Destaques Linha 15 Metrô de São Paulo

Metrô inicia levantamento de desapropriações para implantar Linha 15 na avenida Ragueb Chohfi

Laudo de avaliação será produzido nos próximos meses para definir quais imóveis serão declarados como de utilidade pública no trecho entre a estação Jardim Colonial e o pátio Ragueb Chofhi
Monotrilho da Linha 15: extensão do ramal pela avenida Ragueb Chohfi (CMSP)

O Metrô de São Paulo assinou um contrato nesta semana para produzir um laudo de avaliação dos imóveis que deverão ser desapropriados ao longo da avenida Ragueb Chohfi para a implantação da Linha 15-Prata de monotrilho. O estudo é necessário para calcular não apenas os terrenos que serão necessários para o empreendimento, mas também os valores que serão oferecidos aos proprietários quando ocorrer a declaração de utilidade pública.

O trabalho será executado nos próximos três meses e envolve o trecho compreendido entre a estação Jardim Colonial, atualmente em obras, e o futuro pátio Ragueb Chohfi, com cerca de 3,5 km de extensão. Estão previstas duas estações nessa região, Boa Esperança e Jacu-Pêssego, e que já apareceram em projeções de expansão do governo.

Segundo declarações da gestão Doria, a intenção é que a Linha 15-Prata prossiga até Cidade Tiradentes até 2022. Embora não tenha ficado clara na época, a afirmação possivelmente envolve o início das obras de fato e não sua conclusão, que certamente demorará mais tempo.

O trecho a partir da avenida Ragueb Chohfi é crítico por não contar com uma via alargada o suficiente para receber as colunas do monotrilho. Essa reforma do viário, que prevê sua duplicação e caberia à prefeitura de São Paulo, foi acordada para ser realizada pelo próprio Metrô, conforme explicação enviada ao site no passado.

Informamos que a São Paulo Transporte tinha em 2009 preparado o projeto de implantação do Corredor Expresso Tiradentes no trecho entre Vila Prudente e Cidade Tiradentes, que incluía a duplicação da Av. Ragueb Chohfi. Em junho de 2009 foi firmado um convênio celebrado entre o Governo do Estado de São Paulo e a Prefeitura do Município de São Paulo visando a implantação da Linha 2 Verde do Metrô, que mais tarde foi alterado para a Linha 15 – Prata (Monotrilho). Com isso, a duplicação da Av. Ragueb Chohfi passou a ser atribuição do Metrô“, explicou a SPTrans em 2018.

Atualmente, já é possível ter terrenos desapropriados e limpos na região, porém, será preciso mais intervenções para tirar o trecho do papel. Da mesma forma, o Metrô já está preparando a retomada dos projetos necessários para levar a Linha 15 até a estação Ipiranga, da Linha 10-Turquesa (CPTM).

Trata-se de um sinal positivo de que toda a repercussão causada pela falha encontrada nos pneus do monotrilho não afeta os planos do governo de seguir com o projeto, a despeito de seu atraso. Apesar desses problemas, que deverão ser sanados o quanto antes, a Linha 15-Prata já consumiu muitos recursos públicos e que precisam ser usados para a prometida mobilidade em uma região de difícil acesso e grande população.

Com suas 18 estações, Linha 15-Prata deve transportar mais de 600 mil pessoas por dia

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

5 Comentários

Click here to post a comment
  • Essa bomba não funciona nem onde deve funcionar e já estão vendo meios de gastar o dinheiro público, primeiro resolve o que não funciona e depois expande, ou vai expandir algo que não se tem certeza do futuro?

    • Mas é óbvio que funciona, você já viu as entrevistas do pessoal da região que usa o monotrilho, apesar das falhas o monotrilho é muito melhor do que qualquer ônibus, os problemas que o monotrilho vem tendo é por falta de maturidade do modal no Brasil e tantos erros sucessivos nos projetos que ninguém sabe de onde vem

    • Aparentemente o monotrilho vai funcionar com loop operacional, ou seja as 300mil pessoas que virão da cidade Tiradentes usaram metade dos trens, enquanto o pessoal de São Mateus em diante terão trens vindos de são mateus absorvendo a outra parcela da demanda, isso no pico da manhã, no pico da tarde a tendência é ficar meio saturado mesmo

Airway