Mais de 400 novos trens deverão ser fabricados para suprir rede futura de transporte sobre trilhos em São Paulo

Linhas 19-Celeste e 20-Rosa são as que mais possuem necessidade de composições. Aquisições também contemplam trens metropolitanos e monotrilhos
Centenas de novos trens devem ser adquiridos nos próximos anos (Jean Carlos)
Centenas de novos trens devem ser adquiridos nos próximos anos (Jean Carlos)

A expansão da rede de transporte sobre trilhos prevista para os próximos anos deverá incluir mais de 250 quilômetros de novas linhas de trem e metrô. Para dar conta da nova demanda, uma grande quantidade de trens deverá ser adquirida.

Este artigo baseou-se na apresentação realizada por Alberto Epifani, da STM, durante o seminário Inovação e Expansão da rede de transportes públicos promovido pelo Instituto de Engenharia.

Siga o MetrôCPTM nas redes: Facebook | LinkedIn | Youtube | Instagram | Twitter

Cabe salientar que o estudo da rede futura sofre constantes revisões e atualizações. As informações podem ser alteradas conforme a projeção da rede futura for revisada.

Rede em expansão

Atualmente estão em obras quatro linhas metroviárias e uma linha ferroviária. As expansões em curso deverão incluir pelo menos 68 novos trens na frota operacional das empresas.

Na Linha 2-Verde, que tem obras em curso entre Vila Prudente e Penha, haverá a necessidade de se acrescentar mais 22 trens à frota que opera no trecho. A mesma quantidade de trens será necessária para a implantação da Linha 6-Laranja que demandará 22 trens.

Frota necessária para a expansão da rede atualmente (Jean Carlos)
Frota necessária para a expansão da rede atualmente (Jean Carlos)

A extensão da Linha 15-Prata para Jacú-Pêssego e Ipiranga vai acrescentar à frota pelo menos 10 novas composições. Na Linha 17-Ouro, também de monotrilho, a demanda por trens será de 14 composições.

A Linha 9-Esmeralda terá uma simples expansão, mas não haverá acréscimo na sua frota. Neste caso em especial ocorrerá uma renovação, ou seja, aquisição de 36 composições mais novas e repasse das antigas para a CPTM.

Frota necessária para a expansão da rede atualmente (Jean Carlos)
Frota necessária para a expansão da rede atualmente (Jean Carlos)

Rede futura

A rede futura abre grandes oportunidades para as fabricantes nacionais e internacionais se prepararem. A demanda para os próximos anos será de 345 composições. Considerando o padrão utilizado pelo Metrô, serão adquiridos mais de 2.000 carros de passageiros.

Na Linha 2-Verde serão necessários mais 15 trens para o atendimento até Cerro Corá e Dutra, já no município de Guarulhos.

A Linha 4-Amarela que será expandida até Taboão necessitará de 4 novas composições. Na Linha 5-Lilás, 22 novos trens irão compor a nova frota que atenderá as regiões de Jardim Ângela e a extensão ao norte chegando na estação São Carlos.

A Linha 6-Laranja deverá ter sua frota dobrada com o acréscimo de mais 22 trens. As novas composições deverão atender as regiões de São Carlos, no trecho após São Joaquim, e Bandeirante no trecho norte.

Para a Linha 13-Jade estão previstos 35 novos trens. Serão adquiridos 10 composições para o trecho entre Aeroporto e Bonsucesso e mais 25 trens para a extensão até São Carlos.

Frota necessária para a expansão futura da rede (Jean Carlos)
Frota necessária para a expansão futura da rede (Jean Carlos)

A Linha 14-Ônix deverá atender a região mais carente de Guarulhos. A população deverá contar com 26 trens novos que vão passar por regiões como Bonsucesso, Pimentas, São Miguel até atingir a região do ABC.

A Linha 15-Prata ganhará novo reforço com 8 novos trens. Essas composições deverão atender o trecho entre Jacú-Pêssego e Hospital Cidade Tiradentes.

A Zona Leste ainda deverá ser beneficiada por 42 novos trens que farão o atendimento da Linha 16-Violeta que atenderá o extremo da cidade, em Cidade Tiradentes, até a Oscar Freire.

O monotrilho da Linha 17-Ouro deverá ter 10 composições adicionais para o atendimento até Jabaquara e São Paulo Morumbi,

A Linha 19-Celeste é dividida em duas fases. A primeira entre Bosque Maia e Anhangabaú e a segunda entre Anhangabaú e Campo Belo. Para a primeira etapa serão adquiridos 31 trens e na segunda fase 17 novas composições.

A Linha 20-Rosa deverá ser a maior beneficiária em termos de frota. O Metrô projeta uma mega aquisição de 50 novos trens apenas para esta linha que atenderá o eixo entre Santa Marina e Santo André.

O Metrô de Cotia também está incluído com a Linha 22-Marrom. Serão necessários 43 novos trens para atender o trecho entre Sumaré e Cotia. Por fim, a Linha 24-Quartzo necessitará de 20 trens para compor a frota entre Alphaville e Campo Limpo.

Frota necessária para a expansão futura da rede (Jean Carlos)
Frota necessária para a expansão futura da rede (Jean Carlos)

Aquisições em curso

Atualmente parte desta frota está em processo de fabricação ou encomenda. Na ViaMobilidade 36 novos trens da Alstom deverão renovar a frota da Linha 9-Esmeralda.

Para a Linha 15-Prata foram acertados 19 novos trens junto à Alstom. Eles serão fabricados na China pela CRRC em contrato de Join Venture.

Na Linha 6-Laranja a compra de 22 novos trens para compor a frota inicial deverá ser construída também pela Alstom.

A chinesa BYD está fabricando 14 composições de sete carros para o monotrilho da Linha 17-Ouro. Os trens devem começar a chegar no começo de 2024.

Por fim, o Metrô de São Paulo confirmou a aquisição de 44 novos trens para atender as Linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha.

Total
0
Shares
Antes de comentar, leia os termos de uso dos comentários, por favor
11 comments
  1. As expansões da Linha 11 – Coral para a Barra Funda e da 12 – Safira pra Suzano não terão “novos” trens, mas será necessário um adicional na frota em circulação. Alguém sabe quantos são?

  2. Muito interessante, com esse detalhamento me parece que esses planos de expansão são sérios e em algum momento no futuro vão sair, acredito que, no mais tardar, até 2050 todas essas linhas estarão operando.

  3. Não existe nenhum plano de comprar trens novos para as linhas 1 e 3? Os trens das duas linhas são muito antigos, apesar de terem sido reformados, ainda não tem o conforto dos novos trens, como as portas mais largas e a passagem entre os carros.

    1. A exceção da frota G q é nova, e dos 44 trens da frota R, 22 vão para a linha 2 e o restante será dividido para as linhas 1 e 3.

      1. Duvido muito que essa nova frota não será exclusiva da L2, mas ainda assim as frotas G e H não tem a passagem entre os carros que é q melhor coisa pra ter uma boa distribuição de passageiros no trem

    1. Os 19 trens da série 7000 vão para a linha 12, antes a VM tem que revisar todos e a CPTM vai refazer a pintura deles

  4. coloca aí então 800 trens.

    por quando isso ficar pronto, os primeiros trens já vão estar em fim de vida util.

Comments are closed.

Previous Post

Com mais um atraso, Estação Varginha, da Linha 9, ficará pronta apenas em 2024

Next Post

Metrô lança licitação de projeto básico da Linha 20-Rosa

Related Posts