Cartão TOP apenas para transporte vira raridade em São Paulo

Reportagem do jornal Folha de São Paulo encontrou apenas um ponto da versão “pura”, que não inclui funções de débito e crédito, associadas às Casas Pernambucanas
O governo Doria lançou o Cartão TOP no final do ano passado (Jean Carlos)

O controvertido cartão TOP, apresentado pelo governo do estado como solução para facilitar a vida do passageiro no transporte público em São Paulo, não apenas ainda traz dores de cabeça aos passageiros que o utilizam, mas também uma nova dificuldade. Segundo reportagem do jornal Folha de São Paulo, é raridade encontrar a chamada versão “pura” do cartão, que serve apenas para armazenar créditos para uso nos ônibus e trens.

Após percorrer 25 pontos de venda do TOP, a Folha encontrou o cartão básico em apenas um deles, numa loja em Pinheiros das Casas Pernambucanas, parceira escolhida pela Autopass, a operadora do sistema.

Nos demais endereços só era possível adquirir o TOP associado a um cartão de débito e crédito de bandeira Mastercard e não por acaso ligado a rede Pernambucanas. Ainda segundo a reportagem, os relatos mais ouvidos nos locais visitados era de que as máquinas do cartão ‘puro’ haviam sido levadas, restando apenas o modelo ‘híbrido’.

Segundo o governo, para adquirir o cartão apenas para transporte existe um único local dentro da rede sobre trilhos, a estação Belém, da Linha 3. O posto funciona das 6h às 22h e é preciso portar um comprovante de endereço e RG ou CPF.

Algumas bilheterias foram transformadas em postos de atendimento do TOP (Jean Carlos/SP Sobre Trilhos)

Sem licitação

O anúncio do cartão TOP ocorreu em outubro do ano passado quando então secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, revelou de surpresa que todas as bilheterias do Metrô e da CPTM seriam fechadas até dezembro de 2021. A solução viria por meio do QR Code, o citado cartão, de um aplicativo de celular e do credenciamento de comércios próximos às estações, que carregariam os cartões.

No fim, apenas as bilheterias das estações Granja Julieta e Belém foram encerradas. O governo então não voltou a prometer datas para fechar as demais enquanto lidava com o imenso volume de reclamações do TOP.

A escolha do TOP como substituto do BOM e dos bilhetes magnéticos foi feita de forma pouco usual. Em vez de promover uma licitação para selecionar a melhor proposta e tecnologia, a gestão do ex-governador João Doria encontrou um “atalho” ao incluir o Metrô de São Paulo e a CPTM como associados da ABASP (Associação da Bilhetagem e Arrecadação nos Serviços Públicos de Transporte Coletivo de Passageiros do Estado de São Paulo), uma entidade sem fins lucrativos formada por operadores de ônibus da EMTU.

A ABASP, por sua vez, contratou a Autopass diretamente, já que como entidade privada, não precisa realizar concorrências públicas. Como o site mostrou anteriormente, a Autopass tem como um de seus sócios José Romano Netto, filho de Maria Beatriz Setti Braga, proprietária da concessionária Metra, que opera o Corredor ABD, da EMTU.

O mesmo governo Doria viabilizou a extensão da concessão com a Metra, num pacote de mais de R$ 22 bilhões, incluindo linhas de ônibus intermunicipais e o ‘BRT-ABC’, sem licitação.

A escolha do TOP pela Secretaria dos Transportes Metropolitanos é investigada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). No entanto, o processo não teve qualquer movimento conhecido desde maio.

Total
15
Shares
16 comments
  1. Até hoje não consigo acessar o APP do meu cartão top “puro”. Sempre a mensagem de usuário bloqueado, apesar de conseguir usar normalmente no transporte.

  2. Essa certamente deveria ser notícia a ser lido na escalada do Jornal Nacional.

    Bilhões do erário público paulista para serviços prestados por um único grupo e com dispensa de licitação.

    Mas não há nenhuma nota de rodapé nos grandes jornais paulistas.

    Enquanto isso, milhões de paulistanos são obrigados a emitir um cartão de crédito para fazer uso de um serviço público…

    Que merda de país!

    1. O Robson realmente acha que o pt traria melhorias para o transporte no estado de SP, assim como é maravilhoso o transporte publico no nordeste, governado pelo ..?

  3. Infelizmente retirei o meu na versão híbrida por desconhecer o posto da estação Belém. Até penso em cancelar esse para retirar um puro, pois outro fator perigoso desse cartão é em caso de roubo ou furto onde o bandido pode ativar as funções bancárias para transferências e compras.

  4. O PT nunca governou o Estado de São Paulo, apenas a prefeitura da Capital, e seja educado, não xingue os outros de trouxa, é feio, que é grosseiro são os bolsonaristas, ou o senhor é ptbozo?

  5. Cartão é muito ruim, já pedi segunda via por erro de leitura com pouquíssimo tempo de uso, fora a demora no atendimento na central para efetuar o cancelamento ainda queriam me cobrar taxa pelo serviço, somos obrigados a pegar o cartão com a bandeira Mastercard, não deixo habilitar as funções, mas nem oferecem o cartão sem o vínculo. Venda casada pois se habilitar tem taxa e o intuito principal era o transporte.

  6. Eu tenho e uso o Top “puro”. Baixei o aplicativo, fiz a solicitação e chegou pelo correio. Uso o QR Code do app normalmente, nunca tive problema.

  7. Gente é só solicitar no APP do TOP, assim que, vc solicita pra pedir a via, ele vai direto pro débito e crédito, ai é só arrastar pro lado esquerdo que terá o comum, vai pedi só foto do RG frente e verso e pronto.
    Depois só escolher se quer receber em casa ou na Pernambucanas, escolhendo a loja e o dia de retirada.

  8. Um dia saberemos a verdade sobre a relação do Governo Dória/Garcia com a Autopass e Next. Não havia motivo para trocar o BOM pelo Top a não ser usar o último como um cavalo de Tróia para uma Fintech qualquer. Há semanas estou tentando pegar uma segunda via do meu cartão puro de transporte e não consigo. Os atendentes nas Pernambucanas (e certamente eles tem metas para isso) estão focados em empurrar cartões de crédito e conta nas pessoas. Tudo isso é uma vergonha.

  9. Eu disse lá atrás quando foi anunciado com pompa o cartão top e o fechamento de bilheterias: tudo isso era para beneficiar a autopass e a família setti braga. Eu disse isso aqui mesmo nesse site e em outros do ramo.

  10. BOLSONARISTA TEM EDUCAÇÃO , QUEM NÃO TEM SÃO OS PETISTAS QUE IDOLATRAM SEU LIDER , QUANTO AO PSDB SEMPRE FOI UM PARTIDO CONTRA O GOVERNO, OBRAS PROMETIDAS E NÃO CUMPRIDAS

  11. Tirei meu TOP puro transporte em meados de março, após tentar sem sucesso fazê-lo na Pernambucanas do shop SP Market. Entrei em contato com a Autopass e me informaram lojas específicas da Pernambucanas que faziam o puro transporte. Agendei na do Largo 13. Chegando lá a mesma história que só tinha como fazer o cartão com bandeira. Então falei pra moça que ia deixar pra lá porque tinha marcado naquela loja (demorou quase um mês) justamente pra ter o cartão puro. Então ela disse que poderia fazer lá no sistema o puro e depois o cartão seria entregue gratuitamente em meu endereço. É uma pilantragem isso aí, a Pernambucanas claro, quer tirar vantagem e os vendedores deles devem ganhar comissão por vender o cartão com bandeira então fazem de tudo pra empurrar.

    1. Prefiro ir lá e comprar o token mesmo. Este cartao top é um furo. E para a redação está digitado vido q era pra ser vida. Usem um corretor ortográfico pra digitação quando for redigir matérias.

  12. Muitas reclamações, muito estranho essa relação do público e o privado, qual a efetiva necessidade de troca de cartão BOM por top,etc…
    Cadê o ministério público, posição política? Cd?
    Como faz falta membros do judiciário ( juízes e promotores) ,a elite política não usar o mesmo transporte público como a população! Queria ver se usassem se teríamos tantos problemas assim! Queria mesmo!

Comments are closed.

Previous Post

Venda de “naming rights” da estação Consolação fracassa pela 3ª vez

Next Post

Novo Expresso Turístico passa por processo de limpeza e polimento

Related Posts