas vias já estavam praticamente prontas há anos. O consórcio CEML, responsável pelo trabalho, ainda deve instalar os trilhos e sistemas, mas já prepara a ciclovia que será implantada no canteiro central.

Vale reparar também como as vias do monotrilho possuem um baixo impacto visual, fazendo uma “sombra” mínima na avenida, ou cerca de 15% a 20% da largura total da via e menos do que o próprio canteiro central. Imagina-se qual seria o impacto no entorno se um corredor de ônibus fosse implantado ao nível do solo, com pontos de parada, faixas de ultrapassagem e a notória poluição sonora, visual e atmosférica.

Na outra ponta da estação, os trabalhos de expansão das vias também são bastante notórios, com capiteis sendo concretados num trecho de cerca de 500 metros que abrigará um aparelho de mudança de via (track-switch). Nessa região, a avenida Ragueb Chohfi já foi alargada, facilitando a implantação, mas após ela é possível ver que a via terá de ser alterada para oferecer um canteiro central suficiente para as colunas do monotrilho.

Passarelas da estação serão mais largas (iTechdrones)

De volta à estação, o vídeo ainda mostra o corpo central de um ângulo bastante próximo onde se avistam muitos funcionários trabalhando em várias frentes, incluindo o fechamento de áreas restritas do mezanino. É possível notar ainda a estrutura de um dos elevadores na plataforma.

O Metrô estima concluir as obras de Jardim Colonial no primeiro semestre de 2021, ou seja, teremos cerca de seis a oito meses ainda de trabalhos. Se a nova parada for aberta em maio de 2021, por exemplo, terão passados apenas dois anos desde o início das obras.

Uma prova indiscutível que o modal é de fato mais veloz de ser implantado que uma linha de metrô. Bastam para isso as condições apropriadas como projetos fidedignos, áreas desapropriadas, empresas sérias contratadas e fiscalização do Metrô. Não é uma equação tão difícil na teoria, mas estamos falando do Brasil, onde tudo de ruim é possível.

Leia no Lulica
Insônia, aumento de apetite, problemas de visão 29/9/2020