Governo Doria pode terminar 2022 sem nenhuma nova estação inaugurada

Única obra com alguma chance de ser concluída é a estação Varginha, da Linha 9-Esmeralda, mas mesmo ela pode ser inaugurada de forma provisória caso a atual gestão repita a abertura precária de Mendes-Vila Natal
Estação Varginha em dezembro de 2021 (iTechdrones)

Neste ano, o governador João Doria conseguiu entregar quatro novas estações e 5,5 km de trilhos à malha metroferroviária, maior avanço obtido durante sua gestão, iniciada em 2019. Mas pode ter sido o ápice de inaugurações do tucano já que em 2022 são pequenas as chances de ocorrer uma nova expansão no sistema.

De todas as obras em curso atualmente, apenas a estação Varginha, da Linha 9-Esmeralda, tem uma remota possibilidade de ser concluída no ano que vem. A implantação do projeto ganhou celeridade durante este ano após o canteiro de obras ter sido mostrado quase sem atividades pelo canal iTechdrones e por este site.

Ainda assim, embora a obra civil bruta esteja evoluindo, a CPTM tem o desafio de concluir em menos de 12 meses etapas como o acabamento da estação, instalação de sistemas, rede aérea e outros detalhes complexos e que não aparecem tanto nas fotos e vídeos.

Não será novidade se a atual gestão, pelo tudo indica, sob os cuidados do atual vice-governador Rodrigo Garcia (já que Doria deverá deixar o cargo em abril para concorrer à Presidência da República), opte por abrir Varginha em meio às obras com uma “operação” bastante simples apenas com fins eleitorais.

A estação Varginha no início de janeiro de 2021 (iTechdrones)

Foi o que ocorreu em Mendes-Vila Natal, “inaugurada” em agosto deste ano, mas que quase cinco meses depois continua desconectada do restante da Linha 9-Esmeralda e com viagens lentas partindo a cada 20 minutos.

Ou seja, na prática, a nova estação ainda não estreou de fato, atraindo somente pouco mais de 3 mil passageiros por mês, uma fraçã ínfima da real demanda na região.

Legado importante para o(a) próximo(a) mandatário(a)

Se deve concluir o mandato com uma evolução pequena na malha metroferroviária, Doria ao menos deixará um importante legado para o(a) próximo(a) governador(a).

Estão em ritmo adequado de obras a Linha 17-Ouro (cotada para entrega em 2023), a Linha 6-Laranja (esperada para 2025) e Linha 2-Verde até Penha (com inaugurações previstas para 2025 e 2026).

Devem entrar nesse pacote a extensão da Linha 15-Prata até Jacu Pêssego caso não haja uma disputa judicial pelo contrato e talvez o Trem Intercidades, cujo edital de concessão poderá ser lançado durante 2022.

Futura estação Santa Marina, da Linha 6-Laranja: legado importante na expansão sobre trilhos (LinhaUni)

Com menores chances de serem viabilizadas até dezembro estão as obras da extensão da Linha 15 até Ipiranga e os possíveis prolongamentos das linhas 4-Amarela até Taboão da Serra e 5-Lilás até Jardim Ângela. As duas últimas dependem de estudos que estão sendo realizados pelas concessionárias ViaQuatro e ViaMobilidade e que terão de ser negociados com o governo para terem um aditivo que viabilize a implantação propriamente dita.

Por outro lado, projetos como a Linha 19-Celeste e a Linha 20-Rosa, embora em andamento, não possuem tempo hábil para que ocorra uma licitação de obras civis ou de concessão. Por isso, deverão ser analisados pelo(a) próximo(a) mandatário(a) .

Total
13
Shares
3 comments

Comments are closed.

Previous Post

Metrô de São Paulo chega a 104,4 km e rede sobre trilhos, a 377 km

Next Post

Estação Giovanni Gronchi passa a operar com portas de plataforma

Related Posts