Governo Garcia leva TV Globo aos túneis da Linha 6 mas não arrisca prazo para volta do tatuzão

Segundo Acciona, ainda não é possível estimar quando tuneladora retomará escavações, mas secretário Paulo Galli diz que entrega continua prevista para 2025
Roda de corte da tuneladora sul (iTechdrones)

A TV Globo, por meio do programa Fantástico, conseguiu visitar os túneis da Linha 6-Laranja onde a tuneladora sul sofreu um acidente em 1º de fevereiro e que paralisou as obras na região. Apesar disso, governo do estado e a Acciona, construtora responsável pelo projeto, não arriscaram uma previsão para que a máquina de mais de 100 metros de extensão volte a funcionar.

A boa notícia trazida pela reportagem é que o túnel de estacionamento, aberto pelo método NATM, está recuperado e desinfetado assim como a roda de corte do “tatuzão” aparece totalmente desimpedida após ser coberta por esgoto e mais tarde rochas usadas para conter o vazamento.

No entanto, o interior do equipamento parece ter sofrido um grande destaque após semanas inundados com o esgoto que rompeou do interceptor da Sabesp. Aliás, a empresa de saneamento foi a única a arriscar uma data ao afirmar que a imensa tubulação chamada de ITI-7 deverá voltar a funcionar em outubro.

Já o secretário dos Transportes Metropolitanos, Paulo Galli, manteve a previsão de abertura do ramal de 15,3 km e 15 estações para 2025, a despeito de as obras do tatuzão já estarem três meses paradas.

A tuneladora norte, que ainda não iniciou as escavações (iTechdrones)

A própria Acciona disse pouco. Não soube afirmar quanto tempo levará para que a tuneladora sul seja recuperada, apenas que as peças e componentes mais sensíveis estão sendo revisados e trocados. A reportagem, por outro lado, não cita o status da tuneladora norte, que foi parcialmente afetada pela inundação.

Como o site mostrou em ocasiões anteriores, os dois tatuzões da Linha 6 foram comprados pela Move São Paulo, antiga concessionária da Linha 6 e que abandonou as obras em setembro de 2016.

Eles foram adquiridos da empresa francesa NFM, mas fabricados na China pela NHI. Trata-se de algo incomum nas obras que utilizaram tatuzões no Brasil, cujas empresas têm preferido adquirir o maquinário da alemã Herrenknetch, líder no segmento – é o caso do shield que escavará os 8 km de túneis da Linha 2-Verde até Penha.

Compnentes do tatuzão desmontados para revisão (iTechdrones)

O problema é que a sócia chinesa da NFM faliu e a empresa acabou sendo vendida para o grupo francês BMS. Além disso, ela mudou de foco: em vez de fabricar tatuzões, dá assistência e consultoria para escavações desse tipo.

Sobre as causas do acidente, o governo do estado repetiu o “mantra” de sempre: está sendo investigado, mas ainda sem uma conclusão. Em outras ocasiões a atual gestão usou o mesmo expediente e até hoje não houve qualquer atitude transparente sobre o que levou ao rompimento dos pneus do trem da Linha 15 ou, então, por que a estrutura da passarela da estação Santo Amaro desabou no Rio Pinheiros – neste caso, a investigação ainda está em andamento, já o ramal de monotrilho, o laudo produzido pelo IPT não foi tornado público por incluir aspectos sigilosos da operação.

Espera-se que o caso do esgoto do tatuzão não entre para a “coleção de mistérios” do governo estadual.

Total
21
Shares
Previous Post

Obras da Linha 2-Verde avançam à espera do “tatuzão”

Next Post

Obras de extensão da Linha 4-Amarela até Taboão da Serra devem começar em 2024

Related Posts