Enquanto a maior parte das atividades da Linha 17-Ouro tem ocorrido em tribunais, ao menos um canteiro segue bastante ativo e com um cronograma pouco atrasado, a estação Morumbi. A futura ligação com a Linha 9-Esmeralda da CPTM foi alvo de uma visita recente do secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, o que tornou-se uma oportunidade para conhecer seu interior.

Na semana passada, no entanto, o canal iTechdrones sobrevoou o local e gravou imagens aéreas da estação com um drone, permitindo que a nova estrutura pudesse ser vista de ângulos raros. Prevista para ser concluída em dezembro, a estação Morumbi teve seu contrato assinado em 2017, bem depois dos demais projetos, porém, não teve grandes percalços nesse meio tempo.

A ironia é que ela poderia estar hoje incompleta, assim com as outras sete paradas. Isso porque Morumbi também fazia parte do lote que compreendia as estações Chucri Zaidan, Vila Cordeiro e Campo Belo e que deveriam ter sido construídas pelas empresas Andrade Gutierrez e CR Almeida. Após o abandono das obras, o Metrô transferiu o contrato para o consórcio TIDP, que praticamente concluiu as obras civis mais pesadas, mas parou no acabamento.

Já Morumbi acabou retirada do contrato porque o Metrô notou que o projeto original era tímido demais para o potencial de demanda. A ideia inicial era apenas construir uma plataforma paralela com a estação da CPTM e aproveitar seu acesso e passarela para a circulação dos passageiros.

Felizmente, esse projeto foi deixado de lado por uma concepção maior e mais adequada, que é o que vemos no vídeo. Um dos aspectos que as imagens deixam claro é justamente sobre os acessos. O novo, ao lado do conjunto WT Morumbi, é mais amplo, contando ainda com uma área de conexão com a Linha 9 que deve permitir uma distribuição mais adequada dos fluxo de usuários.

Outro aspecto positivo do projeto é que os bloqueios ficam localizado no corpo da estação e não no prédio de acesso, como na CPTM. Isso evitará possíveis filas na parte externa do acesso, como ocorre em horários de grande movimento.

Antevisão do que seria a Linha 18-Bronze

Como já ressaltamos aqui, a estação Morumbi possui um projeto arquitetônico mais bem resolvido que o das demais estações da Linha 17, baseado na solução implantada na Linha 15 e que preferiu uma plataforma central. A parada na Marginal Pinheiros, ao contrário, terá plataformas laterais amplas e iluminação natural bem mais ampla, conferindo um aspecto muito mais agradável que suas irmãs.

Para reduzir o impacto da construção, a estação Morumbi está sendo revestida com uma “pele” de vidro e metal que pode ser notada quase pronta no vídeo. É um projeto que lembra bastante o que seria implantado na Linha 18-Bronze, um monotrilho que seria implantado no ABC Paulista, mas foi inexplicavelmente cancelado pelo governo João Doria.

Projeto de estação da Linha 18-Bronze: concepção similar à estação Morumbi (Fernandes Arquitetos)

As projeções das estações pensadas pela concessionária VEM ABC mostravam um projeto ainda mais arrojado e bem resolvido que o da estação Morumbi, o que só evidencia a grande perda para os moradores de cidades como São Bernardo, Santo André e São Caetano, que em vez disso talvez ganhem um corredor de ônibus com pontos batizados ironicamente de “estações” pelos defensores do modal.

Por outro lado, os potenciais usuários da estação Morumbi terão de esperar bastante tempo até poderem acessar o local. Como mostrado repetidas vezes aqui, o cronograma de conclusão da fase prioritária da Linha 17 está em aberto com a judicialização de seus outros contratos.

Leia no Lulica
Insônia, aumento de apetite, problemas de visão 29/9/2020