Foram quase 50 dias de silêncio nas redes sociais, antes tão ativas e fonte de promessas e explicações sobre o transporte coletivo em São Paulo. Mas há quase duas semanas, o então secretário licenciado dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, voltou a fazer posts nos seus perfis ainda sem citar a pasta que geriu desde janeiro do ano passado. Nesta quinta-feira, 1º de outubro, no entanto, o político goiano confirmou o que já se comentava há alguns dias, a volta ao cargo de secretário no governo João Doria.

O retorno foi marcado por um giro por obras e linhas do Metrô e até mesmo uma nova promessa, a de implantar uma passarela de ligação entre a estação São Mateus e o terminal homônimo da EMTU, que não constava do projeto original misteriosamente. “O Governador João Doria determinou que construíssemos uma passarela ligando o Terminal da EMTU a Estação da Linha 15-Prata do Monotrilho”, afirmou logo pela manhã no Twitter.

Não faz tanto tempo, a volta de Baldy ao cargo era considerada por jornalistas do setor político como improvável. Com a acusação do Ministério Público, sua prisão por um dia e a transformação em réu pela Justiça do Rio de Janeiro, sua situação parecia grave a ponto de lembrar o ocorrido com outro integrante do governo Doria, o ex-prefeito Gilberto Kassab, que nem chegou a assumir o cargo na atual gestão após ser acusado em outro processo.

Mas uma decisão do Supremo Tribunal Federal por meio de uma liminar do Ministro Gilmar Mendes suspendeu a ação penal até que seja analisada a competência em julgar caso. Na visão do Ministro, o assunto é da esfera da Justiça Eleitoral de Goiás, onde teriam ocorrido os desvios.

O secretário Baldy toma café na estação Itaquera: 50 dias de silêncio nas redes sociais

Holofotes

Nesse quase dois meses em que ficou afastado da STM, Baldy foi substituído pelo secretário executivo Paulo Galli que, ao contrário do ex-deputado federal atualmente do Partido Progressistas, não utilizou redes sociais para comunicar os feitos e planos da gestão.

Esse cenário deve mudar, ainda mais em ano eleitoral. Alexandre Baldy, portanto, deve voltar a ter presença regular nos seus perfis, a fim de mostrar as realizações da gestão. Nesta quinta-feira, o secretário visitaria as obras da estação Morumbi, da Linha 17-Ouro. Embora quase pronta, ela ficará inútil por cerca de dois anos, à espera que outros dois contratos sejam cumpridos, o de obras civis e sistemas e que foram liberados pela Justiça enquanto Baldy estava ausente da secretaria.

Entre as pautas futuras do secretário dos Transportes Metropolitanos estão a retomada das obras da Linha 6-Laranja, a publicação do edital de concessão das linhas 8 e 9 da CPTM e a consulta pública do Trem Intercidades. Não vai faltar assunto para esquecer as recentes e turbulentas semanas.

Leia no Lulica
Insônia, aumento de apetite, problemas de visão 29/9/2020