Em seu primeiro dia de volta ao posto de secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy visitou as obras da estação Morumbi, da Linha 17-Ouro. A “vistoria” foi acompanhada por blogs e perfis especializados em mobilidade, incluindo o SP Sobre Trilhos, novo parceiro do site MetrôCPTM. Graças a isso foi possível conhecer o andamento dos trabalhos na futura ligação do monotrilho com a Linha 9-Esmeralda.

A obra foi contratada junto a CCIN-CCCC duas subsidiárias do grupo Camargo Correa e deveria ter sido entregue no primeiro semestre. A data foi alterada para setembro, mas o secretário previu durante a visita que a conclusão passou a ser esperada para o final deste ano. Apesar de ser importante cumprir prazos, algo que parece impossível nas obras públicas, a diferença não se refletirá no cronograma do ramal já que outros contratos estão ainda mais atrasados, o de obras civis e o de sistemas (que inclui os trens), e devem ser retomados nos próximos dias.

Como mostram as imagens do SP Sobre Trilhos, a estação Morumbi deverá ser a mais bem executada das oito previsas na primeira fase. Uma das razões é que ela foi reprojetada já com as obras da linha em andamento, após o Metrô chegar à conclusão que a concepção original geraria gargalos no fluxo de passageiros. Com isso, o novo projeto previu uma estação maior, com plataformas laterais e grande área envidraçada, conferindo uma iluminação natural mais adequada à estrutura.

Placas de sinalização

As plataformas são bastante largas e o mezanino oferece espaço para proporcionar deslocamentos tanto para a Linha 9 quanto para o novo acesso ao lado do edifício WT Morumbi. A estação também conta com uma área de ligação entre as duas estações construída com estruturas metálicas e que começa na parte sul da plataforma da linha da CPTM.

Os trabalhos se concentram no acabamento e instalação de equipamentos no momento. Por outro lado, a Camargo Correa iniciou a instalação das placas de sinalização com padrão do Metrô, que não será usado de fato já que o ramal faz parte da concessão que envolve também a Linha 5-Lilás para a ViaMobilidade. Ou seja, será preciso trocar o layout para a linguagem usada pela empresa.

Embora esteja próxima de ser concluída, a estação Morumbi ainda ficará sem alguns elementos importantes, entre eles as portas de plataforma, que serão instaladas pela BYD, e as vigas-trilhos, responsabilidade da Coesa Engenharia.

Anos fechada

Essas fases da obra, no entanto, deverão ocorrer não antes de 2022 possivelmente já que as duas contratadas ainda estão por iniciar seus trabalhos após uma longa disputa na Justiça. Se não houver nenhuma outra interrupção esses contratos deverão ser concluídos entre o final de 2022 e início de 2023 quando finalmente a Linha 17 poderá virar realidade, uma década depois do início das obras.

Uma coisa é certa: o ramal deve entrar para a história da expansão metroviária de São Paulo como o mais problemático já implantado.

Placa da estação Morumbi mudará quando linha abrir (SPSobreTrilhos)

Leia no Lulica
Insônia, aumento de apetite, problemas de visão 29/9/2020