Estação Jundiaí ganhará nova plataforma e terá acesso completamente reformulado

Para receber os serviços TIM e TIC, veterana parada receberá investimentos significativos da futura concessionária
Plataforma central da estação Jundiai será utilizada para os trens do TIC (Jean Carlos/SP Sobre Trilhos)

O Trem Intercidades é um projeto que visa promover uma ligação ferroviária entre as regiões metropolitanas mais relevantes do estado. O TIC Eixo Norte ligará a RMSP com a Região Metropolitana de Campinas, passando pela cidade de Jundiaí. A estação que hoje atende aos trens da Linha 7-Rubi deverá passar por uma série de melhorias para que as composições do trem expresso possam atender os passageiros daquela região.

A estação Jundiaí foi inaugurada com a abertura da linha pela São Paulo Railway no ano de 1867 e hoje é a estação terminal da linha 7-Rubi da CPTM. Atualmente a estação se utiliza de uma plataforma ilhada para atender os passageiros, enquanto a plataforma principal da estação está interditada para obras de restauro. Para acessá-la os passageiros contam com uma passagem em nível e de uma passarela, recentemente interditada devido ao avanço do processo de restauração da estação.

Planta da estação Jundiaí (STM)

Para viabilizar a operação do TIC e do TIM, uma série de mudanças e ampliações estão previstas para a estação Jundiaí. A atual plataforma central deverá ser utilizada exclusivamente para os trens expressos entre Barra Funda e Campinas, sendo que seu comprimento será aumentado de forma que possa atingir os 300 metros.

Já o serviço do Trem Intermetropolitano entre Francisco Morato e Campinas deverá ganhar uma nova plataforma central. Segundo os documentos da consulta pública a nova plataforma deverá ser construída onde hoje existe um galpão abandonado.

Corte da estação Jundiaí (STM)

As mudanças propostas são necessárias para que seja possível acomodar a operação dos dois serviços de forma simultânea. Além disso, o projeto foi pensado para que seja dada a devida segregação aos dois tipos de serviço, de forma que os passageiros do trem expresso possam usufruir de uma estrutura diferenciada. A transferência entre os serviços TIM e TIC deverá ser realizada de forma controlada.

O acesso à estação deverá ser reformulado. Uma nova passarela será construída servindo como forma de entrada aos dois serviços oferecidos na estação. Linhas de bloqueios serão implantadas em pontos específicos da estação para distinguir a entrada dos trens do TIC e do TIM.

Corte da estação Jundiaí (STM)

A passarela também contará com acesso ao terminal de ônibus existente na região, facilitando a integração aos serviços de mobilidade da cidade. Cabe citar que ela será completamente acessível sendo dotada de escadas rolantes e elevadores, tanto nos acessos como dentro da área paga da estação.

Um dos pontos mais polêmicos do projeto é a mudança que a estação tombada deverá passar. Segundo os documentos da consulta pública, a via 1 do serviço TIM (sentido Campinas) deverá passar por dentro do acesso atual da estação, obstruindo a atual entrada. O mesmo tipo de situação ocorria há muitos anos quando naquela mesma estação operavam os trens da Companhia Ytuana.

Composição no lado externo da estação Jundiaí (Acervo Fabio Barbosa Marques)

Devido a agressividade do projeto ainda existe a possibilidade de que ele seja vetado e revisto de forma a conciliar a inclusão de novas vias sem afetar o patrimônio tombado. Cabe lembrar que questões relacionadas a gabarito, ainda mais considerando-se a adoção de trens elétricos, são grandes fatores de restrição à solução proposta.

Por fim, a estação prevê o uso de áreas remanescentes para a exploração comercial. Essa exploração deverá ocorrer dentro dos planos elaborados pela concessionária, sob anuência prévia do poder concedente. A obtenção das receitas acessórias poderá ser um fator de grande importância para que possa ser atingido o equilíbrio econômico-financeiro da concessão.

Galpão que será desapropriado para a construção da nova plataforma (Jean Carlos/SP Sobre Trilhos)

O site está elaborando uma série de matérias sobre as reformulações das estações da Linha 7-Rubi. Você pode acessar nossos artigos nos links abaixo:

Total
43
Shares
2 comments
  1. Poderiam aproveitar ao trecho entre Jundiaí e Atibaia e criar um novo trecho entre Atibaia até o aeroporto internacional; de guarulhos

Comments are closed.

Previous Post

Dez anos depois de anunciada, Linha 17-Ouro do Metrô ainda preserva sua importância

Next Post

Túneis da Linha 6-Laranja do Metrô avançam em ‘silêncio’

Related Posts