CPTM Destaques Linha 8 Linha 9

Doze trens da Série 8000 ficarão na Linha 9 até o final de 2021

A partir de 2022, número de composições será diminuído gradualmente, como revela alteração no contrato de PPP, publicada nesta sexta-feira do Diário Oficial
Trem da Série 8000: 12 unidades permanecerão na Linha 9 até o final de 2021 quando começarão a retornar para a Linha 8 (GESP)

Os detalhes sobre o empréstimo dos 12 trens da Série 8000 para a Linha 9-Esmeralda foram parcialmente revelados nesta sexta-feira em uma publicação no Diário Oficial. Nela, a CPTM revela a forma como as composições foram repassadas pela CTrens, empresa responsável pela sua manutenção em uma PPP que previa exclusividade de utilização na Linha 8-Diamante. O governo publicou um aditamento do contrato que consigna os trens à companhia para utilização na Linha 9.

“Consignar que os trens da Série 8000 também poderão ser utilizados, a critério da contratante e dentro dos seguintes limites de utilização estabelecidos, na Linha 9-Esmeralda”, diz o texto que também delimita o período de utilização e quantidade de trens cedidos. Segundo a CPTM, os 12 trens ficarão emprestados à Linha Esmeralda até 31 de dezembro de 2021 quando três deles serão devolvidos. As nove composições restantes permanecerão por mais dois anos em serviço quando três também serão retornadas. De janeiro de 2024 a 30 de junho de 2025 apenas seis trens da Série 8000 continuarão na Linha 9. Por fim, de 1º de julho de 2025 até o final do contrato da CTrens, somente dois Série 8000 serão usados na Linha 9.

CPTM e CTrens elaborarão um procedimento técnico para delinear a utilização desses trens na Linha 9. O aditamento, no entanto, ainda não teve seus detalhes publicados e nem se terá algum custo extra para o governo. Apenas um item do contrato será alterado, o que diz de forma objetiva que os serviços contratados à CTrens “deverão ser executados na Linha 8 – Diamante da CPTM”.

Concessão a caminho

A consignação escalonada dos trens da Série 8000 surpreende pela simplicidade, o que demonstra um certo desinteresse da gestão Alckmin em utilizar o excedente de unidades para resolver problemas urgentes em outros ramais, que ficaram anos operando composições desgastadas, lentas e desconfortáveis. Se a concessionária aceitou a mudança de escopo sem custo algum então terá sido ainda mais flagrante o descaso do governo anterior.

Uma das diferenças 8000 para a Série 7000, é a passagem livre entre os vagões (GESP)

Graças à essa alteração foi possível tirar os velhos trens da Série 2100 de circulação na Linha 10-Turquesa nesta semana, que gerou reflexos imediatos na redução do tempo de viagem – embora os trens espanhois ainda estejam disponíveis como reserva ou no serviço “Expresso Linha 10”.

Quanto à Linha 8, que recebeu os 36 trens da Série 8000 para serem usados assim que o sistema de sinalização CBTC fosse instalado, tudo leva a crer que isso ocorrerá via concessão do ramal, em conjunto com a Linha 9, um dos principais projetos da gestão Doria atualmente. O edital deverá ser publicado nos próximos meses e deve prever que a modernização das vias seja feita pelo parceiro privado, o que abriria espaço para a inserção de mais composições no trajeto. Até lá, espera-se que a CPTM já tenha contratado um novo lote de trens novos, como prometido.

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

Airway