Destaques Linha 5

Megatatuzão encerra escavação da Linha 5-Lilás

Tuneladora concluiu último trecho nesta segunda-feira (20), após 1.013 dias de trabalho e quase 5 quilômetros escavados
Megatatuzão da Linha 5: depois de mais mil dias escavações chegam ao fim
Megatatuzão da Linha 5: depois de mais mil dias escavações chegam ao fim
Megatatuzão da Linha 5: depois de mais mil dias escavações chegam ao fim
Megatatuzão da Linha 5: depois de mais mil dias escavações chegam ao fim

O ‘megatatuzão’, a tuneladora de 10,6 metros de diâmetro, concluiu a escavação dos túneis da extensão da Linha 5-Lilás nesta segunda-feira (20). O equipamento, com 1.500 toneladas de peso, é o mesmo que foi usado para escavar a Linha 4-Amarela em parte de sua extensão e havia sido atualizado para o trabalho de escavação de 4.850 metros de túneis do trecho entre o poço Bandeirantes, em Campo Belo, e o poço Dionísio da Costa, em Chácara Klabin.

Com a conclusão da escavação, as esteiras, trilhos e equipamentos que hoje percorrem esses túneis serão retirados assim como o próprio tatuzão, que será desmontado e içado do poço. Com isso, as frentes de trabalho poderão iniciar a concretagem da lajes por onde serão instalados os trilhos. Fabricado na Alemanha, o ‘shield duplo’, como também chamado, será aposentado desta vez.

A escavação com tatuzões na Linha 5-Lilás foi iniciada em 11 de setembro de 2013 justamente com o shield duplo. Outros dois equipamentos de diâmetro menor (6,9 metros) percorreram outro trecho da obra entre a rua Conde de Itu, em Santo Amaro, e mesmo poço Bandeirantes, numa extensão um pouco menor, de 4,2 km. Do tipo singelo, que escava uma via apenas, eles partiram no final de 2013 e concluíram seus túneis em novembro de 2015 e em fevereiro deste ano.

Restava apenas o ‘megatatuzão’ que levou mais tempo para atravessar o subsolo da cidade. Foram 1.013 dias no total, sendo cerca de 700 efetivamente funcionando – os demais dias foram usados para manutenção e, em alguns momentos, para esperar que a laje das estações fosse concluída para seu arraste.

No total, os três shields escavaram cerca de 13,3 km de túneis. O shield duplo avançou cerca de 7 metros por dia em média, segundo dados levantados pelo blog (veja mapa da evolução abaixo).

Novas estações em 2017

Com o fim do trabalho de todos os shields, a Linha 5-Lilás entra na reta final de obras. O primeiro trecho, entre Adolfo Pinheiro e Brooklin, deve ser aberto em julho de 2017. Depois, até o final do ano que vem, a linha finalmente se conectará às linhas 1-Azul e 2-Verde, criando novas possibilidades de viagens para os quase 5 milhões de usuários diários. Apenas a estação Campo Belo está programada para entrega em 2018 por conta de atrasos em desapropriações e remanejo de tubulações na região.

A evolução dos três tatuzões da Linha 5-Lilás
A evolução dos três tatuzões da Linha 5-Lilás (clique para abrir)

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

Um comentário

Click here to post a comment

Airway