Cetesb libera início das escavações na futura estação Vila Formosa da Linha 2-Verde

Companhia ambiental do estado ainda devia um parecer técnico a respeito do canteiro de obras e que foi finalmente emitido na semana passada, abrindo caminho para que os trabalhos comecem de fato
Obras da estação Vila Formosa no início de março (iTechdrones)

O imenso “anel de concreto” que domina o canteiro de obras da futura estação Vila Formosa (Linha 2-Verde) está prestes a receber maquinários que darão início às escavações do poço principal. Embora o consórcio responsável pelo projeto já tivesse preparado a área para início dos trabalhos há alguns meses, um parecer técnico da Cetesb travava o cronograma.

Esse documento, pelo que apurou o site, foi emitido pela companhia ambiental do estado na semana passada, autorizando que o consórcio CML2 possa começar a retirar terra do local de fato.

A pendência junto à Cetesb, aliás, contraria afirmação do Metrô de São Paulo, que em seu relatório anual garantiu que a estação não possuía qualquer impeditivo: “As obras do VSE Falchi Gianini e das estações Anália Franco e Vila Formosa foram iniciadas e no final de 2020 todas as estações já possuíam ordem de serviço em condições de dar início aos trabalhos”, afirmou a companhia.

A estação Vila Formosa (CMSP)

É mais um sintoma grave da burocracia que domina as obras públicas do país e que proporciona situações grotescas como essa, em que órgãos do mesmo governo não conseguem alinhar seus cronogramas.

Poço com 43 metros de profundidade

Com o aval da Cetesb, Vila Formosa repetirá o cenário de agitação visto na estação Anália Franco nesta semana, com muitos funcionários, caminhões, escavadoras e materiais distribuídos pelo canteiro.

No entanto, o método de escavação do poço circular de 44 metros de diâmetro será diferente. Trata-se de um ‘ataque’ semelhante ao realizado na estação Chácara Klabin da Linha 5-Lilás. Nesse caso, a terra é retirada numa profundidade de um metro enquanto as paredes são jateadas com concreto.

O ritmo de escavação nesse método é de cerca de 1 metro por semana, o que significa que o poço chegará à sua base após 10 meses de escavação, aproximadamente, ou seja, no começo de 2022. Em seguida, serão escavados os dois túneis onde ficarão as plataformas e que será preparado para a chegada do “tatuzão”.

Vila Formosa, além da estação, também terá um pequeno terminal de ônibus. Ela faz parte da primeira etapa de extensão da Linha 2-Verde até Penha e que tem previsão de entrega em 2025.

Terrenos vazios em Orfanato e Santa Clara

Se Anália Franco e Vila Formosa estão entrando numa fase decisiva outras duas estações da Linha 2 ainda não passam de terrenos vazios. O canal iTechdrones sobrevoou as futuras estações Orfanato e Santa Clara e revelou que ambas ainda não contam nem mesmo com alojamentos e outras estruturas básicas de preparação para as obras.

Se em Orfanato se viam dois conteineres em Santa Clara existia apenas uma guarita em um dos terrenos desapropriados. Há de se ressaltar que as duas receberão a tuneladora apenas depois de Vila Formosa e Anália Franco, mas o descompasso entre elas é enorme, sobretudo porque se passaram mais de 15 meses desde a ordem de serviço assinado pelo governador João Doria.

Total
20
Shares
7 comments
  1. atrasos e mais atrasos promessas e mais promessas é só isso que este governo sabe fazer, o que precisamos que seja feito com seriedade por quanto tempo a pandemia vai ser a culpada

  2. A burocracia certamente precisa ser revista, mas vc sabe quanto tempo demora pra analisar essas licenças e, sobretudo, quanto tempo tem que o gov. do Estado de SP não realiza concurso pra Cetesb?? Do jeito que vc coloca, parece que as instituições levam toda a culpa, mas os governos as sucateiam ano após ano.

    1. Para realizar concursos é preciso ter dinheiro em caixa provisionado para contratar a empresa organizadora, garantir o salário e direitos trabalhistas dos futuros contratados e que esse gasto entre nas despesas orçamentárias dos próximos anos. Todo o processo de autorização de novas contratações é fortemente regulado pela secretária da fazenda e isso faz com que São Paulo pague salários em dia sem ultrapassar os seus limites fiscais (como outros estados que atrasam e parcelam salários).

      Assim, as novas contratações não dependem apenas do governo do estado mas sim da assembléia legislativa (cujos membros podem incluir emendas no orçamento para esse fim) da arrecadação fiscal (impostos) e da mobilização dos sindicatos e da sociedade. Mas a assembléia custa R$ 1,2 bilhão ao ano sem provar a necessidade desses gastos e sem que os deputados façam algo relevante ao estado, os sindicatos pensam no próprio umbigo (os líderes enriquecem e os trabalhadores empobrecem) e a população quer reduções e isenções fiscais.

      Como ter serviços de primeiro mundo com impostos baixíssimos e um legislativo caro e ineficiente?

      Também é contraditório reclamar de um “sucateamento do estado” em meio a uma crise econômica que se arrasta desde 2014 (e agravada pela pandemia), fazendo cair a arrecadação fiscal.

        1. Acho que ele quis dizer que não dá para ter impostos baixíssimos com um legislativo caro e ineficiente como esse.

  3. Gostaria de saber onde posso encontrar a planta 3D da estação VL. Formosa com o terminal de ônibus acoplado. Venho pediNão a diversos canais desde 2015 mas recebo apenas o croqui ilustrado acima….

Comments are closed.

Previous Post

Linha 13-Jade completa três anos de operação aquém do esperado

Next Post

BYD apresenta projeto de People Mover entre o Aeroporto de Viracopos e Campinas

Related Posts