CPTM Destaques Linha 7

Nova estação Francisco Morato deverá ser entregue no início do segundo semestre

Previsão foi dada pelo secretário dos Transportes Metropolitanos nesta segunda-feira, 11. Nova parada da Linha 7-Rubi deve receber 60 mil usuários por dia
Imagem aérea da nova estação de Francisco Morato: inauguração nos próximos meses (CPTM)

Os passageiros da CPTM em Francisco Morato deverão contar com a nova estação da Linha 7-Rubi no início do segundo semestre. A afirmação foi feita pelo secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, que visitou as obras na semana passsada. Segundo o executivo, “nosso desejo é de entregar esta estação no início do segundo semestre para 60 mil passageiros que serão beneficiados com total acessibilidade”, afirmou em seu perfil no Twitter.

Atualmente, as obras da nova estação de Francisco Morato são as mais adiantadas na rede metroferroviária de São Paulo. A cobertura das duas plataformas, por exemplo, já está praticamente finalizada, assim como a instalação dos pisos. A entrada principal do novo edifício já conta com iluminação sendo testada enquanto escadas rolantes e elevadores estão sendo montados.

Segundo a CPTM, a nova parada terá 6 mil m² e já foi projetada para receber o futuro serviço Trem Intermetropolitano (TIM), que terá 44 km e ligará a cidade à Campinas, com nove paradas: Botujuru, Campo Limpo Paulista, Várzea Paulista, Jundiaí, Louveira, Vinhedo e Valinhos. Daí a necessidade de três plataformas e mais vias afinal haverá também o Trem Intercidades, com serviço expresso até a capital paulista.

Por essa razão, há duas plataformas que comportarão três posições de parada de trens e com acessos subterrâneos. Por falar nisso, um dos pontos cruciais para permitir a inauguração do novo local será a instalação dos trilhos nesses espaços e sua ligação com as vias atuais. Enquanto a estação está sendo construída, as composições têm utilizado um desvio paralelo e que também será modificado no futuro.

Entrega ainda no primeiro trimestre

A previsão do secretário revela que existia de fato a possibilidade de Francisco Morato ter sido concluída ainda no primeiro semestre deste ano. Em setembro do ano passado, o presidente da CPTM, Pedro Moro, tinha essa expectativa, porém, os trabalhos acabaram atrasando um pouco.

A obra está sendo realizada pelo consórcio Telar-Spavias, que venceu a concorrência no ano passado oferecendo R$ 114,9 milhões para construir a nova parada. A promessa de melhorar o serviço no munícipio é antiga: a obra chegou a ser licitada, porém, em 2015 a empresa contratada se recusava a seguir com os trabalhos, entrando com uma liminar na Justiça. Só após rescindir o contrato e promover outra licitação, o projeto foi retomado.

Acesso principal da estação (CPTM)
Leia no Lulica
Miopia na infância: quarentena pode aumentar risco, afirma médico 28/5/2020

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

3 Comentários

Click here to post a comment
  • Acho essa ideia de ter o trem parador de Campinas no lugar da extensão horrível, acho que seria mais viável unificar o trecho Jundiaí – Bras, e oferecer a extensão pra Campinas.

    • Mas considerando que a demanda de Campinas vai ser um pouco alta, não seria melhor a extensão da linha direto pra Campinas? O único problema que vejo nisso é a reforma da extensão, já que tem trechos bem ruins nela (em especial, entre Campo Limpo e Várzea).

Airway