O Metrô de São Paulo contratou o consórcio TPC na sexta-feira (10) para elaborar os projetos executivos do novo túnel de ligação entre as estações Consolação e Paulista – a informação foi confirmada nesta quinta-feira no Diário Oficial. Trata-se efetivamente do primeiro passo para tirar a prometida ligação do papel, mas não significa que a obra está garantida.

Com prazo de 42 meses, o contrato com a TPC prevê ainda o acompanhamento técnico dos trabalhos de construção, ou seja, a previsão inclui o período em que o túnel será construído, mas por outra empresa em nova licitação específica e que ainda não tem data divulgada pelo governo. Estima-se que a obra durará entre 18 e 24 meses, portanto, é bastante provável que ela seja iniciada em 2020 e fique pronta durante 2022.

O novo túnel de ligação entre as duas estações da Linha 4-Amarela e 2-Verde é uma antiga promessa do Metrô que entregou o trecho com expectativa de uma demanda menor do que a que de fato existe. Após a inauguração das estações Santa Cruz e Chácara Klabin da Linha 5-Lilás e que trouxeram um breve alívio para as estações Paulista e Consolação, a companhia retirou parte das esteiras rolantes do túnel atual para facilitar o deslocamento dos passageiros.

Mas a abertura de novas estações na Linha 4-Amarela aumentará a quantidade de usuários novamente, tornando a nova ligação necessária. A ideia é que o fluxo de passageiros seja dividido a partir da área onde existem as escadas rolantes e o final da esteira restante. Nesse ponto os passageiros que seguem para a Linha 4 acessarão o novo túnel que terá saída no mezanino lateral da estação Paulista. O túnel atual ficará exclusivo dos usuários que se deslocam em direção à estação Consolação.

Novo túnel terá sentido estação Paulista apenas (Reprodução)

Mais escadas rolantes

O novo túnel não é a única ação tomada pelo Metrô para reduzir o desconforto dos usuários. A empresa vai instalar mais oito escadas rolantes para a estação Pinheiros da Linha 4-Amarela. Elas serão colocadas nos quatro pisos que hoje têm espaço para uma terceira escada, facilitando o escoamento dos passageiros.

Apesar disso, persistirá a dificuldade em acessar a estação Pinheiros da Linha 9-Esmeralda, principal destino de quem hoje desembarca na região. Isso porque a passarela continuará sendo o único acesso ao local, uma solução apressada feita na época em que as duas paradas estavam sendo construídas e ampliadas. A ideia original, no entanto, é que houvesse um túnel para que os passageiros em conexão seguissem com mais rapidez. Porém, o projeto ficou pelo caminho, tornando a baldeação demorada e cansativa.

Estação Pinheiros da Linha 4: novas escadas rolantes, mas nada de túnel de ligação (GESP)